Babá eletrônica: você pode estar colocando sua família em risco

ESET alerta usuários sobre os cuidados necessários ao usar gadgets de monitoramento

baba-eletronica

Quem me acompanha sabe que super recomendo comprar babá eletrônica, é um item que não pode faltar na lista de enxoval do bebê. Mas além daquelas babás eletrônicas básicas que funcionam com pouca distância existem babás eletrônicas que você pode acompanhar seu bebê a longa distância. É sobre essas babás que vamos falar hoje!

Ficar longe dos filhos não é uma tarefa fácil. As preocupações com o bem-estar e a segurança das crianças fazem com que muitos pais que trabalham fora e desejam observar o dia a dia dos filhos optem pelo uso de câmeras conectadas à internet e babás eletrônicas para acompanhar os filhos à distância.

Com o passar dos anos e a melhora no sinal e na velocidade média da internet, alguns modelos evoluíram e passaram a contar com a tecnologia wi-fi, facilitando o monitoramento dos filhos em tempo real e contando com alta qualidade de vídeo. Entretanto, é preciso tomar muito cuidado, já que, por esses paraelhos estarem conectadas à rede, as câmeras podem ficar vulneráveis a ataques e invasões de cibercriminosos.

Casos de invasão:

Um dos casos de maior repercussão aconteceu no ano de 2013, nos Estados Unidos. De maneira remota, um homem conseguiu invadir o sistema de um aparelho que gravava uma criança de dois anos dormindo. O invasor começou a gritar “acorde bebê”, ao mesmo tempo em que fazia a câmera se mover.

Ainda de acordo com um relatório da CNN de janeiro de 2018, cibercriminosos estão captando informações de bebês, tais como data de aniversário, números de documentos pessoais e até mesmo o nome da mãe para vender em sites de produtos e serviços ilegais.

Apesar de serem casos extremos, estes episódios trouxeram à tona a discussão sobre a fragilidade da segurança desses aparelhos que deveriam justamente nos dar mais segurança em relação aos nossos filhos.

Por isso hoje Camillo Di Jorge, especialista em segurança da informação e Country Manager da ESET no Brasil explica os principais riscos destes dispositivos e faz recomendações para evitar problemas de segurança. A ESET é líder em detecção proativa de ameaças.

“É importante que os usuários tenham consciência sobre o risco das babás eletrônicas conectadas à internet e que tomem as providências necessárias para diminuir a chances dos ataques.”

  • Faça atualizações e altere os padrões de fábrica

Segundo Di Jorge, por terem um número IP similar ao de computadores e outros dispositivos, as câmeras podem ser invadidas facilmente e, por isso, manter o software sempre atualizado e alterar os padrões de fábrica de login, criando uma senha forte, são essenciais para prevenir esses ataques.

  • Verifique se o modelo possui criptografia

Mesmo contando com um login de segurança, muitas babás eletrônicas não transmitem os dados criptografados, o que significa que, caso as informações sejam interceptadas, elas serão lidas sem a menor dificuldade. Por isso, é importante pesquisar se o aparelho dispõe de criptografia adequada e de algum tipo de política de privacidade.

  • Escolha uma marca confiável

Além disso, os pais devem ficar atentos às marcas disponíveis e sua credibilidade no mercado. De preferência, opte por marcas conhecidas, com boa reputação e que fabriquem, além de babás eletrônicas, gadgets e aparelhos de segurança.

  • Proteja os equipamentos que tem acesso à câmera

Mesmo com todas as dicas, de nada vai adiantar o usuário proteger a câmera se os outros dispositivos usados estejam vulneráveis. Os smartphones, tablets e computadores, aparelhos muitas vezes usados para acessarem as babás eletrônicas remotamente, precisam também estar protegidos e conectados a redes de dados ou wi-fi seguras. Caso contrário, os aparelhos podem ser mais facilmente invadidos e usados para acessar as informações da câmera.

  • Bloqueie a câmera

Quando não estiver usando a babá eletrônica, é interessante manter a câmera desligada ou tampada, pois muitos cibercriminosos aproveitam a distração das pessoas com relação à equipamentos que possuem câmeras para se informar da rotina de suas vítimas e poder utilizar essa informação de forma ilegal.

  • Proteja seu roteador

O roteador é por onde passa o pacote de dados de seus dispositivos, portanto, ele não pode estar vulnerável. Muitas das falhas descobertas recentemente neste equipamento estavam ligadas à permissão para execução de comandos remotamente.

Portanto, como falamos anteriormente, é sempre importante trocar a senha original do equipamento e sempre verificar se o roteador não retornou às configurações padrão após a realizada última atualização do sistema.

“É importante ressaltar que todo e qualquer dispositivo conectado à internet corre o risco de ser infectado. Além do uso de soluções antivírus, é importante que os usuários alterem a senha padrão de fábrica dos aparelhos escolhendo algo difícil de se deduzir e trocando a senha periodicamente, o que pode dificultar a ação dos criminosos.”

Aproveite e confira esse vídeo que fala se vale a pena ou não comprar uma babá eletrônica:

Quer mais informações sobre universo materno?

Mandamos conteúdos exclusivos sobre educação infantil, chá de bebê, enxoval, e muito mais!

Comente com o Facebook

comentários