Bebê com fimose: o que fazer? Veja tudo o que precisa saber!

Tudo o que você precisa saber sobre fimose
Fimose. Imagem: pexels

Só de falar em bebê com fimose, muitas mamães já ficam preocupadas. Porém, você sabe o que isso significa? A verdade é que a condição é muito menos preocupante do que parece!

Antes de tudo, é preciso saber que essa condição é exclusiva para bebês do sexo masculino. Afinal, a fimose está relacionada ao pênis da criança.

Então, se você tem um menininho recém-chegado em casa e quer saber tudo sobre a fimose, não deixe de acompanhar o artigo até o final!

E, caso você tenha alguma dúvida, lembre-se que você sempre pode contar com a ajuda de um pediatra. Muitas mamães sentem que fazem perguntas demais. Porém, a verdade é que conversar com um médico pode ajudar você a ficar mais tranquila e entender melhor sobre a saúde do bebê.

Agora, vamos falar um pouquinho sobre essa condição.

Afinal, o que é a fimose?

Existem dois tipos de fimose. A primeira é chamada de fimose fisiológica e é algo com o que todos os bebês do sexo masculino nascem.

Isso está relacionado ao prepúcio, aquela “pelezinha” que fica ao redor do pênis. O prepúcio fica grudado à glande e não é um problema desde que não cause obstrução do fluxo urinário. O prepúcio só se torna um problema caso isso ocorra, já que a obstrução pode causar infecções.

Já a fimose propriamente dita acontece quando existe uma espécie de anel apertando essa extremidade. Nesse caso, o prepúcio não pode ser recolhido e pode ocasionar problemas à saúde do bebê.

Vale ressaltar que o prepúcio começa a descolar naturalmente a partir de 1 ano e meio de idade. Até os 3 anos do bebê, são poucos os meninos que ainda têm essa pelinha.

É preciso fazer cirurgia?

Fimose. Imagem: pexels

Geralmente, a cirurgia para fimose (conhecida como circuncisão) logo após o nascimento é feita por motivos religiosos. Por isso, não existe um consenso médico de se ela deve ser realizada assim que o bebê nasce.

Afinal, apenas uma pequena parcela dos bebês do sexo masculino precisa, de fato, se submeter à operação.

A cirurgia é indicada quando o estreitamento da glande causa infecções urinárias frequentes. Nesse caso, a recomendação é de que a cirurgia seja feita entre os 7 e 10 anos de idade, sempre antes da puberdade.

Já a cirurgia precoce deve ser realizada quando acontecem as postites frequentes. Esse termo significa que acontecem infecções da pele que cobre o pênis, causando desconforto e até mesmo dores.

Outro caso em que a cirurgia precoce é necessária é quando acontecem parafimoses (a glande é exteriorizada e não volta à posição normal).

Por isso, é essencial que você consulte um médico no caso de qualquer anormalidade. Assim, ele poderá indicar ou não a realização da cirurgia de circuncisão.

Como é o processo de recuperação da cirurgia?

Após a realização da cirurgia, o período de cicatrização demora cerca de 10 dias. Nesse tempo, o inchaço diminui e o menino já pode voltar às atividades normais.

É essencial que você lembre de passar pomadas cicatrizantes na área da glande para diminuir o desconforto da recuperação. O médico pode recomendar também um analgésico para diminuir a dor.

Uma das principais dúvidas é se é normal sentir dor ao urinar após a cirurgia. Esse desconforto pode ser um indício de que você precisa voltar ao médico.

O que é normal é sentir dificuldade ao urinar, já que o pênis do menino não tem mais o prepúcio e a pele fica mais sensível.

Agora que você já sabe tudo o que precisa sobre a fimose, é mais fácil ficar tranquila! Lembre-se de sempre contar com o apoio médico para saber o que é melhor para o bebê e a criança.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato para que possamos ajudá-la e aproveite para compartilhar o artigo em todas as suas páginas nas redes sociais!

 

Quer mais informações sobre universo materno?

Mandamos conteúdos exclusivos sobre educação infantil, chá de bebê, enxoval, e muito mais!

Comente com o Facebook

comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here