Cuidados com os dentes das crianças e SUPER DICA de como tirar a chupeta

dica para tirar a chupeta sem traumas

O surgimento do primeiro dente do bebê traz novas responsabilidades! Confira nesse post como estimular a higienização bucal de seus filhos e também dicas de como tirar a chupeta sem traumas.

O surgimento do primeiro dentinho em uma criança costuma ser um marco para as famílias. Contudo, esse momento também apresenta novas responsabilidades para os pais em relação à saúde bucal de seus filhos.

Escovações adequadas, higienização de toda a boca e cuidados com a alimentação estão entre as principais ações que devem ser feitas pelos pais e responsáveis. São elas que evitarão os dois principais problemas da infância: a cárie e a erosão.

Cárie

É causada por bactérias que vivem na boca e se aproveitam do alimento que ingerimos para produzir a placa que causa as lesões nos dentes.

Erosão

É ainda mais grave, corroendo o esmalte que reveste o dente, interferindo até em seu desenvolvimento.

Apesar de todos os perigos, poucas famílias conseguem manter os filhos longe das cáries. A última edição da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal, divulgada em 2012, indica que 53,4% das crianças até cinco anos possuem cárie em pelo menos um dente.

Mas como evitar esses problemas e garantir o desenvolvimento saudável dos dentes das crianças?

Confira 6 dicas que estimulam hábitos de higiene nos pequenos e deixam a cárie e outros problemas longe de suas bocas.

Dica 1 – Dê o exemplo para os seus filhos

É na infância que as crianças aprendem e assimilam novos conceitos e, na maioria dos casos, repetindo o comportamento dos adultos. Elas costumam fazer as mesmas ações de seus pais – o que exige um comprometimento maior das pessoas.

Como exigir que o filho escove os dentes após as refeições se ele vê o pai ou a mãe deixando de lado essa atividade? É essencial que todos em casa tenham hábitos saudáveis para a higiene bucal e sirvam de exemplo para os mais novos.

Para isso, uma alternativa interessante é escovar os dentes ao lado das crianças. Essa prática reforça não só a importância da escovação, como também serve para o filho tirar dúvidas e ver o modo correto para higienizar sua boca.

Dica 2 – Tenha cuidado com a alimentação

A saúde bucal não depende apenas da higiene. Na verdade, o trabalho de prevenção começa justamente com o tipo de alimento que a criança ingere, determinando se ela estará livre, ou não, de cáries e outros problemas.

Produtos industrializados e ricos em açúcar e amido são a principal fonte para o surgimento de problemas dentais na criança. Evite esses alimentos e procure oferecer um cardápio mais saudável, como frutas e carnes.

Além de serem opções melhores para o desenvolvimento da criança, a solidez de frutas e carnes auxiliam no fortalecimento dos dentes e permitem que os dentes de leite caiam em um momento adequado.

Dica 3 – Promova hábitos saudáveis diariamente

Não descuide da higienização dos dentes de seu filho! É preciso reforçar a importância dessa prática todos os dias até a criança assimilar o hábito e realizar sozinho todas as atividades necessárias para limpar sua boca.

A melhor atitude para isso é elogiar cada iniciativa correta da criança. Ao mostrar e reforçar que ele aprendeu, seu filho ou filha vai desenvolver um senso de responsabilidade, associar boas práticas com algo correto e aprovado pelos pais.

Contudo, esse estímulo não pode estar vinculado a recompensas e presentes, principalmente se envolver doces e comidas industrializadas. Isso cria um efeito contrário e a criança vai escovar o dente apenas para ingerir mais açúcar.

Dica 4 – Converse com a criança

Mesmo com crianças pequenas, a conversa é uma boa aliada para reforçar hábitos saudáveis, principalmente quando envolve a saúde bucal. Mostre os problemas que uma escovação e higienização mal realizadas podem ocasionar.

Mostre que a saúde bucal é importante para evitar problemas mais graves, como a perda do dente ou dores. Para isso, utilize exemplos que façam sentido para a criança, como desenhos, ilustrações e até colegas da creche ou escola.

Envolver seus filhos em “conversas” com adultos mostra à criança que ela está crescendo, associando iniciativas de higiene bucal com esta nova fase de sua vida.

Dica 5 –  Faça do dentista um amigo da criança

Por fim, os pais precisam mostrar que o dentista não é um inimigo. Muitos adultos acabam associando a imagem desse profissional a dor e sofrimento – o que naturalmente faz com que as crianças tenham medo quando precisam fazer a consulta.

Aliás, assim que surgir o primeiro dentinho, já é recomendável marcar uma consulta para que o dentista possa avaliar a saúde bucal e passar mais informações para garantir o desenvolvimento saudável dos dentes de leite.

O ideal é fazer uma visita a cada seis meses – mesmo período para um adulto. Na verdade, seria ideal marcar consultas conjuntas entre pais e filhos, ajudando a afastar qualquer receio que a criança possa ter desses profissionais.

Ao seguir essas dicas, você irá garantir que seu filho desenvolva hábitos saudáveis. Mas só um profissional pode analisar e indicar os melhores produtos odontológicos para garantir um pleno desenvolvimento da saúde bucal.

Dica 6 – Usar livros infantis sobre esse tema

  • E o dente ainda doía

livro infantil sobre cuidados com os dentes

Esse livro é bem legal, minha filha gosta bastante. É sobre um jacaré que estava com uma baita dor de dente… coitado do jacaré! Para tentar ajudar o jacaré apareceram muitos animais, coelhos, sapos, ratos, tatus, toupeiras, patinhos e outros bichos, cada um dava uma dica do que o jacaré deveria fazer para acabar com aquela dor de dente. O jacaré seguiu todos os conselhos… mas, e o dente? O dente ainda doía… Como será que vai acabar essa história??

Ótimo livro de Ana Terra, autora e ilustradora, além da história ser cativante para os pequenos, ela brinca com os números, a história tem ritmo e diverte as crianças.

Esse livro foi lançado pela editora DCL e você pode comprar “E o dente ainda doía” na Amazon clicando aqui.

Para ver mais dicas de livros infantis com o tema dentes e outras atividades acesse: Dicas de atividades infantis com o tema dentes

como largar a chupeta
Super dica para ajudar seu filho a largar chupeta sem traumas. Imagem: BeabaBaby

-> Como tirar a chupeta sem traumas?

De acordo com especialista, depois dos dois anos o acessório pode causar sérios problemas bucais.

A chupeta é uma grande aliada dos pais para o relaxamento das crianças, porém após os dois anos esse acessório pode comprometer a saúde bucal do bebê. É nessa idade que a começa a formação óssea, então o uso excessivo pode causar o estreitamento e o aprofundamento do palato, além de influenciar no desenvolvimento da arcada dentária, podendo atrapalhar inclusive na respiração e na alimentação dos pequenos.

Segundo a odontopediatra Ianara Pinho, a chupeta se não for usada de forma correta pode se tornar um vício.

“O ideal é que a criança não use o acessório, mas, se não houver outra alternativa, os pais devem optar pela ortodôntica, podendo ser usada até um ano e meio ou dois”.

Como desapegar da chupeta:

Primeiro, de acordo com a especialista, esse momento tem que ser confortável tanto para criança quanto para os pais.

“É importante que não se tenha mais de duas chupetas em casa. Outro método é não deixá-la sempre disponível, ou melhor, apenas quando a criança for dormir”.

Como o prazer dos pequenos em chupar o acessório é a pressão que ele faz no céu da boca. A odontopediatra ensina a fazer um pequeno furo no bico, para que entre ar e a sucção seja menos prazerosa.

“Essa abertura deve ser ampliada aos poucos, sem que a criança perceba. Isso vai deixá-la desconfortável ao chupar”.

Ela também garante que a técnica tem dado bons resultados no consultório.

Mas, se pais perceberem que seus filhos estão resistentes em relação ao desapego da chupeta, é preciso buscar orientação de um odontopediatra. Para a Ianara, é  importante que a criança perca esse hábito de forma menos traumática possível, porém se realmente for detectado algum problema emocional, ela aconselha o auxílio de um psicólogo.

Doenças x chupeta

Fala e mastigação:

A fala pode ser alterada, possibilitando o surgimento de  deficiências na dicção, deixando a fala mais anasalada ou rouca. Já a mastigação, tende a ser vertical e unilateral, no caso invertida, o que pode afetar as articulações mandibulares, causando deglutição atípica, influenciado inclusive na alimentação da criança.

Respiração:

A respiração da criança passa da nasal para  bucal ou mista.

Ouvido:

A chupeta também pode ser uma facilitadora da migração das secreções nasais para o ouvido, ocasionando uma otite aguda.

Quer mais informações sobre universo materno?

Mandamos conteúdos exclusivos sobre educação infantil, chá de bebê, enxoval, e muito mais!

Comente com o Facebook

comentários