Dicas sinceras para parar de fumar na gravidez

imagem bolsa de mulher

Se você fuma e planeja ou está grávida, tenho duas afirmações que tenho certeza que já aconteceu com você e outra que você está cansada de saber: 1 – você já tentou parar de fumar e não conseguiu e 2 – você não precisa de ninguém para te falar que fumar durante a gravidez é prejudicial para você e o bebê.

O fato é que não é fácil desfazer de um hábito e da dependência química que o organismo desenvolve em relação a nicotina, e mesmo tendo o motivo mais nobre e precioso, livrar-se do cigarro não é tão simples. Então separei dicas sinceras para te ajudar, dá uma olhada:

1 – A gravidez é só a primeira fase

Antes mesmo de falar sobre câncer de pulmão, fumante ativo e passivo e outras coisas práticas, é preciso encarar um fato importante: não adianta cultivar uma vida saudável apenas durante a gravidez, ela é importante para o desenvolvimento físico do bebê, mas o acompanhamento emocional, o crescimento e o conhecimento que esta criança buscará depois de nascer depende plenamente dos pais.

Por isso, estar bem e saudável é essencial para ajudar nessa caminhada.

2 – O estresse de parar de fumar é quase inofensivo

Uma das principais justificativas para não parar de fumar é baseada na crença de que o estresse emocional e físico que a mulher vai sofrer afetará intensamente o bebê.

De fato existe um “choque estrutural” no corpo e um sofrimento da mãe por deixar de ter um prazer, mas o efeito do cigarro na gravidez é infinitamente pior. Ao invés de acalmar e relaxar, em resumo, o cigarro aumenta os batimentos cardíacos e a pressão sanguínea.

Leia sobre depressão pós-parto e entenda melhor o mecanismo do estresse.

3 – “Já comecei fumando, agora não faz diferença”

Para a gravidez e para sua vida, um dia a menos fumando já é uma grande vitória e os resultados vão melhorando gradativamente. Mesmo que já tenham passado os três primeiros meses de gravidez, parar de fumar vai impedir que seu filho tenha outras sequelas, como nascer com baixo peso ou prematuro, por exemplo.

4 – A dor na consciência materna

Sabe uma das coisas mais difíceis de ser mãe? Ver o filho sofrer. Quantas mães choram junto com seus bebês quando eles são levados para tomar vacina? Agora imagina a dor na consciência de uma mãe que não sabe exatamente se uma doença ou condição desfavorável de seu filho foi causada por um vício dela de antes, durante ou que permaneceu após a gravidez?

5 – O momento é favorável para reverter o aumento de peso

Muitas pessoas que conseguem parar de fumar ganham peso e juntando com o ganho de peso normal da gravidez, isso pode parecer assustador e irreversível, mas não é. O acompanhamento de um profissional garantirá que o controle de peso seja alinhado com uma alimentação saudável.

Adesivos e até chás de ervas não são indicados ou contra-indicados para mulheres grávidas. É preciso notificar seu médico e sua doula na primeira consulta, assim como pedir ajuda para amigos e marido para se livrar desse vício. Não menospreze o tamanho do desafio, deposite todas suas energias para ter vitória, e não desanime, mesmo se houverem recaídas.

Uma das coisas mais belas sobre se tornar mãe é que nos redescobrimos como novas mulheres, fortes e determinadas. Nada ou ninguém toca nossos filhos sem nossa constante vigilância. Somos protetoras, somos abrigo. E é esse abrigo que estará sendo fortificado quando parar de fumar, e você tem todo meu apoio e respeito para esta tarefa.

Quer mais informações sobre universo materno?

Mandamos conteúdos exclusivos sobre educação infantil, chá de bebê, enxoval, e muito mais!

Comente com o Facebook

comentários