A caixa de tesouros da natureza tem como objetivo esse despertar para o mundo ao seu entorno, para a beleza que mora ao lado, para que se apropriem do espaço em que vivem, com esse olhar atento podendo assim ver a natureza ao seu redor muitas vezes escondida.

Como é importante o contato com a natureza para o desenvolvimento da criança, brincar livremente e explorar o mundo ao seu redor sem reservas.

A idéia é que também as famílias estejam inteiramente envolvidas, de forma a propiciar essa interação da criança com a natureza, saindo de casa, coletando material, observando a natureza, sendo incentivadores dos filhos na busca por esses tesouros.

Há pais que levam a criança no parquinho e ficam o tempo todo no celular, dessa forma eles não estão inteiramente presentes e atentos a esses momentos de conexão com a natureza.

Ainda há pais que quando a criança toca numa árvore, já passam álcool gel nas mãos do filho. Esses pais precisam entender em primeiro lugar que a criança é muito sensitiva, ela precisa tocar e sentir a natureza com toda sua diversidade e assim fazer conexões.

Explorar texturas, cores e cheiros é uma experiência sensorial muito rica. Se os pais limpam as mãos da criança o tempo todo, ela vai entender que precisa evitar o toque, desenvolvendo uma aversão as coisas da natureza, achando aquilo ruim e sujo. Portanto é muito importante que a família esteja envolvida em tudo e não somente a criança.


Aproveite e confira:


Que criança que sai na rua e não volta para casa com uma pedra que achou diferente, uma flor, um pedaço de galho, uma semente diferente, etc…crianças amam essas descobertas, elas enxergam esses pequenos detalhes como verdadeiros tesouros, por isso chamamos de tesouros da natureza, são elementos que despertam a curiosidade e portanto a criança quer trazê-los consigo como um verdadeiro tesouro.

A caixa de tesouros da natureza é simplesmente oferecer a criança uma caixa vazia na saída de casa para passear, aonde ela vá coletando ali dentro tudo o que achar interessante pelo caminho. Ela pode coletar, escavar, procurar, etc,

No retorno para casa é possível observar e organizar os “tesouros” encontrados, ver a natureza que há em seu entorno, é um reencontro com seus espaços, é conhecer o mundo ao seu redor, as particularidades da natureza que há a sua volta, ou seja, na sua rua, no seu condomínio, no parquinho que se vai com frequência…gerando uma conexão e muitos momentos divertidos de descobertas e brincadeiras.

Fonte: https://conexaoplaneta.com.br/

O adulto precisa estar preparado para lidar com a sujeira, geralmente a sujeira incomoda os pais, e acaba passando para as crianças essa percepção de que se sujar é ruim, então para não se sujar se evita o contato com a natureza. Para que isso não ocorra é preciso uma conscientização familiar, abrindo espaço para que a criança possa explorar o meio ambiente sem esse tipo de restrição.

Uma dica valiosa, é quando forem fazer esse tipo de saída exploratória, já colocar na criança uma roupa e calçados apropriados, os quais ela possa sujar livremente, sem reservas dos pais, assim os pais se sentem mais tranquilos e a criança se sente mais livre, tornando todo o passeio mais

agradável. Lembrando que cada mancha e marquinha, traz consigo uma experiência, uma história, um momento vivenciado, e a vida é feita exatamente disso, experiências vividas e momentos vivenciados.

Então como começar com a caixa de tesouros da natureza?!

Comecem definindo o trajeto que será percorrido, lembre de vestir a criança com roupas leves, confortáveis e que possam ser sujas sem neuras. Ofereça a criança uma caixa para colocar seus tesouros encontrados, essa caixa de papelão pode ser de vários tamanhos, mas o ideal é que seja uma que a própria criança possa carregar sozinha, então melhor que seja pequena e adequada as suas mãozinhas, como uma caixa de ovos pequena por exemplo.

E comecem a jornada juntos, de forma observatória e exploratória, a natureza é o melhor pátio de brincar da criança, tudo está ali ao alcance das suas mãos e da sua imaginação. É uma oportunidade que a criança tem de viver a natureza com calma, lembre-se que a pressa não faz parte desse momento.

A criança observa, explora, toca, pega, cheira, quando ela olhar para uma pedra, e achar ela interessante está fazendo uma distinção das demais como cor, tamanho, forma, etc, ela cria vocabulário, ela trabalha movimentos de motricidade, ela reflete sobre o seu entorno, daonde veio aquela pedra, do que é feita, etc.

O legal também é que a exploração nunca é a mesma, tem dias que a criança quer comparar cores e tamanhos, outras vezes ela quer agrupar, outras vezes contar, outras vezes apenas trazer para casa algo inusitado como uma casca de besouro, uma asa de borboleta, etc. E assim a caixa de tesouros vai se enchendo de preciosidades coletadas.

Depois de recolher os tesouros, a caixa retorna para casa e a brincadeira continua, entrando uma outra parte da atividade, que é estudar o que se foi coletado de acordo com a faixa etária da criança. Estudando que flores são aquelas? Qual o período que desabrocham? As pedras são sedimentos de que tipo de rochas? ou estudar características daqueles elementos coletados, como de quem cor eles são? de que formatos? quantos foram coletados? fazer pareamento, sequência, estudar sobre as estações do ano e a relação com os elementos que foram coletados, etc.

E assim tudo vira conhecimento. Depois essas caixas podem ser catalogadas e guardadas, de forma que a criança tenha acesso a elas, e possa seguir manipulando e explorando seus tesouros.

Algumas dicas:

  • Deixe que as crianças explorem os ambientes e achem seus pequenos tesouros. Você pode direcionar, mas não faça por elas.
  • Fique atento para a criança não pegar nada que tenha pontas, farpas ou espinhos. Verifique se não tem nenhum inseto nas folhas e troncos.
  • A bagunça vai depender de como a criança vai explorar a natureza, então sem neuras.

Alguns itens para incrementar!

Ana Paula Fernandes - Equipe Sou Mãe

Casada, mãe de segunda viagem, descobrindo um novo universo, o universo das mães! E compartilhando um pouco de suas descobertas aqui no Sou Mãe!

Compartilhar
Publicado por
Ana Paula Fernandes - Equipe Sou Mãe

Conteúdo Recente

Nova Lei da cadeirinha

A Resolução 277 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) que está em vigor no Brasil…

% dias atrás

Quartos infantis: 5 dicas de como decorar

Repaginar quartos infantis é sempre empolgante, pois geralmente, para eles, é o cômodo preferido da…

% dias atrás

Álcool baixa febre?

Será que álcool baixa febre? Você sabia que esse costume é muito perigoso, pois pode…

% dias atrás

Líquido Amniótico

O líquido amniótico é o fluido que envolve o bebê durante toda a gestação preenchendo a bolsa amniótica (que é…

% dias atrás

4 Dicas de móveis para seu espaço de home office

Você precisa montar o espaço de home office e tem dúvidas sobre quais móveis vale…

% dias atrás

Tampão Mucoso

O tampão mucoso é uma secreção mucosa, bem espessa produzida na fase inicial da gestação…

% dias atrás