Desidratação Infantil: Quais os Perigos?

desidratacao

A desidratação em crianças é um assunto que merece muita atenção da família. Se você acha que se trata apenas de perda de água, está enganada. Informe-se melhor agora sobre o tema.

Um problema que pode levar à morte. A desidratação é a perda de água e também de sais contidos no organismo. Nas crianças, normalmente não vem sozinha, mas como consequência de uma doença, como a infecção intestinal.

Sintomas da Desidratação

1 – Criança Abatida

Uma criança normal costuma ter energia de sobra. É claro que algumas são mais ativas do que outras e, por isso, você deve observar as mudanças do comportamento normal do seu filho.

Se ele costuma ser brincalhão e agora está abatido, desanimado algum problema pode existir. Converse com ele para saber se está sentindo algo. E, mesmo em negativa, leve-o ao pediatra para ser examinado.

2 – Criança Fica Debilitada

A falta de energia e disposição são sintomas de que o organismo da criança está dando um aviso de que algo não vai bem.

Mais uma vez, o médico sempre deve ser consultado e assim que você perceber esses estranhos sinais.

3 – Falta de Lágrimas

Seu filho chora, mas quase não há lágrimas. Os olhos mal lacrimejam. Verifique se há secura nos seus olhos.

4 – Não Urina

A criança faz menos xixi e, quando vai fazer, sai pouco líquido.

5 – A Boca Fica Seca

Você percebe que os lábios da criança estão rachados ou esbranquiçados? Pode ser sinal de que ele perdeu muita água.

6 – A Pele Fica Seca

Tente apertar sua pele. Ela está sem elasticidade e demora a voltar para o lugar? Pode ser desidratação.

7 – Vômitos e Diarreia

Esses sintomas são comumente associados à gastroenterite ou infecção intestinal, estomatite, faringite, entre outras doenças que propiciam a desidratação. Se o seu filho ainda não foi diagnosticado, converse com o pediatra sobre esses sintomas.

A criança deverá passar por exames para descobrir a causa do problema e por um tratamento para o combate à doença e aos sintomas.

Cuidados

  • A desidratação pode surgir a partir das altas temperaturas às quais os pequenos ficam expostos. É muito importante que eles sejam estimulados a beber bastante água.
  • Se a criança vomita, tem diarreia ou sua muito (comum em bebês, que têm maior dificuldade de repor água), essa atenção deve ser dobrada.
  • Cuidado com as viagens curtas ou longas nesses períodos. Aquele lanche mal acondicionado no carro pode ser um foco de proliferação de bactérias, que podem levar as crianças às doenças e, assim, à desidratação.
  • A conservação dos alimentos deve ser uma preocupação constante, ainda que em uma rotina de férias, diferente da de casa.
  • Antes de oferecer água, saiba qual a sua procedência. A água de um rio qualquer pode conter coliformes fecais e muitas outras bactérias nocivas à saúde do seu filho e de toda a sua família.
  • Outra dica é manter o quarto sempre fresco. A transpiração excessiva ocasiona na perda de líquidos, água e sais do organismo.

Tratamento

O pediatra é a pessoa mais indicada para te indicar o tratamento eficaz para o seu filho. Isso porque ele irá tratar o problema e os sintomas. A causa em toda a sua extensão.

Não espere que o quadro da criança se agrave. Procure um médico o mais rápido possível.

Para amenizar a desidratação, há o soro caseiro:

– 1 litro de água filtrada ou fervida;

– 1 colher rasa de chá de sal;

– 2 colheres rasas de sopa de açúcar.

 

Esclarecemos suas dúvidas? Esperamos que sim.

Veja este artigo sobre como dar um banho gostoso e refrescante no seu bebê!