Icterícia em bebês, o que é e como tratar?

A icterícia neonatal ou mais popularmente conhecida como “amarelão” atinge cerca de 50% a 70% dos recém-nascidos, sendo ainda mais comum em bebês prematuros. Ela altera a coloração da pele do bebê, para a cor amarela. Inicia-se na cabeça e vai descendo para o tórax, abdômem, braços e pernas, também pode alterar o branco dos olhos para a coloração amarela.

O pico da icterícia costuma acontecer entre o segundo e terceiro dia de vida, por isso geralmente é diagnosticada e tratada na própria maternidade mas ela pode surgir até o sétimo dia de vida do bebê por isso é muito importante a observação dos bebês nos primeiros dias de vida e não adiar a ida ao pediatra que geralmente ocorre na primeira semana do bebê.

Em 10% dos casos o quadro da icterícia pode evoluir para algo mais sério como lesões cerebrais em vários níveis podendo desencadear desde a surdez até danos mais graves no cérebro, por isso a importância do diagnóstico precoce e o tratamento adequado. O “amarelão” se inicia na cabeça e quando passa da barriga e/ou pernas indica a necessidade de tratamento urgente.

Qual é a causa da icterícia?

A responsável pela icterícia é a bilirrubina uma substância que é produzida pelo metabolismo das células vermelhas do sangue. Nos recém-nascidos ela geralmente se encontra em níveis elevados porque eles possuem glóbulos vermelhos extras no corpo e seu fígado não consegue metabolizar o excesso de bilirrubina. A medida que os níveis de bilirrubina aumentam o amarelo vai descendo, começando pela cabeça até chegar aos pés.

Existem alguns fatores que podem auxiliar o bebê a desenvolver  a icterícia:

  • Bebês prematuros;
  • Baixo peso;
  • Imaturidade do fígado;
  • Mães diabéticas;
  • Falta prolongada de oxigênio no parto;
  • Criança não aquecida corretamente ao nascer;
  • Reação ao leite materno;
  • Mãe com grupo sanguíneo diferente do bebê.

Qual o tratamento?

Se o seu bebê estiver com a pele amarelada, o pediatra fará um exame de sangue para determinar a concentração de bilirrubina presente no sangue e definir qual o melhor tratamento. A determinação do tratamento dependerá de vários fatores como a concentração de bilirrubina no sangue, o peso do bebê, etc…

Quando a icterícia é leve, o médico poderá indicar apenas banhos de sol de cerca de 15 minutos por dia nos horários antes das 10h e após as 16h.

Nos casos mais evoluídos do quadro da icterícia é necessário tratamento com fototerapia ou como mais popularmente é chamada “banho de luz” aonde o bebê é colocado em um berço sem roupas e com os olhos cobertos por uma máscara protetora sob exposição de luzes fluorescentes azuis que ajudam a metabolizar a bilirrubina, para que ela seja excretada pelo fígado.

Nos casos de incompatibilidade sanguínea entre mãe e filho ou alguma outra doença associada, se a hiperbilirrubinemia chegar a níveis perigosos o tratamento é feito com fototerapia intensiva prolongada e pode incluir até transfusão de sangue.

É importante lembrar que a icterícia passa rápido, na maioria das vezes sozinha sem ser necessária nenhuma intervenção e não deixa nenhum tipo de sequela, exceto em casos gravíssimos.

 Como saber se o meu bebê está com icterícia?

Existe um teste simples que pode ser realizado em casa, em um ambiente bem iluminado faça uma pressão no peito do bebê se a pele ficar amarelada quando você parar de fazer a pressão, pode ser um indício de que o bebê está com icterícia, contate o seu pediatra e lhe explique a situação, ele saberá como lhe auxiliar.

Comente com o Facebook

comentários