Parto – Como saber se a bolsa estourou?

Imagem: Pinterest

Não vamos mentir, antes de pensar em ter filhos, as referências que tínhamos sobre “hora do parto” eram dos filmes americanos e as novelas como Barriga de Aluguel (alguém aí se sentindo nova demais para assumir que pelo menos sabe de que novela estou falando? “Agora agueeenta, coração, já que inventou essa paixão…”), o que na minha sincera opinião, era um pouco aterrorizante imaginar que a bolsa estouraria a qualquer momento e um jato de líquido sairia.

Mas aí vieram as aulas de biologia do corpo para fazer o primeiro “choque de gestão” e nos deixar um pouco menos desejosa em relação à ter filhos. Era a adolescência, o final dela e a vida adulta de solteira para te fazer adiar os planos de gravidez para mais tarde. Falar de parto? Só se fosse dentro de sua profissão.

Aí, quando você encontrou o parceiro perfeito, o pai dos seus filhos, o coração pediu: Vamos ter um bebê! Vocês se empolgaram e fizeram mil planos pensando naqueles casais felizes correndo na praia junto com seus filhos e esqueceram que antes disso muita coisa precisava rolar.

E um grande momento que está entre vocês hoje e a família que corre feliz e saltitante na praia é o parto! O nascimento do bebê. Então vamos falar um pouco desse momento.

Os sinais do parto

Existem vários sinais que o corpo emite para o parto, mas não necessariamente você vai sentir todos. Os principais são: as contrações, a dilatação do colo do útero a perda do rolhão mucoso e o rompimento da bolsa.

Eles não ocorrem necessariamente nesta ordem nem todos de uma vez só. E muito se lê sobre as contrações e a dilatação, mas o rompimento da bolsa e a perda do rolhão (ou tampão) mucoso não são muito abordadas. Por isso vamos falar um pouquinho mais sobre eles.

O tampão mucoso se parece com uma “gosminha” (me desculpa o termo, mas é o mais real que encontrei). Ela pode ser mais transparente ou rajada de sangue, tudo depende das condições dos vasinhos sanguíneos da região do útero em que ele fica. Essa “secreção mucosa” (nome científico do que eu chamei de “gosminha”) é responsável por bloquear o colo do útero e como um dos primeiros sinais do parto, é liberada pela vagina. Isso pode acontecer até semanas antes do parto.

E como saber se a bolsa estourou?

Nesse momento é preciso pedir licença para todas as imagens de filmes e novelas que você já assistiu da bolsa estourando, pois nem sempre é assim. Nessa altura do campeonato você sabe que ela pode ou não estourar antes do parto, pois existem os casos de parto empelicado aonde o bebê nasce dentro da bolsa, igual o da Gisele Bundchen que comentamos, lembra?

Então, se a bolsa estourada não é determinante para o parto, porque é importante? Porque quando a bolsa estoura, o bebê perde uma considerável proteção contra bactérias que agora podem entrar no útero. O líquido amniótico que envolve o bebê começa a sair pela vagina, e inicialmente é bem claro e às vezes com cheiro de corrimento. Com a continuidade da saída, ele pode ficar mais esbranquiçado.

A diferença do rompimento da bolsa e um xixi é que não é possível segurar a saída do líquido amniótico como é possível segurar o xixi, mesmo que em pequenas quantidades. Quando isso ocorrer, o ideal é que você entre em contato com seu obstetra ou doula para saber qual procedimento adotar. O parto pode estar perto de acontecer, mas após quatro horas de “exposição”, a saúde do bebê pode ser comprometida.

Imagem: Pinterest
Imagem: Pinterest

Uma coisa importante de se dizer é que a produção do líquido amniótico não é interrompida e seu bebê não ficará sem esse líquido, que no útero, é essencial para ele.

São detalhes tão pequenos que podem mudar toda a história do seu parto e da vida do seu bebê e não existe maior tranquilidade para a mãe do que ter alguém de confiança para acompanhá-la, seja o obstetra e/ou uma doula. Todas essas dúvidas nesse momento tão intenso precisam ser esclarecidas o mais rápido possível para que o estresse não entre como componente do parto, não é mesmo? Então escolha seu médico e/ou doula com carinho!

Agora queremos saber, como você escolheu o seu médico e doula? E quando você sentiu confiança nele? Compartilhe sua experiência para outras grávidas entenderem a importância desse momento!

 

Comente com o Facebook

comentários