Um pouquinho de tédio faz bem!

http://diariodeumclarissensitivo.blogspot.com.br/2014/07/reconhecendo-anjos-encarnados.html

Tédio, todo mundo precisa um pouco!

Tédio faz bem! Nos ajuda a criar, a imaginar, a desenvolver, a pensar melhor livre de tantos estímulos que nos cercam. Ficar a toa sabe? Não só nós, como nossas crianças estão precisando cada vez mais disso…de ficarem a toa, sem nada pronto ou produzido, sem nenhum filme, desenho, ou joguinho de celular, ficar literalmente sem nada para fazer…acho que isso é mais desafiante para os pais do que para os filhos em si…kkkkkk….

Mas antes que você torça o nariz e diga que não tem nada haver esse papo, eu quero deixar aqui registrado que sim é possível viver sem tantos estímulos, basta voltar um pouco no tempo e lembrar na sua própria infância há 10,20,30 anos atrás… vivíamos em um tempo que a tecnologia não era tão desenvolvida ou melhor não era tão acessível para todas as pessoas, e portanto a maioria delas não tinha acesso a celular, vídeo cassete, cinemas, computadores, etc….eita tempo bom!

O gostoso era subir em árvore, brincar de mangueira no pátio, correr com os cachorros, plantar uma horta no quintal, andar descalço, jogar bolita, deitar no chão e ficar vendo o balanço das árvores, ou os desenhos que as nuvens faziam no céu… mas com o passar do tempo, parece que desaprendemos a viver de forma simples, desaprendemos a ouvir a natureza, e a apreciar o silêncio, a curtir um tédio de vez em quando… os pais não conseguem mais viver sem o fundo musical de galinha pintadinha ou sei lá qual outro programa infantil, (nada contra desenhos infantis), a questão é que não conseguimos mais ficar longe do barulho e da frenesí desse mundo, de longe não conseguimos mais entreter nossos filhos, pois eles sempre exigem mais, já não se contentam com um único brinquedo para brincar, precisam ter muitas escolhas, ou será que somos nós que os acostumamos a sempre terem algo para fazer? Me parece um círculo vicioso, quanto mais oferecemos de estímulos para eles, mais eles querem…! Todo ser humano é assim a respeito de qualquer coisa que ele goste e que lhe é oferecido, quanto mais temos, mais queremos… Então quanto mais coisas oferecemos a nossos filhos, mais eles querem…

Não sou contra a tecnologia até porque percebo o quanto de avanço ela trouxe para nossa vida como por exemplo, para a medicina, ou para tornar mais prática a vida das donas de casa e mães…difícil viver sem maquina de lavar roupa…kkkk…ou a comunicação que hoje é muito rápida, estamos todos conectados, …ou seja a tecnologia é algo bom e faço uso dela todos os dias na minha vida de uma forma ou de outra! A questão é que temos admirado as coisas criadas pelo homem (festas, programas de TV, roupas, calçados, brinquedos, etc…) e moderamos as coisas criadas por Deus como a família, o tempo, a natureza, o amor, o respeito… e depois não entendemos como as coisas chegaram no ponto que chegaram…

Admito que minha filha nasceu em outra época, uma época mais tecnológica que a minha, então abster ela desse mundo seria criar uma pessoa alienada e esse não é meu objetivo, na verdade quero que minha filha aprenda algumas coisas sobre essas questões: que ela aprenda a admirar a criação de Deus, e as coisas simples dessa vida, quero que o coração dela seja simples para poder valorizar o que realmente tem valor, como um abraço apertado, observar as formigas, sentir o vento no rosto, ver a chuva batendo no vidro, se sujar na areia… mas quero também que ela aprenda a lidar com o mundo tecnológico e cheio de estímulos que a cercam mas com moderação e não com admiração, e isso faz toda a diferença!

Quero ensiná-la a admirar a vida e a criação de Deus e a usar com moderação as coisas criadas pelo homem, quero que os olhos dela brilhem ao ver um arco-íris no céu ao invés de brilharem por um brinquedo que com o tempo vai se quebrar, estragar ou simplesmente ser esquecido dentro do guarda-roupa (pois crianças perdem o interesse rápido por seus brinquedos)…Quero que ela saiba ficar sem fazer nada de vez em quando, quero que aprenda a inventar brincadeiras, a imaginar, a criar, a sair da bolha… pensar fora da caixa!

Por isso precisamos investir mais tempo fazendo um passeio no parque, na pracinha, ou quem sabe inventar um brinquedo novo em casa usando materiais recicláveis e a criatividade! Tempo livre não necessariamente é tempo desperdiçado… se o tempo livre é lendo um livro, ou contando estrelas no céu, ou gasto fazendo brincadeiras em família. Nós como pais precisamos aprender a valorizar o tempo, o silêncio, a natureza, a criação pois dessa forma poderemos ensinar a nossos filhos que a beleza verdadeira você não encontra no shopping, nem nas festas, nem nos programas de TV aonde tudo é ilusório e estrategicamente pensado e feito para prender sua atenção e te envolver de forma que você deseje dia após dia gastar seu tempo e sua vida para adquirir coisas que são completamente sem valor verdadeiro!

Crianças precisam reaprender a ser crianças… e nós pais precisamos permitir que elas sejam crianças assim como nós fomos um dia, sem muitos recursos mas imensamente felizes, capazes de imaginar e criar mundos diferentes, histórias sem fim, e viver altas aventuras sem sair do lugar… isso porque nossos pais nos permitiram ter um pouquinho de tédio!