Vírus mão-pé-boca: como é transmissão, sintomas e tratamento

Vírus mão-pé-boca: como é transmissão, sintomas e tratamento

O nome desta doença (mão-pé-boca) se deve ao fato de que as lesões aparecem mais comumente em mãos, pés e boca. Saiba mais aqui nesse post.

 A doença mão-pé-boca como é popularmente conhecida, é uma infecção viral contagiosa muito comum em crianças antes dos cinco anos de idade, mas pode acometer adultos também, ela é causada pelo vírus Coxsackie da família dos enterovírus que habitam normalmente o sistema digestivo e também podem provocar estomatites (espécie de afta que afeta a mucosa da boca).

A SMPB (síndrome mão-pé-boca) é na maioria dos casos, uma doença branda e benigna, que desaparece espontaneamente após alguns dias sem causar nenhum tipo de complicação. O maior problema costuma ser o risco de desidratação, pois a dor de garganta pode fazer com que a criança pare de aceitar alimentos e líquidos.

De todas as principais causas de exantemas febris (febre + manchas vermelhas na pele), a doença mão-pé-boca é uma das mais fáceis de ser diagnosticada, devido ao seu típico envolvimento da mucosa oral, solas dos pés e palmas das mãos.

mão-pé-boca
https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/

Transmissão do Vírus mão-pé-boca

A transmissão do virus SMPB se dá pelo contato direto com as pessoas contaminadas ou por contato com secreções contaminadas como fezes como na troca de fraldas, saliva por um beijo, secreção das feridas das mãos e dos pés, por objetos como brinquedos e utensílios de uso pessoal que estejam contaminados, alimentos que foram preparados por pessoas contaminadas pelo vírus, contato com roupas contaminadas, etc.

O período de incubação (o tempo de a pessoa se contaminar mas ainda não desenvolver sintomas aparentes) do vírus dura em torno de um a sete dias. Sendo a fase de maior contágio durante a primeira semana, mas cuidado pois mesmo depois de curada a pessoa pode continuar transmitindo o vírus pelas fezes durante aproximadamente quatro semanas.

Principais sintomas:

Na maioria dos casos, os sintomas são leves e portanto podem ser facilmente confundidos com os de um resfriado comum ou de uma virose qualquer sendo praticamente impossível seu diagnóstico clínico durante as fases iniciais.

1- Os primeiros sintomas geralmente são dor de garganta e febre por volta dos 38ºC, mal estar geral no corpo e perda de apetite;

2- Após uns dois ou três dias, do surgimentos dos primeiros sintomas começam a surgir as lesões que são características da síndrome mão-pé-boca. Manchas vermelhas com vesículas branco-acinzentadas surgem na boca, na língua, no céu da boca, parte interna dos lábios, bochechas, amígdalas e faringe;

3- As lesões da boca evoluem de pontos vermelhos e se transformam em pequenas bolhas e posteriormente em úlceras dolorosas semelhantes às aftas comuns, causando muita dor e desconforto;

4- Após o surgimento das lesões da boca, surgem as lesões das palma das mãos e solas dos pés, também podendo surgir nas nádegas, coxas, braços, tronco e face. Essas lesões se iniciam com pequenas bolhas com halo avermelhado em volta, costumam ter de 0,1 a 1cm de diâmetro e podem romper liberando um líquido que é altamente contagioso.

5- Por causa da dor surge dificuldade para engolir e portanto vem a perda de apetite, muita salivação, mal estar geral, vômitos e diárreia.

Nem todas as pessoas contaminadas pelo Vírus Coxsackie desenvolvem o quadro clínico completo da SMPB cerca de 75% dos pacientes têm a síndrome completa, mas o restante pode ter apenas lesões na boca ou na pele. Já no caso dos adultos, a maioria que entra em contato com o Vírus Coxsackie não desenvolve sintoma algum.


Aproveite e confira:


Complicações da SMPB

Uma das complicações mais comuns dessa síndrome mão-pé-boca é a desidratação pois além do mal-estar, a dor de garganta é muito forte, e as lesões são muito doloridas e podem levar a criança a não querer aceitar alimentos e líquidos.

Em alguns casos raros, quando a síndrome é provocada pelo vírus Enterovirus A71, ela pode ser mais perigosa, pois há um risco maior de complicações, como o desenvolvimento de encefalite (inflamação do sistema nervoso central), meningite ou miocardite (inflamação do músculo cardíaco). Por isso o acompanhamento com um médico é muito importante, para que ele possa avaliar todo o desenvolvimento da síndrome e observar quaisquer mudanças no curso da SMPB.

Tratamento

Ainda não existe vacina aprovada contra a doença mão-pé-boca (embora tenham algumas em teste). No geral como em outras viroses, a SMPB regride espontaneamente depois de alguns dias, por isso o tratamento é realizado para tratar apenas os sintomas e incômodos da síndrome.

É ministrado anti-inflamatórios e analgésicos comuns para controlar os sintomas de dor e febre e nos casos mais graves de desidratação a internação hospitalar pode ser necessária.

Recomendações

Para aliviar os sintomas, algumas recomendações que você pode adotar:

  • ofereça alimentos pastosos, como purês, mingaus, gelatina e sorvete;
  • ofereça muita bebida gelada, como sucos naturais, chás e água para manter uma boa hidratação;
  • Lavar bem as mãos antes e depois de lidar com a criança doente, como troca de fraldas, banhos, levá-la ao banheiro, etc.
  • evitar contatos diretos com o paciente como beijos e abraços;
  • manter a casa bem ventilada e higienizada;
  • não compartilhar objetos pessoais como copos, talheres, etc.
  • descartar adequadamente fraldas e lenços em latas de lixo fechadas para evitar contaminação;
  • lavar superfícies, objetos e brinquedos que possam ter tido contato com o indíviduo contaminado. Lave com água e sabão e depois desinfete com solução de água sanitária diluída com água (1 colher de sopa de água sanitária diluída em 4 copos de água limpa);

Importante lembrar que por conta da doença ser altamente contagiosa, aos primeiros sintomas evitar que a criança tenha contato com outras pessoas.

Categorias Etc

close