Aborto espontâneo: saiba mais sobre o assunto

Você já sofreu ou tem dúvidas sobre o aborto espontâneo? Certamente você conhece alguma mulher que já enfrentou o problema. Saiba um pouco mais sobre esse assunto.

O que é o aborto espontâneo e por que ele acontece?

O aborto espontâneo ou a Interrupção Involuntária da Gravidez (IIG) é um problema que acomete mulheres antes da 20ª semana de gestação. As causas mais comuns são más formações e anormalidades com o desenvolvimento do embrião, traumas na região abdominal, idade avançada e doenças da mãe.

Esse é um problema considerado comum, embora para a mãe do bebê possa ser traumático. Inclusive, mais comum do que se pensa, uma vez que há mulheres que só percebem a gravidez tardiamente. Um sangramento pode ser interpretado como início de uma menstruação ou irregularidade no ciclo, quando, na verdade, pode ser proveniente da perda de um bebê, um aborto espontâneo em uma gravidez ainda desconhecida.

Causas possíveis do aborto espontâneo

  • A perda do bebê nesse início de gravidez não quer dizer que os pais sejam responsáveis. Podem acontecer erros nos genes e cromossomos do embrião que afetam o seu desenvolvimento, o que é normal, não quer dizer que você terá outra gravidez posterior com o mesmo problema.
  • Os embriões podem não ter se formado.
  • Pode ser que o embrião tenha simplesmente parado de se desenvolver.
  • Muito menos frequente, pode ocorrer uma gravidez molar, quando há um conjunto extra de cromossomos da mãe ou do pai em um ovo fertilizado.
  • Saúde irregular da mulher – Se a gestante apresenta infecções, diabetes que não esteja sendo controlado, problemas hormonais, de útero ou colo de útero, tireóide ou é fumante, por exemplo, há maior risco de aborto espontâneo. Por isso, ela deve conversar com o seu médico.
  • A idade da mulher pode também ser um fator preocupante. Mulheres com mais de 35 anos têm mais chances de ter um aborto involuntário.

Problemas com uma nova gestação

Caso a mulher já tenha passado por um ou dois abortos espontâneos anteriores, são maiores as chances de uma nova perda. Se há problemas congênitos ou genéticos na família, também há um risco mais elevado.

Sintomas do aborto involuntário

  • Dores de cabeça, sendo elas intensas ou persistentes.
  • Dor abdominal forte.
  • Corrimento na região da vagina com mau cheiro.
  • Perda de líquidos pela vagina.
  • Perda de coágulos de sangue pela vagina.
  • Inatividade de movimentos do feto por horas.

Há como evitar o aborto?

De acordo com o seu caso, o seu médico irá orientá-la sobre como proceder, como fazer repouso, outros cuidados especiais ou procedimentos médicos que possam reduzir o risco.

O que fazer após sofrer a perda do embrião?

É possível que ainda haja vestígios do embrião no útero da gestante. Por isso, ela deve ser examinada e, em caso afirmativo, eles devem ser retirados, de forma a evitar infecções e outras complicações.

 

Esperamos que as informações sobre o aborto espontâneo tenham sido esclarecedoras para você. Se achou o conteúdo útil, compartilhe com outras mulheres.

Quer saber mais sobre a gestação? Confira aqui. Temos uma outra dica legal, para aprender a contar a gravidez em semanas.

Quer mais informações sobre universo materno?

Mandamos conteúdos exclusivos sobre educação infantil, chá de bebê, enxoval, e muito mais!

Comente com o Facebook

comentários