Uma amiga que tem 3 filhos um dia me falou que quanto mais filhos, mais fácil fica… ok, ela só não comentou que quando um deles fica doente as coisas ficam bem piores.

Tenho 2 filhas, Isabela de quase 4 anos e Elisa de 4 meses.

Isabela hoje com quase 4 anos, nessa mesma época do ano (Outono), quando tinha 10 meses teve bronquiolite, ficou 3, 4 dias no hospital, depois foi pra casa e ficou bem, melhorou bem rápido, não precisou fazer fisioterapia.

Isabela no hospital com bronquiolite aos 10 meses

Elisa de 4 meses ficou 3 dias internada no hospital também com bronquiolite (e na mesma época do ano que a irmã teve). O caos começa agora, eu e meu marido nos dividíamos para ficar com as pequenas. Do meio da tarde até o outro dia pela manhã cedo eu ficava com a Elisa no hospital e ele com a Isabela em casa, depois a gente trocava. E claro que ainda tinham as coisas da casa pra gente fazer e claro, dar atenção para a Isabela. (Elisa internou na quinta a noite)

Elisa no hospital com bronquiolite aos 4 meses

Depois Elisa ganhou alta (no domingo) e fomos para casa para começar o descanso (só que não), Isabela entrou de cabeça no modo “difícil de conviver” (acho que por causa da irmãzinha ter ido para o hospital, mamãe e papai se revezando, a vida um pouco fora da rotina, mamãe e papai cansados…) e foram dias bem difíceis com ela, onde tudo estava ruim, muito ruim.

Na quinta levamos Elisa na pediatra, resumindo, ela ainda continuava bem ruim, a médica ficou com medo de termos que levar Elisa para o hospital de novo… receitou remédio e mandou a Elisa começar uma fisioterapia respiratória de 10 sessões em uma clínica.

Começamos a fisioterapia respiratória na quinta mesmo, e todos os dias a tarde Elisa passava pela fisioterapia, eram 10 minutos de nebulização, 15 minutos de massagem e depois aspirar, todos os dias.

Na fisioterapia recomendaram fazermos uma limpa na nossa casa e tirarmos tudo que acumulasse pó principalmente no quarto das pequenas, então lá fomos nós, sem tapete, sem pelúcias, sem protetor de berço, sem mosquiteiro, compramos travesseiros novos para toda a família, aspirador de pó e fizemos a limpeza. Esperamos que isso ajude, vale a pena tentar!

No meio disso Isabela apresentou crises de prisão de ventre, de chorar, de gritar por não conseguir fazer cocô. Desconfio que também pode ser emocional… vamos melhorar a alimentação e tomar um remédio que ajude.

Foram duas semanas (que pareceram muito mais tempo) de bagunça, fisioterapia todos os dias, pediatra, pneumologista, mais pediatra, bebê que não apresentava melhoras, Isabela também precisando de atenção e precisando da calmaria da família.

Será que Isabela (de quase 4 anos) entende alguma coisa? Entende que papai e mamãe estão cansados e estressados pelo conjunto de coisas do dia a dia?

Não sei, mas sei que no dia que estava escrevendo esse post e Elisa ainda estava fazendo as fisioterapias, Isabela me chamou 3 vezes pela manhã para me dar abraços, eu perguntei se estava tudo bem (ela não é muito de abraços de ursos, daqueles profundos, demorados e tranquilos abraços sabe) mas ela disse que estava tudo bem, só queria me dar abraços. E que abraços gostosos!

E a pequenina, mesmo nesses dias complicados, não para de sorrir e agora começou a pegar os pés, uma gracinha.

Então, apesar da desgraça que nossos dias parecem ser as vezes, as nossas pequenas, com simples gestos conseguem nos lembrar que tudo vai passar, tudo vai melhorar!

Atualização:

Elisa está realmente melhor. Agora é continuar cuidando em casa para evitar uma nova bronquiolite. E Isabela só teve bronquiolite aos 10 meses e nunca mais.