Hoje em dia, graças a Deus, você é obrigado a sair da maternidade com o bebê no bebê conforto (para quem tem carro né) e depois que ele cresce passa de bebê conforto para cadeirinha do carro, tudo para garantirmos a segurança dos nossos filhos.

Seja em um passeio em família ou a ida à escola, utilizar a cadeirinha do carro é indispensável no transporte de crianças. Além de ser obrigatório por lei, o item garante que ela fique protegida: 80% das mortes em acidentes poderiam ser evitadas, segundo o Datasus.

Peguei algumas dicas com a Tutti Baby, marca brasileira especializada em itens de puericultura, sobre alguns erros que podem comprometer a eficácia da cadeirinha.

Os 4 erros mais comuns na instalação da cadeirinha:

  • Instalação:

Além de verificar as instruções do manual, é importante garantir que a cadeirinha esteja sendo utilizada corretamente. Uma das falhas que ocorre no uso do bebê conforto, por exemplo, é deixá-lo virado no mesmo sentido do banco traseiro, quando na verdade deve ser fixado de frente para o encosto. Esse cuidado é essencial para que a coluna cervical do bebê de até um ano, que ainda está em formação, seja protegida em caso de batida ou freada brusca. É preciso verificar também os pontos certos por onde o cinto de segurança deve passar, garantindo a fixagem ideal da cadeirinha.

  • Ajuste do cinto:

O importante, segundo a Tutti Baby, é que ele tenha dois dedos de folga para não ficar nem muito frouxo nem apertado demais na criança. O do próprio dispositivo deve ter cinco pontos (dois no abdome e dois passando pelos ombros, que garantem um ajuste central). Para crianças maiores, que já utilizam o cinto do carro, a dica é que ele passe pelo peito e nunca pelo pescoço.

  • Indicação correta de idade:

Cadeirinha muito grande ou muito pequena não é eficaz. Cada modelo é indicado para um grupo de massa, que leva em consideração peso ou altura da criança. Essas informações podem ser encontradas na embalagem ou manual de instruções e precisam ser sempre observadas. Quando o dispositivo ficar pequeno, é importante substituí-lo o quanto antes, para que o cinto não machuque e a criança fique confortável.

  • Utilização de acessórios:

Apoio para cabeça, capas personalizadas e outros acessórios só podem ser utilizados se houver alguma indicação do fabricante. A Tutti baby desaconselha o uso desse tipo de produto, principalmente se a marca não for da mesma da cadeirinha. É importante lembrar que é a segurança a prioridade no caso do dispositivo de retenção e ela não pode ser comprometida.

Quais os modelos de cadeirinha que estamos usando com nossas filhas?

A Isabela estava com 3 anos e pouco e a gente já estava procurando alguns modelos para escolher a cadeirinha dela, até que soubemos do lançamento do assento Elevato. Então para a Isabela, que agora já tem 4 anos e pesa mais de 15 kilos, nós optamos por usar o assento Elevato da marca Tutty Baby. Ele é de plástico polietileno, o tecido é 100% poliéster, removível e lavável. O produto é muito fácil de limpar, rápido de instalar e leve.

cadeirinha-do-carro-crianca

Já para a Elisa que agora está com 6 meses, nós optamos por usar a cadeirinha que a Isabela usava (sim isso mesmo, além de herdar as roupas da mana, Elisa também herdou a cadeirinha). O modelo é o Iseos Neo+ da Bebé Confort, para crianças de 0 a 18 kilos. E facilmente se ajusta na largura para manter-se confortável acompanhando o crescimento da criança.

cadeirinha-do-carro-bebe

Espero que vocês tenham gostado das dicas!