Como ensinar as crianças e adolescentes a usarem a internet

O seu filho gosta de usar a internet como forma de entretenimento? Anote algumas dicas aqui sobre como ensinar as crianças e adolescentes a usarem a internet!

As crianças estão utilizando a internet cada vez mais cedo e isso não é novidade. Porém, os perigos que o mundo online oferece são diversos, mas é possível proteger os pequenos, garantindo um acesso virtual seguro.

Além de contar com aplicativos de monitoramento parental, é preciso ensinar as crianças a usarem a internet. Entre os alertas, informe sobre não aceitar trocar mensagens com pessoas estranhas, alerte sobre a pedofilia conforme a maturidade do pequeno e explique o que é cyberbullying.

Lembre-se de que investir em ferramentas para proteção online é importante, mas você deve conscientizar o seu filho sobre os perigos que a internet oferece. Veja aqui o que considerar!

Imagem: Pixabay

O que considerar ao ensinar as crianças e adolescentes a usarem a internet?

A internet é um lugar que facilita a vida de muitas pessoas e propicia o entretenimento. Mas quando se trata de deixar as crianças conectadas, é preciso estabelecer algumas regras, como o tempo conectado.

Além disso, é fundamental aos pais e responsáveis ensinar as crianças sobre o que pode e não pode fazer online. Outro ponto importante, é alertar aos pequenos, que existem pessoas mal-intencionadas que se passam por amigos, bem como sobre outros perigos.

Confira aqui o que se deve ensinar as crianças para que utilizem a internet de forma mais segura!

1. Peso das postagens

Incentive o seu filho a pensar antes de postar na internet qualquer imagem ou texto. Mostre a ele a importância de se perguntar se tal post não irá ofender alguém ou se a imagem irá prejudicá-lo. Ensine a ele a considerar se tal postagem irá deixá-lo envergonhado, especialmente, perante seus pais.

2. Valores morais

Entenda que por mais atento que você seja, é impossível estar vigiando 100% o que seu filho faz online. Então, considere ensinar o seu filho sobre valores morais, ajudando-o a desenvolver raciocínio próprio. Ou seja, distinguir sobre o certo e errado, apelando para a consciência dele. Assim, ele poderá tomar decisões sábias quando ninguém estiver vigiando-o.

3. Bullying online

Converse com o seu filho sobre o perigo de mensagens e imagens recebidas ou que foram postadas para prejudica-lo. Mostre exemplos de diversos casos de cyberbullying e o quanto isso é prejudicial se não for tratado da forma correta. Conteúdos obscenos, imorais e indecentes em que seu filho foi marcado, devem ser encaminhados ao órgão responsável pela proteção da criança e adolescente.

Imagem: Pixabay

4. Vírus

Explique ao seu filho sobre os vírus que podem estar escondidos nos arquivos e links. Informe sobre o perigo de abrir arquivos de pessoas desconhecidas e acessar links enviados por elas. Instrua sempre mostrar para você qualquer coisa recebida antes de clicar e abrir.

5. Confiança

Deixe bastante claro em o quanto seu filho pode confiar em você. Dessa forma, se ele sentir algo e estiver com problema, vai lhe procurar. Para não estragar essa relação, não o critique, mas mostre saídas para os problemas e o aconselha sobre quais atitudes tomar.

6. Estabelecer prioridades

Ensine-o a fazer o que é mais importante primeiro. Por exemplo, ensine sobre a importância de ter momentos em família e a priorizar isso. Outros pontos incluem: tarefas escolares, tarefas domésticas, tempo para brincar ao ar livre, entre outros. Se precisar, considere usar um cronômetro ou instale um aplicativo de controle parental, que desliga o dispositivo dentro de um determinando tempo de uso.

O que os pais devem se atentar?

Para ensinar um filho a navegar com segurança, os pais precisam estar a parte de alguns pontos. Entre eles:

1. O acesso online é feito de várias formas

As crianças e adolescentes sabem usar a tecnologia, muitas vezes, melhor do que os adultos. Saiba que existem várias formas de acessar a internet e o seu filho sabe disso. Portanto, fique atento aos dispositivos online, como smartphone e tablets.

2. Crianças podem revelar dados pessoais

Sem querer, as crianças podem acabar revelando dados pessoais, inclusive, para pessoas mal-intencionadas. Fique sempre atento, pois os cybercriminosos estão cada vez mais expertos em conseguir, especialmente, dados do cartão de crédito dos pais.

Lembre-se de que a sua orientação é essencial para ensinar as crianças e adolescentes a usarem a internet de forma segura. Portanto, o perigo não está em usar a internet, mas sim, em fazer mau uso.

Fonte: Famisafe Google Play