Arquiteta Carina Dal Fabbro explica como usar o buffet na decoração

- Advertisement -

Peças-chave e muito funcionais na sala de jantar, o buffet também assume função decorativa e traz muito charme ao décor.

Trazendo múltiplas opções de decoração e funcionalidade, os buffets surgiram nas salas de jantar como uma extensão da mesa. Muito presente nas casas inglesas e francesas do século XVIII, as peças cumprem a função de organizar os talheres e louças, além de servir de apoio para comes e bebes durante as refeições. Entusiasta do uso do aparador em seus projetos, a especialista Carina Dal Fabbro, arquiteta à frente do escritório de arquitetura que leva seu nome, pontua que o móvel não precisa estar invisível na sala.

O uso mais comum dos buffets é guardar louças e talheres especiais que não são tão utilizados no dia a dia, mas a sua função tem sido ressignificada pela necessidade de aproveitamento de espaço em casas e apartamentos menores”.  

No décor, o móvel pode servir também de apoio para obras de arte, bandeja de bebidas, cafeteiras e outros objetos decorativos que mostrem a personalidade e estilo do morador, além de compor o ambiente.

No ambiente que segue o estilo mais clean e contemporâneo, o buffet branco suspenso combina com a adega, a cor das paredes, mesa e porta | Foto: Thiago Travesso

Tamanho 

A arquiteta explica que altura ideal para o móvel é de 85 cm e profundidade de 50 cm. A largura, por sua vez, pode variar de acordo com o espaço disponível. “Na hora da escolha, é valioso analisar exatamente o espaço que se tem no cômodo e pensar sempre na circulação”, diz Carina.  

A decisão do modelo depende exclusivamente da necessidade. Se a família tem mais louças para acomodar, por exemplo, a melhor opção é investir em uma peça com portas. Agora, se falta espaço para toalhas de mesa, guardanapos e outros elementos da mesa posta, apostar em um buffet com gavetas é uma boa pedida.


Aproveite e confira:


Com muitas gavetas, o buffet cumpre perfeitamente sua função de armazenar exatamente o que o morador precisa. Neste projeto, Carina utilizou o branco em todos os armários, dando maior sensação de amplitude, e deixou o charme do apartamento por conta do papel de parede que tem como padrão os arabescos presentes no estilo vitoriano | Foto: Priscila Amaral Santos

Cores e estilos

Em se falando de cor, estilo e acabamento, os buffets são democráticos e têm para todos os gostos! Os que atendem ao estilo retrô são marcados pelas linhas horizontais e pés em formato palito. Já os clássicos, muitas vezes acompanham alguma cor sólida do ambiente, como o preto ou branco, e podem ganhar um ar mais moderno quando suspensos. Independentemente do viés decorativo, é fundamental que esteja harmonizado com o restante da decoração. “Há uma infinidade de combinações. Podemos colocar o buffet obedecendo a paleta de tons da sala de jantar ou fazer dele um destaque e apostar em uma cor que contraste com as demais”, afirma Carina.

Com o amadeirado claro das cadeiras palhinha ornando perfeitamente com a persiana e piso, o destaque desta sala de jantar fica todo por conta do buffet. Vermelho e com acabamento fosco, o móvel deixa claro seu estilo retrô com os pés de madeira palito | Foto: Bruno Cardi

Aparador versus Buffet

Ao contrário do que muitos pensam, aparador e buffet não são a mesma coisa. Em linhas gerais, o aparador é um móvel de apoio mais estreito e simples, que possui apenas pé e tampo e marca presença em halls de entrada, corredores e encostados ao sofá como peças decorativas. Carina revela que o aparador dá um tom mais leve à decoração, mas muitas vezes não contribui para a funcionalidade do ambiente. “Os buffets são móveis mais robustos e que possuem um uso interno, já o aparador ajuda apenas no servir”, finaliza.

Gisele Cirolinihttps://www.soumae.org/
34 anos, gaúcha, esposa, mãe de duas meninas, neurótica da rotina (mais relaxada depois da chegada da segunda baby) e fundadora do sou mãe!

Posts relacionados