Como descobrir a depressão infantil, identificar e tratar?

Como descobrir a depressão infantil, identificar e tratar?

A depressão infantil é um problema que tem ganhado cada vez mais atenção entre profissionais e especialistas da área, que buscam atividades e tratamentos alternativos para as crianças, como a produção de macarrão caseiro como atividade lúdica.

Conforme os tratamentos para a depressão avançam, está cada vez mais comum entender e identificar esse tipo de complicação.

A depressão ganhou muito destaque nos últimos anos conforme as pessoas entenderam que não se tratava de um tabu, e sim de uma doença que demanda tratamento e acompanhamento médico, muitas vezes com remédios.

Ainda que esse elemento esteja avançando, ainda existe muita resistência da população geral em buscar apoio para esse tipo de ação, e isso se agrava ainda mais quando o assunto é crianças. 

O mal do século, como é chamada a depressão, afeta pessoas de todas as idades, mas em crianças é ainda mais complicado identificar e diagnosticar, principalmente em crianças menores, que ainda não sabem expor seus sentimentos e se expressar corretamente.

Isso se complica ainda mais com o fato de que alguns sintomas da depressão infantil podem ser confundidos por pais e responsáveis que trabalham em uma fabrica de produtos veganos como questões relacionadas ao processo de alimentação.

Para crianças, muitas questões são consideradas “mãnha” ou “apenas uma fase”, mas a verdade é que existem diversos comportamentos que estão diretamente relacionados à depressão infantil e que precisam ser interpretados corretamente.

Isso porque se trata de uma questão extremamente séria, que precisa ser tratada com exatidão e com consistência. Um distúrbio não tratado ao longo da infância pode acabar fazendo com que a pessoa fique com graves sequelas.

Além disso, esse tipo de problema gera prejuízos durante o período de desenvolvimento da criança, ficando muito mais difícil de tratar conforme os anos vão passando, e em muitos casos mantendo-se até a vida adulta.

Entender o conceito da depressão infantil, saber identificar seus sintomas e entender quais são as possibilidades de tratamento é muito importante.

Compartilhar esse conhecimento também é fundamental para conseguir entender o que está acontecendo com a criança, dando o devido tratamento para o transtorno, assim como fazer um plano de gerenciamento de resíduos de saúde.

Todos os envolvidos podem ajudar, como:

  • Pais;
  • Parentes;
  • Amigos;
  • Escola.

Além de outras pessoas próximas à criança, que, com o conhecimento adequado, conseguem otimizar o tratamento e ajudar mais profundamente a criança com depressão.

O primeiro passo para entender a depressão infantil é entender que esse tipo de transtorno é orgânico sério e deriva de uma série de fatores biológicos, sociais e psicológicos. Por isso, ele não é um simples episódio de tristeza, que normalmente é temporário.

É muito comum que crianças que tenham passado por situações de abuso, possuam um convívio familiar com muitas brigas ou possuam problemas de sono e comportamento possam estar com depressão infantil.

Para que haja um monitoramento da progressão ou regressão do transtorno, os pais podem contratar uma produtora de vídeo comercial para documentar o dia a dia da criança, o que pode ajudar o psiquiatra a analisar a situação melhor.

Entretanto, a doença pode aparecer por predisposição genética ou até mesmo complicações durante a gestação, nem sempre vindo de um histórico complicado para se apresentar na criança.

Em famílias que possuem muitos episódios de depressão, é importante ficar atento, pois isso aumenta consideravelmente as chances de desenvolvimento da depressão infantil. O caso é ainda mais agravado se os pacientes chegarem aos pais, que têm convívio direto.

O acúmulo de experiências e vivências negativas pode acabar gerando um caso de depressão infantil ou mesmo agravamento no quadro caso ele já tenha sido diagnosticado. Existem outros transtornos que podem acabar se vinculando a esse.

É o caso da ansiedade, do déficit de atenção e até mesmo da hiperatividade. Por conta disso, quando identificar esse tipo de situação com a criança, o passo ideal é procurar um profissional especializado que consiga identificar e pensar em tratamentos.

Sintomas da depressão infantil

Existem muitas semelhanças entre a depressão infantil e a depressão em adultos, principalmente com relação a humor, perda de energia, isolamento social e outras questões que acabam comprometendo a pessoa.

Entretanto, existem alguns indícios específicos para as crianças, que devem ser observados com muito cuidado quando há suspeita de que o pequeno está acometido desse mal.

Assim você identifica mais rapidamente a situação e consegue pensar em tratamentos, desde remédios até um período contemplando paisagismo de jardim.

As crianças, em um primeiro ponto, ainda não tem total entendimento ou controle de suas próprias emoções, e muitas vezes tem dificuldade em explicar ou nomear o que estão sentindo em um determinado momento.

Por conta disso, a depressão infantil costuma vir acompanhada de uma somatização do sofrimento, que pode acontecer através de mudanças bruscas de comportamento ou até mesmo de maneira física.

Esses sintomas dependem muito da capacidade cognitiva da criança e de sua faixa etária, uma vez que quanto mais idade ela tiver, mais será capaz de expressar o que está sentindo e quais são os problemas que a estão acometendo.

Os sintomas podem ir desde irritabilidade e reclamações constantes até casos bem mais graves, como pensamentos suicidas. Nem sempre esse tipo de pensamento é abertamente falado, embora isso seja uma possibilidade.

As crianças com pensamentos suicidas e que estão em um estágio mais grave da depressão costumam buscar alguma maneira de se comunicar, o que muitas vezes é apresentado por meio da escrita ou de desenhos caso a criança não seja alfabetizada.

A arte infantil é uma importante maneira de identificar elementos que a criança ainda não consegue ou não se sente confortável de explorar, e isso deve ser um dos sinais mais claros de que existe algum problema a ser resolvido.

Crianças com depressão infantil também costumam ter muitos problemas com relação à escola, desde o retraimento social e o medo de ir até o ambiente de ensino, até mesmo a sensação de rejeição e problemas de memória.

Não é incomum que crianças com depressão infantil prefiram passar tempo sozinhas, isolando-se do ambiente que estão e reduzindo seu desempenho na escola, ainda que elas acatem qualquer tipo de ordem que seja dada a elas.

A obediência em extremo pode ser um sinal de depressão, e os pais devem observar esse tipo de comportamento, principalmente se ele mudou recentemente esse tipo de ação.

Embora a hiperatividade seja muito comum em crianças com depressão, a hipoatividade também pode ser um sintoma relacionado ao distúrbio. Nesse caso, a ausência de expressão é um dos sintomas maiores.

Falas vagarosas, tons baixos e respostas secas e monossilábicas são um indicativo de que há algo a se observar.

Tratamento da depressão infantil

O tratamento para a depressão infantil envolve uma série de ações que devem ser utilizadas em conjunto para otimizar o processo de cura e dar apoio e suporte para a criança durante todo esse período.

Alguns dos tratamentos para esse tipo de transtorno são atividades lúdicas com outras crianças em um espaço próprio para essa integração, como clínicas infantis que utilizam capachos personalizados de porta e desenhos nas paredes.

Além disso, é fundamental o envolvimento de todos os membros da família para a realização de atividades, exercícios e outras ações de desenvolvimento que ajudem a criança a se expressar melhor e conseguir lidar com esse tipo de situação.

Em alguns casos, o uso de medicamentos antidepressivos é importante, principalmente em casos mais graves. É imprescindível que haja uma atenção especial aos períodos de medicamento para que eles façam efeito.

O apoio da psicoterapia é fundamental para alcançar a criança e criar um diálogo funcional, entendendo suas dificuldades e o impacto que o tratamento fará para a saúde mental dela. Normalmente, o tratamento para crianças é diferenciado.

O uso do lúdico é recorrente, entendendo que brincadeiras e jogos são a melhor maneira de falar uma linguagem que a criança consegue entender, normalmente identificando padrões e causas desse tipo de angústia.

Isso pode se refletir através de massa de modelar, desenhos, teatro de fantoches e diversas outras brincadeiras que atraem as crianças e as deixam mais confortáveis para apresentar seus medos e dores, assim como uma empresa de funcionários terceirizados faria com seus empregados.

O ambiente familiar também deve ser modificado para lidar com esse tipo de situação, uma vez que ele afeta diretamente o emocional da criança. Em lares com muitas discussões e brigas, a tendência é uma criança com depressão se fechar ainda mais.

Procurar um ambiente saudável de convivência entre todos os membros da família é um passo importante para ajudar a criança, e em muitos casos é preciso pensar em tratamentos familiares ou terapias em grupo para lidar com todas essas questões.

Considerações finais

Identificação e tratamento da depressão infantil são o melhor caminho para resolver esse distúrbio que afeta diversas crianças no mundo todo. Por isso, é muito importante saber identificar estes elementos para conseguir proteger a criança.

Seja na escola, em casa ou em alguma atividade extra, todos os adultos envolvidos com crianças devem ficar atentos aos sinais, uma vez que eles não são tão claros quanto os de depressão em adultos, que podem ser registrados em um sistema gravação de ligações.

Por isso, o cuidado inicial e o acompanhamento com médicos especializados é um dos meios mais efetivos de impedir a doença de se agravar, permitindo que a criança tenha uma vida mais saudável e feliz.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

close