Endometriose: Sua cólica é muito forte?

Imagem: www.homeremedyhacks.com/

Você sabe o que é a endometriose? Então senta que vamos relembrar nossas aulas de biologia e estudo do corpo humano. Um bem especial inclusive, o corpo da mulher.

A endometriose ocorre quando as células endometriais (da mucosa do útero) crescem fora do útero. Dentro do útero, essas células tem a função de se multiplicarem e aumentarem o tamanho da mucosa para receber o óvulo fertilizado. Quando o organismo identifica que nenhum óvulo fertilizado foi acomodado no útero, as células são descartadas na menstruação.

Por uma causa desconhecida, essas células saem do útero e se acomodam em diversos orgãos e tecidos, e são estimuladas a se multiplicarem no próximo ciclo menstrual(pois nosso organismo não manda um “Direct” para o útero, manda uma mensagem “pra geral” saber que é hora de se multiplicar!).

Fonte: Medicalnewstoday
Fonte: Medicalnewstoday

A endometriose causa cólicas e dores abdominais fortes, retensão de líquido, dores ao ter relações sexuais e infertilidade. Alguns dados consideram que metade das mulheres com dificuldade para engravidar tenham endometriose. No Brasil, seriam aproxidamente 14% das mulheres em período fértil, e 60 milhões de mulheres no mundo inteiro.

Os números por si só já impressionam, mas o fato de não gostar de sentir dor e principalmente, de causar infertilidade já são motivos de sobra para você procurar seu ginecologista se estiver algum desses sintomas.

Sintomas da Endometriose

  • Cólica menstrual de média/alta intensidade
  • Dor durante a ovulação
  • menstruação irregular
  • Dores abdominais
  • Fadiga
  • Dores durante a relação sexual
  • Retensão de líquido
  • Dificuldade para engravidar ou infertilidade
  • Dores ao evacuar ou urinar durante o período menstrual
  • Diarréia
  • Inchaço abdominal persistente

Sintomas como esses exigem que a mulher tenha consciência corporal, pois são sintomas relacionados à outras doenças, ou relatados como “comuns”. Por isso, as mulheres “descobrem” a endometriose já mais adultas, quando estão tentando engravidar, mas ela pode iniciar na primeira menstruação e por isso não se deve esperar para procurar ajuda médica.

As causas também não são conhecidas, mas algumas condições podem favorecer o organismo a desenvolver a endometriose, como aspectos genéticos (aonde uma mulher tem entre 5 e 7 vezes mais chances de ter endometriose se houverem casos semelhantes na família), por cicatrizes de intervenções cirúrgicas na área, como as cesáreas (as células endometriais se acumulam nas cicatrizes) ou pela menstruação retrógrada, aonde a menstruação (com as células multiplicadas) não desce integralmente, e parte sobe para as trombas de falópio e cavidade pélvica se acomodando e multiplicando nessas áreas. Doenças do sistema imunológico (Ex: Hipotireoidismo de Hashinomoto e Diabetes do Tipo 1) também podem favorecer a endometriose, pois o organismo não consegue identificar e combater as células que estão proliferando em local errado.

Isso me faz lembrar aquela velha pergunta, será que meu corpo está preparado para a gestação? Discutimos isso neste link, e acho que as vezes esquecemos da importância de cuidar do nosso corpo para seu bom funcionamento. Algumas patologias dependem exclusivamente do nosso estilo de vida, outras de condições genéticas e situacionais. Mas se estivermos cuidando de todo o resto, saberemos identificar alguma coisa anormal em nosso corpo, e estaremos muito mais bem preparadas para combater essas questões.

A endometriose tem cura?

Assim como não se sabe ao certo porque ela ocorre, é impossível afirmar que existe uma cura definitiva. São ocorrências diferentes, em organismos diferentes. Porém, é preciso dizer que existem tratamentos clínicos e cirúrgicos, e que ter ou ter tido endometriose é diferente de ser infértil. A infertilidade causada pela endometriose deixará de ser um resultado se ela for tratada. Por isso não é preciso desânimo ou depressão. É preciso ação! Procure seu médico e investigue à fundo!

Comente com o Facebook

comentários