Cuidados na gravidez evitam malformações neurológicas ao nascimento

Especialista explica como alguns cuidados na gravidez podem ser cruciais para garantir a saúde do bebê

Vacinas que a gestante deve tomar na gravidez

Durante toda a gravidez, além da preparação psicológica da mulher, é fundamental pensar na saúde do seu bebê. Durante esse período, todos os anticorpos da mãe são passados para o bebê e, após o nascimento, são transferidos através da amamentação. Um dos cuidados imprescindíveis é que a mãe esteja com as vacinas em dia, para que a proteção seja repassada a criança.

Segundo o Ministério da Saúde, em 2017 houve uma grande queda no número de vacinações em gestantes. Segundo a neurocirurgiã Danielle de Lara (Blumenau/SC) isso pode ter acontecido devido ao receio que algumas futuras mamães têm em relação à vacinação durante a gravidez. Neste caso, o médico vai indicar sobre quais vacinas são recomendadas durante a gestação. A especialista alerta para o risco da gestante não tomar as vacinas necessárias, e que isso pode acarretar problemas neurológicos ao bebê.

Uma das doenças mais comuns em mulheres grávidas não vacinadas é a rubéola. E, em mulheres grávidas no geral, desde 2015 o Zika Vírus também se tornou uma grande preocupação durante a gravidez. Ambos causam doenças neurológicas e malformações nos bebês. Segundo Danielle, existem certos cuidados que as gestantes devem tomar durante a gestação.

“Nesta fase, as mães e bebês ficam mais propensos a doenças que podem ser evitadas aderindo à vacinação e efetuando alguns procedimentos preventivos”.

No caso da rubéola, somente a vacinação poderá proteger a mamãe e o seu bebê e no caso do Zika Vírus, a prevenção pode ser feita com uso de repelentes, telas de proteção e cuidados em não deixar água parada acumulada. Segundo o Ministério da Saúde, em 2018, até abril, foram registrados 2.985 casos prováveis de Zika.

“A maioria dessas doenças é prevenível, desde que as mães recebam as vacinas e orientações necessárias”.

Além disso, outras maneiras de prevenir as malformações dos bebês, de acordo com a especialista, são medidas simples como:

  • tomar ácido fólico desde antes de engravidar, ou assim que descobrir que está grávida, e até o fim do primeiro trimestre;
  • não usar remédios sem a orientação do médico;
  • não fumar ou beber álcool.
cuidados na gravidez
Cuidados na gravidez. Imagem: DermaClub

Saiba mais sobre algumas doenças que podem ser prevenidas durante a gravidez:

  • Rubéola:

Durante a gestação, não se recomenda que a mãe tome a vacina contra a rubéola, pois, a mesma pode causar infecção no bebê. A prevenção deve ser feita antes da mãe engravidar, o mais indicado é para todas as mulheres em idade fértil. Se contraída, a doença se torna um grande risco para o bebê, sendo inevitável alguma sequela. Os principais efeitos da doença são cegueira, malformações cardíacas, surdez, microcefalia e retardo mental. A prevenção é a vacinação.

  • Zika Vírus:

Desde 2015 observamos um surto de microcefalia em bebês recém-nascidos. Após diversas pesquisas, foi constatado que a doença se dava pela picada do mosquito Aedes aegypti. O vírus também é transmitido por relações sexuais, contato sanguíneo, leite materno e pelo líquido amniótico, causando então, a microcefalia em bebês. A única prevenção é o cuidado através do uso de repelentes, evitando locais afastados, como fazendas e utilizar telas nas janelas para evitar a entrada do mosquito. A melhor forma sempre é a prevenção e a informação.

  • Mielomeningocele:

É o tipo mais grave de espinha bífida, uma malformação, onde os ossos da coluna vertebral do bebê não se desenvolvem de maneira adequada durante a gravidez, o que causa o surgimento de uma bolsa nas costas do bebê que contém a medula, nervos e líquido cefalorraquidiano. O aparecimento desta bolsa faz com que a criança perca a sensibilidade e função dos membros inferiores.

Infelizmente esta doença não tem cura, porém é possível através de cirurgia reverter, estabilizar e, em alguns casos, tratar as possíveis sequelas causadas pela malformação. A mielomeningocele é a segunda maior causa de deficiência motora infantil, ela afeta 1 em cada 1000 nascidos e é o defeito neural mais comum, segundo o Ministério da Saúde. Uma das maneiras de prevenir o problema é o planejamento da gestação, através do uso do ácido fólico ainda antes da concepção do bebê.

Confira também:

Comente com o Facebook

comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here