Pais ocupados: MENOS presentes e MAIS presença

pais-ocupados

Hoje tem post super especial das psicólogas Paola Richter 07/25621 e Natana Consoli 07/25622 da página Eaí Psi? falando sobre um assunto muito importante, pais ocupados. Como fica o nosso tempo com nossos filhos? Qual a importância de sermos presentes no dia a dia deles? Confiram:

….

Levantar, tomar banho, fazer café, arrumar as crianças e alimentar, mochilas conferidas, cintos afivelados, largar na escola, ir trabalhar, voltar do trabalho, pegar as crianças, banho, janta, dormir… e lá se foi mais um dia!

E em que momento você olhou para seu filho? Ele descobriu algo novo hoje? Será que queria lhe ensinar a música nova que aprendeu? Vivemos atualmente a realidade onde pais ocupados, preocupados e muitas vezes culpados por sua ausência acabam entregando a infância dos filhos e todas suas descobertas a escola, a aula de ballet, de judô, de informática, a babá ou a tantas outras coisas que preenchem a tão corrida agenda dos pequenos.

Papai e mamãe precisam trabalhar para comprar brinquedos”, essa muitas vezes é a explicação dada para justificar a ausência à eles, mas você já parou para pensar que talvez ele esteja irritado na escola, não obedecendo em casa, desrespeitando você para que você assim dê atenção a ele?
O cuidado, o amor e a atenção são os maiores responsáveis pelo desenvolvimento da criança, os momentos de interação entre a família são um suporte indispensável para o desenvolvimento físico, social, emocional, afetivo e psicológico das crianças. A qualidade dos cuidados parentais que uma criança recebe em seus primeiros anos de vida é de importância vital para a sua saúde mental futura, como nos orienta um grande autor Bowlby.

Então que tal reservar um momento na agenda para os pequenos? Um momento só para vocês, para desenhar, brincar, sentar no chão e ir para onde a imaginação mandar! Se o tempo estiver corrido e essa pausa não se encaixar na agenda, convide seu filho para ajudar nos afazeres domésticos, ajudar a mamãe/papai a recolher a roupa ou a secar aquele pote plástico, isso fará com que seu filho se sinta responsável e muito importante em ter sido eleito a ajudante da mamãe/papai!

Finalizamos nosso post de hoje com uma dica de leitura, muito interessante sobre o assunto: O livro “Cuidado, Afeto e Limites – Uma Possível Combinação” de Ivan Capelatto e José Martins Filho.

Escolhemos um pequeno trecho para deixar um gostinho de quero mais…

“Não se trata da busca da perfeição, ser um pai maravilhoso ou uma mãe maravilhosa, trata-se simplesmente de descobrir no dia a dia, que pai e mãe cuidam e são cuidados pelos filhos, que os ajudam à amadurecer na medida que eles vão crescendo também.. Pertinência, persistência, coerência e constância são quatro palavras chaves que se os pais usarem vão se dar conta de que estão atentos e participando da vida dos filhos” (trecho do livro Cuidado, Afeto e Limites – Uma Combinação Possível).

Quer mais informações sobre universo materno?

Mandamos conteúdos exclusivos sobre educação infantil, chá de bebê, enxoval, e muito mais!

Comente com o Facebook

comentários