Bebê: TUDO que você precisa saber para viajar com eles

Imagem: Pinterest

Poucos pais aceitariam uma viagem com seus filhos nas primeiras semanas de vida do bebê. Primeiro por questões de saúde e ausência da proteção das vacinas (SAIBA MAIS sobre o calendário de vacinas e as vacinas particulares) que ainda não foram dadas, como também por não ter total controle da rotina do bebê e da casa.

Mas depois que este primeiro período tumultuado passa e as férias chegam, uma viagem parece ser uma boa opção para tentar descansar um pouco ou apenas sair da rotina. Se este é o seu caso, ou uma viagem de emergência surgiu, saiba tudo que você precisa se atentar para viajar com seu bebê.

Para onde viajar com seu bebê?

Escolher o destino pode ser uma tarefa difícil, pois você terá que conciliar o desejo dos pais com um lugar adequado para o bebê. Se os pais são aventureiros e gostam de esportes radicais, por exemplo, é preciso verificar se a estrutura do local comportará as necessidades de um bebê, desde o local de dormir até a cozinha, sem contar é claro que, bebês não fazem esportes radicais!

Dê preferência para viagens curtas e para casas e fazendas de pessoas conhecidas. Se for escolher um hotel, certifique-se que ele possui:

  • berço ou cama adaptável
  • Frigobar para gelar algum alimento
  • Cozinha 24 hrs que possa esquentar alguma comida específica do bebê
  • Quarto arejado, instalações novas e proteção nas janelas

Fazendo as malas para viajar com bebês

O tamanho da mala para viajar com bebês é um assunto à parte! Se levamos algumas opções extras de roupa no caso de precisarmos, para um bebê levamos roupas extras na certeza que eles vão precisar. A fralda vasa, acidentes com comida na blusa acontecem ou a variação do tempo ao longo do dia exige camadas e camadas de roupa.

Além das roupas (de frio e calor), a fralda também é um item que deve fazer parte da mala, pois mesmo sabendo da existência de farmácias e supermercados no local, as vezes a marca que você usa pode estar em falta, e se o bebê for alérgico, isso pode virar um grande problema.

Levar uma “mini farmácia” também não é exagero. Remédios que ele pode precisar, repelentes (sempre! Até se for para marte, nunca tire da bolsa!), termômetro, seringas para ministrar medicações e etc. Além disso, o Caderno de Vacinação em dia, cópia autenticada da certidão de nascimento ou documento de identidade oficial exigido pelo país e o cartão do plano de saúde.

Se o bebê tomar fórmulas, levar mamadeiras, a fórmula, esponja de limpeza e esterilizador.

Se for fazer longas caminhadas, um carrinho leve e fácil de montar.

E claro, não se esqueça de alguns brinquedos para entreter seu filho. Uma cobertinha que ele esteja acostumado também pode salvar a hora de dormir.

Imagem: Pinterest
Imagem: Pinterest

Avião, carro ou ônibus?

Tudo depende do local de destino e de quanto os papais pretendem gastar. Alguns bebês costumam chorar durante o voo, principalmente na hora do pouso e decolagem pelo desconforto com a pressão.

Se ele ainda estiver mamando, tente oferecer o peito na hora da decolagem e do pouso, pois a sucção ajuda a amenizar os efeitos da pressurização. Além disso, alguns pais costumam entregar protetores auriculares e/ou balinhas com um pequeno recado para os passageiros sentados próximos se desculpando antecipadamente por qualquer transtorno com barulhos e agiração. Eu acho isso fofo.

Imagem: My Yummy Mommy
Imagem: My Yummy Mommy

Se for de carro ou ônibus, não esqueça da segurança, pois nesses casos costumamos relaxar um pouco mais por estar comandando a viagem. Prepare lanches leves que possam ser oferecidos dentro do carro, água e não esqueça dos protetores de sol nas janelas.

Viajar com bebês parece ser tenso e sempre nos vem à cabeça lembranças de quando éramos solteiros e avistávamos alguma família viajando com bebês e passando por maus bocados. Eu lembro de um bebê viajando para Veneza no mesmo barco que eu estava, e ele chorou o tempo inteiro. Mesmo depois de várias tentativas dos pais para acalmá-lo, ele simplesmente não cedia. E como quem não tinha mais nada para reverter o quadro, os pais simplesmente relaxaram.

Hoje eu sei que eles estavam cobertos de razão, pois estressar não ia fazê-lo parar de chorar e nem deixaria que eles aproveitassem a vista. Então, curtam a viagem e voltem aqui no blog para nos contar como foi! Você tem alguma história para nos contar? Então participe!

Comente com o Facebook

comentários