fbpx
Início Site

Cuidados com a otite em crianças

otite

Uma das doenças mais comuns aos bebês e as crianças é a otite. Essa inflamação no ouvido pode se tornar recorrente até os três anos de idade e deve ser acompanhada por um otorrinolaringologista.

Quando a otite não é tratada de forma correta, pode resultar em um quadro mais grave, podendo levar a criança a surdez. Identificar os sinais da doença em uma criança e um bebê nem sempre é fácil, entretanto, alguns sinais podem indicar algo de errado.

Os sintomas mais comuns em quadros de otite são:

  • Dor no ouvido;
  • Febre;
  • Diminuição da audição;
  • Irritabilidade;
  • Perda de apetite;
  • Vômitos;
  • Dificuldade para dormir.

Um dos sinais que o bebê dá ao apresentar uma otite é puxar a orelha de forma insistente. Isso pode ser um indicativo que ele está com a doença, sendo necessário tanto o acompanhamento pediátrico quanto com um otorrino pediatra, otorrinolaringologista que atenda apenas crianças.

Já crianças um pouco maiores podem começar a mostrar desequilíbrio e tonturas, sendo esses dois sintomas indicativo que a infecção começa a mostrar maior gravidade.

A condição costuma ser mais frequente até os seis meses de idade do bebê, progredindo até a primeira infância, que corresponde até os cinco anos. Passado esse período, quadros de otite passam a ser bem menores e até mesmo a nunca mais a ocorrer.


Aproveite e confira:


Tipos de otite

O que poucas pessoas sabem é que a otite pode ser de tipos distintos. Ou ela pode ser oriunda de um vírus adquirido após uma gripe/resfriado, ou bacteriana. Elas podem ocorrer nas três regiões que compõem o ouvido, sendo elas: externa, média e interna. Entenda mais cada uma delas:

Otite externa: 

Ela afeta o canal que liga ouvido até a membrana no tímpano. O uso de hastes flexíveis para limpeza e o acúmulo de água na região pode acarretar no aparecimento da doença.

Otite média:

Considerada a otite mais comum em bebês e crianças, a otite média acomete a região que fica atrás do tímpano, ou seja, na tuba auditiva. Devido à proximidade com a região do nariz, quando uma criança fica gripada ou resfriada, a secreção desse vírus pode migrar para a tuba resultando na inflamação.

Otite interna:

A inflamação da otite interna ocorre na cóclea e no labirinto, regiões que afetam diretamente o equilíbrio e a audição, sendo considerado o quadro mais grave da doença. A condição é menos comum, mas deve ser investigada pelo otorrinolaringologista para descartar problemas mais graves.

Qualquer um desses tipos de otites pode ser subdividido em casos agudos e crônicos, podendo ser tratados com protocolo medicamentoso com antibióticos ou analgésicos.  Em casos crônicos pode vir a ser necessária a internação, para minimizar a dor.

Cuidando da criança com otite

Os cuidados com um bebê ou uma criança pequena que tenha sido diagnosticada com otite são simples. Além da administração dos medicamentos prescritos pelo otorrinolaringologista, os pais e tutores podem seguir alguns pequenos truques como apoiar o ouvido inflamado em uma toalha ou pano morno, para aliviar a dor e o incômodo.

Outra dica para usar na hora do banho das crianças é usar algodão no ouvido, evitando assim a complicação do caso.  É importante ressaltar que o uso de descongestionantes ou anti-histamínicos não é recomendado para tratar uma otite, seja ela de qualquer tipo.

Como fazer maçã do amor? 4 receitas gostosas para você escolher!

A maçã do amor é a queridinha de muitas pessoas. Com a chegada da festa junina a procura aumenta ainda mais, principalmente nas festas temáticas e infantis. Por isso, trouxemos algumas receitas de diferentes tipos de maçã do amor que podem fazer parte do seu cardápio. Aproveite!

Maçã de amor tradicional

Receita de maçã do amor tradicional. Imagem: Blog Guadaim

Ingredientes

  • 3 maçãs vermelhas
  • 3 maçãs verdes
  • 1 kg açúcar
  • 1/2 xícara de água filtrada
  • 1/2 colher de café de bicarbonato de sódio
  • 1/2 colher de chá de cremor de tártaro
  • 1 colher de sopa de vinagre
  • 3 gotas de corante vermelho
  • 3 gotas de corante verde

Modo de preparo

É preciso juntar o açúcar, a água e o vinagre. Depois é preciso levar a mistura ao fogo para que forme o caramelo. Quando o açúcar estiver completamente derretido e a água já tiver secado, é o momento de adicionar o cremor de tártaro e o bicarbonato. É necessário separar em duas tigelas colocando um corante em cada uma. Em seguida, cubra as maçãs verdes no caramelo com corante verde, já as vermelhas precisam ser cobertas pelo caramelo com corante vermelho. Para finalizar, coloque-as sobre uma superfície lisa e espere secar.


Confira também:


Maçã do amor de chocolate

Receita de maçã do amor com chocolate. Imagem: TudoGostoso

Ingredientes

  • 15 maçãs lavadas e secas
  • Palitos de picolé para fazer o cabo
  • 500 g de chocolate ao leite fracionado
  • 250 g de leite em pó de sua preferência
  • 1 lata de leite condensado
  • Granulado de sua preferência

Modo de preparo

É preciso colocar em uma tigela o leite em pó e o leite condensado. Em seguida, misture até dar uma consistência firme que não grude nas mãos, caso não chegue ao ponto é necessário colocar mais leite em pó. Pegue as maçãs e espete em cada palito de picolé. Em seguida, empane cada maçã na massa para que fique bem uniforme. Deixe o chocolate em pedação para levar ao micro-ondas, utilize vasilhas de vidro e coloque por 30 segundos. Desligue e mexa bem o chocolate, faça este processo várias vezes até o chocolate estar completamente derretido. Depois mergulhe as maçãs no chocolate derretido. Logo após polvilhe com granulado. Para finalizar, deixe secar em cima do papel manteiga.

Maçã do amor com chocolate branco

Maçã do amor com chocolate branco. Imagem: Jeito Doce

Ingredientes

  • 5 maçãs pequenas maduras
  • 5 palitos para picolé
  • 350g de cobertura fracionada sabor chocolate branco
  • Glitter comestível na cor pérola para decorar
  • 5 gotas de corante alimentício especial para chocolate na cor pretendida (no caso, rosa)
  • 1 col (sopa) de açúcar cristal cor-de-rosa
  • 1 col (sopa) de granulado/confeito redondo branco
  • 1 col (sopa) de granulado/confeito redondo prata
  • 1 col (sopa) de granulado em formato de coração nas cores vermelha e rosa
  • Papel-manteiga e fitas nas cores pretendidas para finalizar

Modo de preparo

Lave muito bem as maçãs e retire os cabos. Espete um palito de picolé no topo de cada uma delas. Pegue uma maçã de cada vez e mergulhe no chocolate derretido. Coloque-as sobre uma superfície coberta com papel-manteiga.
Para as maçãs de cobertura branca:
Enquanto o chocolate ainda não estiver totalmente seco, polvilhe o glitter comestível. Espalhe também um pouco de açúcar cristal colorido e de bolinhas brancas e pratas. Por fim, ajeite 6 confeitos de coração ao redor do palito e deixe secar.

Para a maçã de cobertura rosa:
Pegue a sobra de chocolate branco derretido da tigela e misture com 5 gotas de corante alimentício rosa especial para chocolate. Pegue uma maçã de cada vez e mergulhe a base no chocolate rosa. Deixe colorir 1/3 da maça. Retire e faça um acabamento com açúcar cristal na divisão das cores (é preciso polvilhar apenas um pouco de açúcar na parte inferior da maçã). Para finalizar, use um pouco de glitter e com um laço de fita de sua preferência.

Maçã do amor caramelizada com nozes

Receita de maçã do amor caramelizado com nozes. Imagem: Receiteria

Ingredientes

  • 200 gramas de açúcar
  • 1/4 xícara de glucose
  • 1 xícara de creme de leite
  • 40 gramas de manteiga
  • 200 gramas de nozes trituradas
  • 5 maçãs verdes pequenas

Modo de preparo

É preciso lavar as maçãs e com muito cuidado retirar os cabinhos com a ponta de uma faquinha. Você poderá espetar as maçãs com gravetinhos ou com palitos de sorvete. Forrar bem uma forma com papel manteiga. Ela será usada para colocar as maçãs para secarem assim que forem banhadas. Em uma panela, é preciso misturar os ingredientes e levar à fervura em fogo alto. Arrumar um prato fundo com as nozes trituradas para que assim que o caramelo estiver pronto você possa colocar a base da maçã nas nozes para decorar. Quando iniciar a fervura, abaixe o fogo para temperatura média e deixe o caramelo cozinhar até chegar a temperatura de 118°C (utilize um termômetro de cozinha) ou quando atingir uma cor marrom clara. Assim que o caramelo atingir a consistência desejada, retirar do fogo e banhar as maçãs rapidamente. Deixe escorrer um pouquinho o caramelo na panela, segurando a maçã acima da panela e logo em seguida coloque a base da maçã no prato das nozes picadas, para que elas grudem.

Dica extra: faça esse procedimento, de banhar as maçãs o mais breve possível, pois o caramelo esfriará e secará muito rápido! Quanto mais frio o caramelo, mais grossa ficará a casquinha! Coloque as maçãs para descansarem na forma forrada com o papel manteiga. Deixe a maçã descansar por cerca de 30 minutos em temperatura ambiente. Pronto!

Festa Infantil: 10 dicas para produzir uma festa mais sustentável

Produzir uma festa infantil é sempre um desafio para nós mães. Temos que planejar os comes e bebes, decoração, escolher o tema da festa, são tantas as opções que chegamos a ficar confusas.

O grande problema em tudo isso, também é a quantidade de lixo gerada nesse tipo de evento. Por isso, para ajudar a produzir uma festa infantil mais sustentável, que ajude o planeta e ainda incentive as crianças a terem uma maior consciência ambiental, a bióloga, gestora ambiental e sócia-proprietária da Beegreen Sustentabilidade Urbana, Jéssica Pertile, separou algumas dicas.

10 dicas que vão te ajudar no planejamento da próxima festa infantil.

Planeje-se

Agradar crianças nem sempre é fácil, ainda mais quando se trata de festa de aniversário. Porém, hoje temos opções que possibilitam unir muita diversão com cuidado com o meio ambiente.

Para que isso aconteça, planejar é sempre a melhor solução. Pense no tema da festa, no lugar, na quantidade de convidados, e em tudo que será oferecido as pessoas. A partir daí, busque as opções mais práticas e sustentáveis para a festa infantil.

Mantenha a Simplicidade

É possível fazer uma festa infantil incrível sem gerar tanto lixo.

Depois que escolher o tema da festa, escolha produtos reutilizáveis como toalhas de pano, copos retornáveis – não precisam ser de vidro, existem milhares de opções de copos – , canudos, talheres e pratos mais sustentáveis, que possam ser reutilizados nas próximas festas.

Uma boa opção é escolher itens de cores neutra, assim você consegue combinar com qualquer tema nos próximos aniversários.

Mas e se a festa que você vai fazer for grande, como fazer para fugir dos descartáveis?

Opte por opções menos agressivas, como papel que degrada mais rápido. Espalhe pela festa algumas canecas com canetinhas, para que as pessoas identifiquem seus copos e pratos, a fim de evitar o desperdício.

Decoração

Uma opção que você talvez não goste da ideia no começo é: Evite balões!

Mas mantenha a mente aberta! Balões são lindos, mas ao mesmo tempo são altamente prejudiciais ao meio ambiente, e um perigo para as pessoas.

Os balões são fabricados de dois materiais: látex ou nylon. O látex é considerado o “mais adequado”, por ser biodegradável, mas pode demorar de 6 meses a 4 anos para se decompor, causando danos graves ao meio ambiente.

Outro problema está no uso do famoso gás hélio para encher os balões. Esse elemento nobre e de fonte não renovável é utilizado em setores importantes como a medicina e a ciência, e a falta dele pode afetar e muito nossas vidas.

Por isso, seja criativa! Vá até o quarto da criança e veja tudo o que você pode usar na decoração, como brinquedos, livros e objetos pessoais, que vão deixar a festa com a cara e a personalidade da criança.

É hora de convidar os amigos!

Uma das horas mais divertidas para as crianças é a de convidar os amigos. Uma ótima opção nesse caso são os convites digitais (você pode criar um evento privado no facebook para os convidados, ou enviar o convite pelo próprio whatsapp.

Uma ideia legal é você pedir para a criança desenhar seu próprio convite, digitalizar e enviar para os convidados.

Comes e bebes são fundamentais

Dicas para festa infantil sustentável!

Vai fazer uma torta salgada? Deixe na própria forma, cortadinha, assim as pessoas podem se servir com maior praticidade. Outra boa opção são frutas cortadas em cubinhos, são doces e saudáveis.

Pipoca faz sucesso em festa infantil.

Mas como estamos falando de festa infantil, não pode faltar brigadeiro e beijinho, já que as crianças (e adultos) adoram e você pode deixar na bandeja, para elas irem pegando e comendo. Se quiser dar um charme, uma opção legal são pedacinhos de retalho, é só você higienizar, cortar e acomodar os docinhos. Nada de plástico, ok? 

Use seus pratos e bandejas para doces e salgados da festa.

E sobre as bandejas e pratos? Aproveite e use o que você já tem em casa. Não tem? Escolha reutilizáveis, como dissemos acima e guarde para as próximas festas.

Suqueiras fazem sucesso nas festas!

Sobre as bebidas, use aquelas charmosas “suqueiras de vidro”, nela você pode colocar o que quiser e os convidados vão se servindo à vontade.

Seja criativa na hora de fazer a decoração da festa infantil.

E se você for encomendar as comidas e bebidas, converse com os seus fornecedores para que eles utilizem a menor quantidade possível de descartáveis.

Jogos e brincadeiras

Você pode contratar um animador e sugerir brincadeiras simples e divertidas para entreter a criançada.

Outra opção muito legal é você bolar junto com seu filho algumas brincadeiras para esse dia tão especial. Se tiver espaço ao ar livre melhor, existe uma infinidade de opções: esconde-esconde, pega-pega, pular elástico, entre outras. Deixe também seu filho escolher as músicas da festa, as crianças vão se divertir muito.

Viva! Hora dos presentes.

Você pode até tentar conversar com o seu filho sobre isso, mas estamos falando de crianças, faz parte da festa e você não precisa arruinar isso. Deixe a criança ter essa experiência.

Você pode pedir aos convidados que não embrulhem os presentes, pois só com essa atitude já conseguimos evitar uma boa quantidade de lixo.

Lembrancinhas da festa infantil

Não sabemos quando essa tradição de lembrancinhas de festa começou, mas ela ainda está muito presente nas festas infantis.

Uma boa ideia é fazerem pintura durante a festa. Faça uma “aula” de pintura com os pequenos convidados da festa, assim além de entretê-los, eles ainda vão levar a arte para casa. Existem várias opções, seja criativo.


Aproveite e confira:


Deslocamento

Já na onda da sustentabilidade, vamos incentivar também a mobilidade consciente. Sugira aos seus convidados opções de deslocamento, como a carona compartilhada, a bicicleta, dentre outras opções.

A festa acabou, hora de limpar tudo e cuidar do lixo.

Sim. Você é responsável pelo lixo dos seus convidados. Dá para fazer uma festa 100% sem lixo? Sim, dá, mas nós sabemos o quanto isso é bem difícil.

Então, quanto menos lixo produzirmos, melhor, certo?

Deixe lixeiras separadas para cada tipo e resíduos. Separe os orgânicos, eles podem ir para a compostagem. Hoje existem composteiras para casa, mas caso você não tenha espaço, procure uma empresa para cuidar disso.

Essas dicas de hoje são simples e práticas para que a festa seja linda e tenha menos impacto na natureza.

“Essas pequenas atitudes fazem toda a diferença e ainda incentivam, não só os adultos, como também ajudam na educação dos pequenos”, finaliza Jéssica.

Aplicativos para ajudar as mamães desde a gravidez

Aplicativos gravidez
Imagem: https://unsplash.com/photos/076XLvcgeDk

Há desde ferramentas para acompanhar a gravidez, cuidar do bebê até app de segurança virtual

Engana-se quem pensa que a tecnologia só serve para trocar mensagens no WhatsApp e trabalhar. Existem diversas ferramentas que podem ajudar as mães em vários aspectos da rotina.

Veja só alguns aplicativos que vão lhe ajudar desde a gravidez:

Cuidados

Para cuidar dos bebês existem vários app que ajudam os pais, principalmente os de primeira viagem. No What To Expect, é possível obter informações sobre toda a gestação, desde a primeira semana.

Ele mostra, por exemplo, os sintomas comuns que as mulheres sentem em cada etapa, e como o feto está em cada uma. Depois, a ferramenta também oferece instruções até o 1º ano da criança, como formas de fazer o bebê dormir melhor.

Já no Baby Care, você pode criar um diário do bebê, para registrar as principais informações sobre ele. Nele, é possível registrar períodos de sono, urina e muito mais.

No aplicativo Guia Crescer da Gravidez que está disponível para celular iPhone ou iPod Touch, você vai acompanhar o desenvolvimento do seu bebê ainda na barriga. Nele, você pode inserir anotações, fotos, ecografias e ainda obterá recursos como criação de lista de enxoval, guia de nomes e descritivo sobre a semana de gestação em que está.


Confira também:


Segurança

Para quem tem bebê em casa, uma opção é baixar o BabyPhone Monitor. Simples de ser usado, ele transforma o seu smartphone em uma babá eletrônica. Ao menor sinal de ruído, a ferramenta liga para o telefone que foi configurado e aciona o viva a voz. Dessa forma, você pode ter contato com o seu filho o tempo todo, mesmo quando precisa cozinhar algo ou se distanciar para fazer outra tarefa.

Há ainda um aplicativo para monitorar o celular dos filhos chamado Find My Kids. Ele permite que os pais vejam o que as crianças acessam no smartphone, além de ter um localizador GPS que garante mais segurança aos pequenos.

Imagem: https://unsplash.com/photos/076XLvcgeDk

Acalmar

Já existem ferramentas que ajudam as mães na hora de acalmar os bebês, fazendo-os dormir. As principais desse segmento são Sleepy Sounds, Canção de Ninar Para Bebês e Sound Sleeper.

Lazer

Nem só de cuidados vivem as crianças. Pensando nisso, há também aplicativos para os pequenos se divertirem e aprenderem. O Sound Touch Lite é um ótimo exemplo disso. Nesse programa, as crianças vêem alguns animais e, ao clicar, ouvem o som correspondente e visualizam uma foto real do bicho.

Tem uma versão gêmea desse app que é o Music Color Lite. Nesse caso, quando a criança clica em uma cor, aparece na tela objetos e figuras naquela tonalidade.

Essa segunda dica não é um APP mas é um site muito útil para você quando seu bebê nascer. Lugares para ir com crianças (www.lugaresparaircomcriancas.com.br) é um site com dica de hotéis, restaurantes, parque e tudo o mais que for para ir com crianças. Ali você vai encontrar informações se tem fraudário, espaço kids, monitores, cadeirão e mais. Além disso você pode avaliar os lugares cadastrados e também pode cadastrar novos locais de maneira bem simples, ajudando assim outras famílias na escolha de onde irem com as crianças.

Site: www.lugaresparaircomcriancas.com.br

Dicas de viagem gestante ou com bebês

dicas para viagem gestante
Imagem: Comunidade Bebê 123

Crianças exigem atenção e cuidado, mas também trazem muitas alegrias. Não é justo para elas e nem para os deixar, deixar de curtir momentos prazerosos somente por pensar no ”trabalho” que é viajar com os pequenos ou em fazer uma viagem gestante. 

Para as mamães de plantão: vai viajar grávida ou com bebês? Confira algumas dicas do ETIAS que irá te ajudar em tudo que precisa para que sua viagem seja uma maravilhosa experiência para você e seu(sua) baby!  

1 – FAÇA UMA AVALIAÇÃO DA VIAGEM

VIAJANDO COM BEBÊS

Não há uma idade mínima para viajar, porém a maioria das companhias aéreas só aceitam bebês com mais de 7 dias de vida. Avalie a necessidade da viagem com um recém-nascido, já que eles são mais suscetíveis à infeções. 

VIAJANDO GRÁVIDA

Em viagens de navio, só é possível embarcar até 24 semanas de gravidez. Para viagens de avião, até a 27ª semana de gestação. Não existe muita complicação entre a 28ª e a 36ª semana, mas é preciso um atestado ou termo de responsabilidade, pois as companhias costumam ficar mais alertas por conta da possibilidade de um parto prematuro. A partir da 36ª semana, é preciso atestado médico ou uma avaliação da equipe médica da própria companhia. Em alguns casos, a partir da 38ª semana, só é possível viajar acompanhada do médico responsável. 

2  – ESCOLHA BEM O DESTINO

VIAJANDO COM BEBÊS

Verifique se o destino possui uma estrutura mínima para uma viagem com crianças. Faça essa avaliação tanto em relação à localidade quanto ao hotel, restaurantes, etc. 

VIAJANDO GRÁVIDA

Faça as contas das semanas que faltam para o bebê nascer, imagina um parto longe de casa sem conhecer ninguém?! Melhor garantir que você já esteja de volta. Mas, por precaução, escolha sempre destinos que tenham uma mínima estrutura médica para atendê-la caso alguma complicação surja durante a viagem. 

3 – LEVANDO OS PERTENCES

VIAJANDO COM BEBÊS

Você tem a opção de ficar com o carrinho até o embarque ou despachá-lo como bagagem. 

VIAJANDO GRÁVIDA

Despache o máximo de bagagem possível para não ter que carregar muito peso. Do meio para o final da gravidez, é preciso evitar esse tipo de esforço. Busque sempre um carrinho para levar a bagagem de mão e, se precisar de ajuda, procure alguém da companhia aérea que eles irão prontamente auxiliá-la. 


Aproveite e confira:


4 – ALIMENTAÇÃO

VIAJANDO COM BEBÊS

Você pode levar a alimentação do seu bebê com você no voo. Pode, ainda, solicitar à equipe de bordo para aquecer a mamadeira ou papinha do baby. Mas peça essa gentileza antes do serviço de bordo para que não atrapalhe seu andamento, prejudicando os outros passageiros. 

VIAJANDO GRÁVIDA

A não ser que você esteja em uma dieta por conta de alguma complicação, não existe nenhuma restrição quanto à alimentação durante o voo. Mantenha-se alimentada, afinal, você precisa se alimentar por dois.

Ao chegar ao destino, aproveite tudo, mas muito cuidado com alimentos aos quais não está acostumada. Lembre-se de que passar mal longe de casa pode ser muito ruim, e estando grávida é mais complicado por estar longe dos médicos habituais. 

5 – CUIDADOS COM A SAÚDE

VIAJANDO COM BEBÊS

Bebês são mais suscetíveis a desidratação, por isso é importante mantê-los hidratados tanto antes quando depois do voo, e ainda durante a estadia. 

VIAJANDO GRÁVIDA

Mantenha-se hidratada antes e durante a viagem, além de evitar muita exposição ao sol. Viagens de avião também aumentam ligeiramente o risco de trombose e de se desenvolver varizes. Em casos de viagens muito longas, é possível ser receitado por seu médico algum remédio para circulação. Informe-o sobre a intenção de viagem, para que ele oriente você melhor sobre todos os cuidados a serem tomados. 

6 – CERTIFIQUE-SE DE QUE TUDO ESTÁ CERTO

VIAJANDO COM BEBÊS

Antes da viagem, ou mesmo antes de comprar as passagens, sempre que possível, entre em contato com a companhia aérea ou com a empresa de turismo e tire todas as dúvidas a respeito de viajar com bebês. Inclusive sobre valores, transporte dos objetos (carrinhos, brinquedos, comida), idade mínima, etc. 

VIAJANDO GRÁVIDA

Em relação ao período da gravidez em que se encontra, entre em contato com a companhia aérea para saber exatamente as regras.
Você pode não se encaixar em alguma regra e passar por alguma situação desagradável na hora do embarque, como ser impedida de embarcar. 

7 – MANTENHA A ROTINA

VIAJANDO COM BEBÊS

Tente manter a rotina do seu bebê. Eles ainda estão se adaptando ao “novo mundo”, então mantenha as rotinas de alimentação, sono, etc. 

VIAJANDO GRÁVIDA

Aqui, o conselho é semelhante. Mesmo viajando, muitas vezes de férias, querendo aproveitar todo o tempo possível, tente manter um pouco da sua rotina em relação a alimentação e sono. Alterar bruscamente sua rotina pode deixar o seu bebê, mesmo dentro da barriga, inquieto. 

8 – ARRUME A MALA

VIAJANDO COM BEBÊS

A bagagem do bebê pode ser maior que a de um adulto, acredite. Lembre-se de tudo que ele precisa, como fraldas (leve sempre a mais), trocador, lençóis, roupinhas, mamadeiras, brinquedos e, principalmente, os documentos dele.
Além disso, em caso de viagem internacional, verifique quais são os documentos exigidos para entrada no país. Se preferir, faça um checklist para ajudar. 

VIAJANDO GRÁVIDA

Neste caso, nenhuma alteração do habitual. Avalie o clima no seu destino para saber quais roupas adequadas levar; roupas leves ou roupas de frio. Organize bem a mala e boa viagem! 

Fontes: Viagem e Turismo | Viajando Com Bebê

Tema de aniversário de 1 ano – várias ideias para você se inspirar!

A maioria das mulheres já utilizou dessa frase: “Quando eu tiver uma filha/filho o tema de aniversário de 1 ano será esse”. Sim, muitas pessoas começam a planejar o primeiro aniversário do filho (a) antes mesmo de planejar tê-lo. Depois que a gravidez chega as ideias fluem ainda mais.

Após o nascimento do bebê e toda aquela fase inicial passar, principalmente dos gastos mais elevados, começa o planejamento financeiro do primeiro aninho da criança. Agora, como escolher o tema para comemoração? Depois de fazer uma lista de temas antes mesmo de ter o filho (a) dificilmente irá utilizar. Isso acontece porque os pais costumam aderir como tema da festa aquele desenho que o filho (a) mais se diverte ao assistir. Porém, mesmo prestando atenção aos detalhes, muitos pais ficam na dúvida sobre os melhores temas para a festinha da criança. Então, selecionamos algumas ideias que podem inspirar na hora de decidir pelo tema da festa.

A primeira festa

O aniversário de 1 ano precisa ser algo inesquecível. Afinal, foi nesse um ano que sua vida mudou completamente com a chegada dessa amada criança. Para deixar a comemoração incrível, linda e cheia de charme, a escolha do tema é fundamental. Então, vamos te ajudar nisso.

A escolha do tema de aniversário de 1 ano

Apesar de ser bem tradicional a escolha de um tema baseado em um personagem que a criança mais curte, muitos pais não gostam de aderir essa ideia. Mas separamos três dicas interessantes:

  • Muitas crianças só começam a se identificar com algum personagem a partir dos 4 anos. Então, essa é uma oportunidade de escolher qualquer outro tema para seu filho (a).
  • Caso o seu filho realmente goste de um personagem, ou seja, caso perceba o quanto ele interage quando o desenho está passando, o interessante é que você faça isso por ele. Lembre-se que a festinha é dele e será bem mais bonito se seguir algo que ele esteja gostando naquele momento.
  • Se for possível, faça uma linda produção em vídeo com imagens e fotos de todos os momentos possíveis para apresentar no telão da festa. Ahh, não esqueça de guardar essa lembrança para mostrar a criança quando já estiver maior.

Aproveite e confira:


Agora vamos para o que realmente importa: as ideias de temas para a festinha mais fofas que você pode ter.

Cata-ventos e pipas

Tema de aniversário de 1 ano, cataventos e pipas. Imagem: Revista Crescer

Os dois são elementos geométricos que dão bastante movimento à decoração. Além de lindos, eles são de baixíssimo custo, o que permite aproveitar muito e adquirir bastante cata-ventos e pipas para deixar o local muito bem decorado. Escolher apenas duas cores também deixa tudo mais elegante. Por exemplo: Pipas em tom de laranja e cata-ventos em vermelho.

Quitanda colorida

Ideias de temas para festa infantil. Imagem: Ficar Grávida

As cores dessa festinha linda ficarão por conta das cores dos legumes e das frutas utilizadas no cardápio. A festa pode levar comidinha saudável e a mesa pode ser muito bem decorada como se fosse uma verdadeira quitandinha. As caixas de madeiras precisam estar presentes, e elas não são caras.

Arco íris

Arco íris como tema de aniversário de 1 ano. Imagem: ibabygift

Você pode deixar as cores fortes do arco íris para compor o painel atrás da mesa principal. Bexigas são bem baratas e não pesam tanto no orçamento, ou seja, pode aproveitar para fazer um efeito incrível com eles. O mais interessante? Você terá sete cores para usar e abusar.

Borboletas

Ideia de tema para aniversário de 1 ano. Imagem: conversandocomalua.com

Você tem habilidades manuais? Pode fazer diversas borboletas em cartolinas coloridas e espalhar por todo local. Já pensou em fazer um jardim de borboletas? Faça um na mesa do bolo, pode até mesmo colocar em volta cerca branca. Ahhh, não esqueça que as flores são importantes para compor a decoração.

Festa no céu

Ideias de temas para festa de 1 ano. Imagem: Revista Crescer

Nuvens e balões podem deixar os convidados flutuando. Nessa festa, os tons precisam ser delicados e leves. Por exemplo: tons de azul claro e branco. Os balões podem ser transparentes. Pendure alguns na mesa com fitas. Não esqueça de colocar as nuvens espalhadas por todos os lugares, inclusive na mesa dos convidados.

Diversão monstra

Festa Monstrinho. Imagem: festabox

Muitas caretas podem deixar o ambiente bem irreverente e interessante. Você pode aproveitar as bandeirolas e coloca-las à frente da mesa, isso é uma tendência e já tem marcado bastante as festas infantis. Fica lindo! Tire fotos de caretas e moldure, dessa forma você pode espalhar por todo o ambiente. Se quiser, peça os seus convidados para levarem alguma foto também. Que tal montar um espacinho reservado para isso? Uma forma de deixa-los participar da decoração.

Festa na arca

Festa Infantil Arca de Noé. Tema de aniversário de 1 ano. Imagem: Ana Vianna Fotografia

Muitos pais optam pela história bíblica na hora de pensar no tema da festa. Afinal, quem não vai amar uma festa cheia de bichinhos na decoração? É interessante deixar algumas arcas pequenas espalhadas pelo ambiente, elas podem até ser a lembrancinha na mesa dos convidados. As flores são bem-vindas na decoração.

Balé

Tema de aniversário de 1 ano. Imagem: Roteiro Kids

Festa que pode ser feita ao ar livre e que permite o tema ficar bem explícito. Por ser um tema bem delicado, é indicado o uso de cores que seguem nessa mesma linha. Então, aposte em cores como rosinha e azul bebê. Lembrando que as bexigas podem ser transparentes.

Praia

Ideia de tema de aniversário de 1 ano. Imagem: Festa Clean

Faça um ambiente bem praia, o que pode ajudar bastante na hora da lembrança para crianças. Os baldinhos de plástico são baratos e podem ser muito bem aproveitados na decoração. Além disso, pode adquirir baldes menores e encher de doces para as crianças. Aproveite a areia para fazer a decoração, mas faça em local que os convidados não fiquem pisando. A piscina de bolinha também pode fazer parte da festa.

Em casa

Ideias de tema de aniversário de

Muitas pessoas não gostam, mas as festas em casa são um charme e pode gerar uma economia e tanto quando o assunto é decoração. Você pode utilizar móveis para deixar o ambiente bem interessante. Não tem regras para cores, afinal, o ambiente é neutro. Agora, caso tenha móveis coloridos é necessário utilizar as mesmas cores. O local e os móveis sendo neutros você pode apostar em cores incríveis.

Tudo sobre o jogo da baleia azul

Se você não esteve vivendo dentro de uma caverna nos últimos dias, é muito provável que você já tenha ouvido falar em um tal de jogo da baleia azul. Nos noticiários, esse “desafio” tem sido considerado o responsável por diversos suicídios em todo o mundo, com reflexos negativos até mesmo aqui no Brasil.

Neste artigo, vamos explorar as origens desse jogo aparentemente demoníaco e compreender o que são os desafios propostos a quem se habilita a participar da “brincadeira”. Vale ressaltar que o blog Ah Duvido está criando esta matéria com o intuito de informar e não incentivar a prática do que é proposto por esse jogo. Destacamos o alerta aos pais que devem sempre observar o comportamento de seus filhos para entender se eles não estão se envolvendo em atividades que podem colocar em risco a sua vida e de outras pessoas.

A origem do jogo “Baleia Azul”

Como diversas histórias que nasceram ou cresceram na internet, não é possível apontar exatamente todos os seus fatos como verdadeiros. O mesmo podemos dizer sobre a origem do jogo “Baleia Azul”, que possui um pano de fundo por trás, mas que pode muito bem ser apenas isso mesmo: um pano de fundo.

De acordo com a história mais aceita entre os jornalistas e especialistas que investigam o assunto, o jogo da Baleia Azul (Blue Whale, em inglês) teve início na Rússia entre os anos de 2015 e 2016. Tudo começou com uma menina chamada Rina Palenkova. Ela teria se matado se jogando na frente de um trem.

A história começa com essa menina pois momentos antes de ela se matar ela publicou em suas redes sociais um simples “adeus”. Isso mostrou que o suicídio estava premeditado e que poderia haver algo por trás de tudo isso. Essa é uma história bastante triste. Porém, como muitos devem imaginar, a repercussão da internet acabou transformando todo o caso em um meme. Várias montagens de mal gosto também acabaram surgindo, o que tirou a atenção para o verdadeiro problema do caso.

Porém, algumas pessoas começaram a prestar mais atenção nesse caso e decidiram investigar a vida da menina tentar entender porque ela cometeu suicídio. O diagnóstico de depressão é outra causa que precisava ser investigada em Rina Palenkova. Essas pessoas começaram a visitar e entender o comportamento da menina nas redes sociais e fizeram descobertas incríveis.


Confira também:


Os responsáveis pelo jogo

Depois que todo esse assunto atingiu o seu auge, em março de 2016, um jornal russo fez uma reportagem que conta um pouco sobre a existência de “grupos de morte” nas redes sociais. O cerco estava armado e a investigação se aprofundou ainda mais para tentar entender porque Rina havia cometido suicídio.

Dentro dessas comunidades, um jogo era bastante conhecido. Batizado de “Wake Me Up At 4:20” (“Me Acorde Às 4:20”, em tradução livre), esse era um desafio que colocava os participantes para fazerem uma série de desafios. De acordo com especialistas, o horário era o mais propício para aqueles que estavam planejando cometer um suicídio.

O jogo também era conhecido em outros lugares como Blue Whale, ou a agora tão conhecida Baleia Azul. O mesmo jornal relatou que o jogo encarava Rina como uma espécie de símbolo, a pessoa que teria dado início a toda essa brincadeira de mal gosto. Há quem diga que o jogo foi inspirado em um livro chamado “50 Dias Antes do Meu Suicídio”, mas nada ainda foi comprovado.

A notícia se espalhou tão rápido que muitas outras pessoas começaram a investigar o caso para entender o que estava acontecendo. Relatos apontavam para outros suicídios que também estariam conectados a esse jogo da Baleia Azul. As investigações acabaram encontrando muitas outras comunidades de morte e assim tudo começou a fazer um pouco mais de sentido.

Casos em 2017

No começo de 2017, várias publicações russas voltaram com esse assunto à tona, o que também despertou a atenção de crianças e adolescentes. O jogo da Baleia Azul que não era tão conhecido assim acabou viralizando e envolvendo mais pessoas do que os seus criadores realmente “pretendiam”. E tudo isso por causa de uma grande mentira.

Através do Facebook, um texto supostamente escrito pela polícia para as escolas começou a circular. As escolas, por sua vez, desesperadas por causa das possíveis implicações do caso, começaram a alardear com os pais sobre os perigos do desafio da Baleia Azul, o que acabou servindo como um convite para cada vez mais pessoas pesquisarem sobre o assunto.

O texto dizia que um grande suicídio em massa estaria sendo planejado e envolveria mais de 5 mil jovens. Imagine só os pais nessa situação compartilhando ao máximo essa informação com outros pais e, consequentemente, com as suas crianças? Tudo isso envolveria um jogo que convidaria as pessoas a praticarem uma série de desafios que, no final, resultaria no já mencionado suicídio.

As autoridades acabaram concluindo que as informações do texto eram falsas. No final das contas, tudo acabou se mostrando uma grande mentira, mas ganhou repercussão porque no mesmo período duas meninas russas acabaram realmente se matando. Uma delas, de 15 anos, teria postado uma foto de uma baleia azul antes de tirar a sua própria vida.

A curiosidade das pessoas

Com essas informações espalhadas dessa forma, muitas crianças e adolescentes começaram a demonstrar interesse por esse tal jogo da Baleia Azul. O motivo ainda é um mistério, mas pode estar associado a casos de bullying e jovens que estão insatisfeitos com suas vidas. Porém, ao começar a pesquisar um pouco sobre o caso, elas logo descobriam que você não podia entrar nesse desafio. Você precisava ser convidado.

Esse convite é enviado por um “curador”, a pessoa responsável por propor e acompanhar os desafios. Supostamente, esse indivíduo começa a oferecer desafios mais “simples”, mas que logo vão evoluindo para atividades mais pesadas. No começo, são 28 desafios que vão se repetindo até chegar a 50. Se em algum momento a pessoa pensa em desistir, o curador começa a ameaçar a vítima dizendo que vai matar ela e toda a sua família caso ela realmente desista.

Muitos dos desafios tinham que ser comprovados. Isso era feito através de uma foto quer é enviado para o curador que acompanha a vítima.

Principais questões do puerpério (período de resguardo no pós parto)

puerpério
Imagem: Clinica Alira

Tudo o que você precisa saber sobre o Puerpério

As consequências do puerpério podem ser amenizadas por meio de técnicas e produtos

Geralmente, conhecido como pós-parto, o Puerpério é o período de resguardo que a mãe tem após o nascimento do bebê. Esse período se inicia imediatamente após o parto, após a saída da placenta, e pode durar até 6 semanas, (42 dias). Por se tratar de um momento de recuperação da mamãe, é necessário que parentes e pessoas mais próximas tenham uma atenção redobrada sobre ela, afinal é o momento aflorado da pós-gestante.

Durante o puerpério, a mãe pode sofrer diversas consequências fisiológicas e hormonais, pois estão voltando ao corpo normal. Segundo a obstetra e ginecologista, Dra. Beatrice Nuto Nóbrega, “nesse período o útero aumentado na gestação vai involuindo, diminuindo, e a ferida no seu interior deixada pela saída da placenta vai cicatrizando, a medida que o sangramento pós-parto também vai reduzindo e o colo do útero vai se fechando”. Além disso, voltado para a questão do hormônio feminino, a obstetra explica, “também observamos a queda do hormônio da gravidez, o hCG, e o aumento da prolactina, relacionado à amamentação”. A prolactina é o hormônio que estimula a produção de leite pelas glândulas mamárias e o aumento das mamas.

Outro problema bastante comum entre as mulheres na condição de pós-gestante é a constipação intestinal, ou mais popularmente falando, a prisão de ventre. Na verdade, a prisão de ventre acomete o intestino da mulher já desde a gravidez. Isso se motiva, devido ao excesso do hormônio progesterona, responsável por uma lentificação no trânsito intestinal. O hormônio ainda pode gerar retenção de gases.

Em alguns casos, essa condição do intestino ainda pode piorar após o parto, principalmente quando há manipulação cirúrgica no abdômen, nos casos de cesárea, ou devido a desidratação ou restrição de movimentação da mãe. Nestas situações, o médico vai orientar para que a paciente beba muito líquido e caminhe com auxílio o mais breve possível. Isto porque no pós-parto muitas mulheres ficam receosas de ir ao banheiro com medo de prejudicar os pontos. Entretanto, regularizar o hábito intestinal é importante, não vai atrapalhar a cicatrização, e o medo nessas horas podem atrapalhar ainda mais.


Aproveite e confira:


Algumas dúvidas sobre o puerpério:

Não manter a cicatriz aparente

Dra. Beatrice listou itens importantes para tratar de forma correta a cicatriz e evitar as tão que temidas quelóides.

Primeiramente, ela indica que seja feita a higiene local operatória, pois a infecção na ferida prejudica a cicatrização. É preciso lavar a ferida sempre com água corrente e sabonete, deixando-a sempre limpa e seca. Para deixar cada vez mais a cicatriz com uma aparência mais discreta, no mercado existem diversos produtos que auxiliam nisso, como fitas de silicone e pomadas para evitar as cicatrizes hipertróficas. Mesmo se essas medidas inicialmente não derem certo, existem muitos procedimentos dermatológicos, como infiltrações com medicações e laser que podem ajudar.

Pós-gestantes podem fazer atividades físicas, mas depende

De acordo com Beatrice, realizar atividades físicas é algo fundamental para o bem estar desta mãe, principalmente para aquela que não teve complicações. Assim, ela podem se exercitar durante e após gestação. Esporte ajuda a manter o tônus muscular e a capacidade física. Auxilia no controle do ganho de peso, reduz risco de diabetes gestacional em mulheres obesas e melhora a sensação saudável. O retorno da mulher aos exercícios após o parto depende do tipo de parto e da presença, como dito antes, de complicações.

Em geral, segundo a doutora, “mulheres depois do parto normal podem retomar suas atividades físicas mais precocemente, após dias do parto vaginal sem complicações, enquanto mulheres após cesárea podem necessitar aguardar pelo menos 30 a 40 dias”.

Procedimentos estéticos melhoram o bem estar da mulher

A técnica de drenagem linfática é muito recomendada para os casos de inchaço e edema, pois ajudam na recuperação materna. O uso de protetores solar e hidratantes ajudam a evitar o surgimento de manchas e estrias durante e depois da gravidez.

Técnicas que podem ser feitas depois de um ou dois meses, a médica recomenda massagem modeladora, procedimentos a laser e radiofrequência. Outros tratamentos mais invasivos, como peelings químicos, uso de substâncias clareadoras e procedimentos no corpo como estimulação russa só podem ser feitos após o fim da amamentação.

Remédio caseiro para azia

remédio caseiro para azia
Como se livrar da azia. Imagem: DicaVida

Um excelente remédio caseiro para azia é comer 1 torrada ou 2 biscoitos cream cracker, pois eles absorvem o ácido que está provocando a acidez na laringe e na garganta, diminuindo a sensação de queimação.

Outras opções são chupar um limão puro no momento da azia porque o limão, apesar de ser ácido, diminui a acidez do estômago, ou comer uma fatia de batata crua porque a batata também é capaz de neutralizar a acidez do estômago, combatendo o desconforto em poucos instantes.

No entanto, existem outras receitas de remédio caseiro para azia que podem ser facilmente preparadas em casa e utilizadas ao longo do dia, especialmente em quem sofre com refluxo e vive tendo crises de azia.

Algumas das receitas de remedio caseiro para azia são:

Importante: Se você está grávida clique nessa caixa azul e confira o post especial sobre azia para gestantes:
-> Azia na gravidez, como se livrar dela?

1. Bicarbonato de sódio

O bicarbonato de sódio quando está diluído em água tem efeito alcalinizante no tubo digestivo e, consequentemente, diminui a acidez do estômago, reduzindo a inflamação do esôfago e aliviando o desconforto da azia.

Ingredientes

  • 1 colher (de café) de bicarbonato de sódio;
  • 100 ml de água.

Modo de preparo

Misturar os ingredientes e tomar esta mistura em pequenos goles.

2. Chá de gengibre

O chá de gengibre contém antioxidantes e outras substâncias que ajudam a aliviar a inflamação do esôfago, além de diminuírem as contrações do estômago, o que acaba reduzindo a sensação de azia.

Ingredientes

  • 2 cm de raiz de gengibre cortada em fatias;
  • 2 xícaras de água.

Modo de preparo

Coloque o gengibre e a água numa panela e deixe ferver. Depois, desligue o fogo e deixe a panela tampada por, pelo menos 30 minutos. Por fim, remova os pedaços de gengibre e beba um copo do chá 20 minutos antes de cada refeição.

3. Chá de espinheira-santa

O chá de espinheira-santa também pode ser indicado porque possui propriedades digestivas, que além de melhorarem a má digestão, também aliviam a azia.

Ingredientes

  • 1 xícara de água fervente;
  • 1 colher de sopa de espinheira-santa.

Modo de preparo

Ferver a água e adicionar a espinheira-santa, deixando repousar por 5 a 10 minutos. Coar e tomar sem adoçar, 2 a 3 vezes por dia.

Quem não gosta de chá pode optar por tomar um suco de pera acabado de fazer porque ele também ajuda a combater a azia e queimação, auxiliando na digestão. Para preparar basta bater no liquidificador 2 peras maduras com um pouquinho de água e, se preciso, adicionar algumas gotinhas de limão para que o suco não escureça.

A pera é semi-ácida, rica em vitaminas A, B e C, assim como sais minerais, como sódio, potássio, cálcio e ferro que ajudam a diluir o ácido estomacal e a aliviar o desconforto e a queimação causados pela azia.

Além disso, outras frutas, que possuem as mesmas propriedades, que podem ser utilizadas para fazer um suco e incluem a banana d’água madura, a maçã (vermelha) e o melão.

Causa

A azia pode ser causada por fatores como má digestão dos alimentos, excesso de peso, gravidez e ter o hábito de fumar. O principal sintoma de azia é a sensação de queimação que inicia no final do osso esterno, que está entre as costelas, e que vai até a garganta.

Essa queimação é causada pelo retorno do suco gástrico para o esôfago, que por ser ácido acaba lesionando as células do esôfago e causando dor.

Veja a seguir as 10 principais causas da azia e saiba o que fazer em cada caso.

1. Fumar

As substâncias químicas que são inaladas ao fumar podem causar má digestão e favorecer o relaxamento do esfíncter esofágico, que é o músculo que fica entre o estômago e o esôfago, responsável por fechar o estômago e manter o suco gástrico lá. Assim, quando o esfíncter esofágico está enfraquecido, o conteúdo gástrico pode facilmente retornar em direção ao esôfago, causando refluxo e azia.

Nestes casos, a solução é parar de fumar para que o organismo se livre das toxinas do tabaco e volte a funcionar normalmente.

2. Tomar bebidas com cafeína

Exagerar no consumo de bebidas com cafeína, como café, refrigerantes de cola, chás preto, mate e verde, e chocolate também é uma grande causa de azia. Isso acontece porque a cafeína estimula a movimentação do estômago, o que facilita o retorno do suco gástrico para o esôfago.

Para resolver este problema, deve-se evitar o consumo de alimentos e bebidas ricos em cafeína ou, pelo menos, reduzir o seu consumo e observar se os sintomas melhoram.

3. Fazer grandes refeições

Ter o hábito de consumir grandes volumes de alimentos durante as refeições também é um dos motivos da azia, pois o estômago dica muito cheio e distendido, dificultando o fechamento do esfíncter esofágico, que impede o retorno da comida para o esôfago e garganta. Além disso, exagerar nos alimentos gordurosos também dificulta a digestão e o trânsito intestinal, fazendo com que o alimento fique mais tempo no estômago, o que pode causar azia.

Nestes casos, deve-se preferir fazer pequenas refeições de cada vez, distribuindo os alimentos em várias refeições por dia e evitando especialmente frituras, fast food, carnes processadas como salsicha linguiça e bacon, e comida pronta congelada.

4. Gravidez

A azia é comum especialmente no 2º e 3º trimestre de gravidez, pois a falta de espaço para os órgãos no abdômen da mulher juntamente com o excesso de progesterona dificultam o fechamento adequado do esfíncter esofágico, causando refluxo e azia.

Nestes casos, as mulheres grávidas devem fazer pequenas refeições ao longo do dia e evitar se deitar pelo menos por 30 minutos após as refeições, além de ter uma alimentação saudável e equilibrada.

5. Medicamentos

O uso frequente de medicamentos como aspirina, Ibuprofeno, Naproxen, Celecoxib, e vários remédios para quimioterapia, depressão, osteoporose e pressão alta podem causar azia por irritar o esôfago e causar relaxamento do esfincter esofágico, que não bloqueia adequadamente a passagem entre o estômago e o esôfago.

Para tratar a azia, deve-se evitar o uso frequente desses medicamentos e lembrar de não deitar por pelo menos 30 minutos após o uso dos remédios. Caso os sintomas persistam, deve-se falar com o médico para que ele troque a medicação ou aconselhe outra forma de uso.

6. Beber líquidos durante as refeições

Beber líquidos durante as refeições faz com que o estômago fique muito cheio, dificultando o fechamento do esfíncter esofágico, especialmente quando há o consumo de bebidas gaseificadas como refrigerantes.

Nestes casos, é importante evitar beber líquidos 30 minutos antes e depois das refeições, para que a digestão ocorra mais rapidamente.

7. Excesso de peso

Mesmo pequenas elevações no peso podem causar azia, especialmente em pessoas com histórico de má digestão ou gastrite. Isso acontece provavelmente porque o acúmulo de gordura abdominal aumenta a pressão contra o estômago, favorecendo o retorno do conteúdo gástrico para o esôfago e causando a sensação de queimação.

Para resolver o problema, deve-se melhorar a alimentação, evitar alimentos ricos em gordura e perder peso, para que o trânsito intestinal volte a fluir com mais facilidade.

Gostou de saber mais sobre sobre as causas da azia e algumas receitas de remédio caseiro para azia?

Tudo que você precisa saber sobre ultrassom morfológica

Ultrassom Morfológica
Ultrassom Morfológica. Imagem: A revista da mulher

Todos os pais aguardam ansiosamente o momento da ultrassonografia. É o momento de ver em detalhes todo o desenvolvimento do bebê. A quantidade de vezes em que a gestante realiza esse exame dependerá do médico e do acompanhamento pré-natal. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, dois exames de ultrassom morfológica já são suficientes. É indicada a realização dos exames de primeiro e segundo trimestre, dessa forma o médico consegue avaliar as estruturas do feto.

O primeiro exame deve ser realizado entre a 11ª e a 14ª semana de gravidez. O que é considerado mais importante e precisa ser avaliado com atenção é a translucência nucal (TN), esse é o parâmetro que consegue medir o acúmulo de líquido na nuca. Quando a medida estiver acima do esperado, aumentam as chances da criança apresentar síndromes ou malformações, a síndrome de down é um exemplo.

O exame de translucência nucal não é a única coisa que precisa ser levado em conta para se calcular o risco, mas outros fatores podem fazer muita diferença, como a idade materna, o histórico familiar e a idade gestacional.  No entanto, é possível que o diagnóstico seja falso-positivo, estima-se que 5% das crianças nascem sem apresentar nenhuma condição quando o diagnóstico dado aos pais é positivo.

O exame fetal realizado no segundo trimestre, ou seja, entre 20 e 24 semanas de idade gestacional, que significa 21ª até o final da 24ª semana de gestação. A ultrassonografia morfológica é uma avaliação das estruturas de todo o feto, isso significa a cabeça, o pescoço, o abdômen, o tórax, a coluna vertebral, a genitália externa e as extremidades. Além disso, o exame também avalia o líquido amniótico, a placenta e o cordão umbilical, tudo isso com a ajuda do Doppler colorido. Com os órgãos bem mais definidos, a confiabilidade do exame é enorme.

O Doppler colorido é utilizado como recurso para medir o fluxo sanguíneo em alguns vasos fetais ou maternos. No exame de segundo trimestre é realizada a análise da artéria umbilical e das artérias uterinas.

Outro ponto importante é a possibilidade de confirmar ou determinar a idade gestacional e, com isso, é possível conhecer a data provável do parto.

O sexo do bebê

Você deve estar se perguntando em relação ao sexo do bebê, não é verdade? Então, na primeira ultrassonografia morfológica os médicos conseguem ter um palpite, mas a confirmação só acontece a partir da 17ª semana. Por isso, muitas mamães costumam fazer a ultrassom morfológica nesse período.

Agora, se você quer fazer apenas duas morfológicas, a do primeiro e do segundo trimestre, é provável que só fique sabendo do sexo do bebê a partir do segundo exame.

Mesmo sabendo disso, é fundamental que converse com o médico para ter certeza sobre o resultado do exame. Muitos fatores podem influenciar na visualização do sexo do bebê.

Lembrando que qualquer gestante deve realizar a ultrassonografia morfológica de primeiro e de segundo trimestre. Não importa qualquer fator familiar ou pessoal, o exame é um direito assegurado as gestantes.

Aproveite e confira:

As principais indicações para a ultrassom morfológica

A ultrassonografia morfológica pode ser realizada no segundo trimestre de gravidez para:

  • Descobrir o sexo do bebê
  • Monitorar todo o crescimento do feto
  • Verificar se existe algum tipo de malformação
  • Examinar se o feto possui algum problema de fluxo de sangue
  • Verificar se existe algum tipo de problema na placenta
  • Monitorar os níveis de líquido amniótico
  • Saber qual o comprimento do colo do útero
  • Descobrir se o bebê está recebendo oxigênio de forma adequada
  • Verificar se existe algum problema nos ovários e no útero
  • Verificar a necessidade de algum outro tipo de exame
  • Determinar morte intrauterina

As contraindicações

A ultrassonografia morfológica é um exame não invasivo, ou seja, não existe contraindicação. É um exame que faz parte da rotina do pré-natal realizada pela gestante e não oferece nenhum risco para o feto e para mãe.

O preparo para o exame

Não é necessário nenhum cuidado significativo para realizar o exame. A paciente precisa utilizar uma proteção das vestimentas para que não se suje com o gel de contato. É indicado que a paciente esteja bem alimentada, já que isso pode melhorar a movimentação fetal.

Como é realizado o exame

Quando a paciente chega ao laboratório é orientada a se deitar com a barriga virada para cima e o dorso elevado cerca de 45 graus. Assim que feito isso, o médico vai espalhar o gel na barriga e na pelve da paciente. O gel é um auxiliar para melhorar a transmissão das ondas sonoras.

O médico utiliza uma sonda de mão sobre a pelve e a barriga da gestante. A sonda é responsável por captar ondas sonoras e transmitir na máquina de ultrassom. O aparelho de ultrassom vai captar as ondas sonoras que são emitidas pelo útero, até mesmo pelo movimento do bebê. Todos os ecos emitidos se transformam em imagem e aparecem no monitor, o que permite o profissional analisar cada detalhe do feto. Nas imagens é possível acompanhar o movimento e escutar os batimentos cardíacos do bebê.

A avaliação transvaginal do colo do útero também é realizada no segundo trimestre. Na hora do exame, o médico vai inserir uma sonda dentro do canal vaginal da paciente, dessa forma os parâmetros do colo que podem indicar qualquer risco de prematuridade são avaliados.

O tempo de duração do exame de ultrassom morfológica

O exame demora cerca de 50 minutos, mas isso vai depender da dificuldade do procedimento. Diversos fatores podem influenciar a duração da ultrassonografia morfológica de segundo trimestre, como a posição fetal, por exemplo.

Após a realização do exame, não é preciso nenhuma recomendação. Ou seja, a paciente pode retomar, sem nenhum problema, as suas atividades rotineiras.

Lembrando que a ultrassonografia de segundo trimestre deve ser realizada por toda gestante pelo menos uma vez em cada gestação.

Que tal aproveitar e conferir um vídeo sobre ultrassom morfológica?

Ensaio Gestante – dicas de como se preparar

Dicas para fazer ensaio gestante.
Ensaio Gestante. Imagem: stephanieviana

Hoje temos um post com a participação da Stephanie Viana, fotógrafa, falando sobre ensaio gestante. O site dela é: Stephanie Viana


Para fazer esse post vou usar como base a minha experiência com ensaios e trazer informações importantes e simples para ajudar você a se preparar, tanto para posar quanto para fotografar.

O primeiro passo é decidir qual tipo de ensaio gestante te interessa, se é sensual, street, lifestyle, família… 

Existe uma gama de opções e é muito importante definir o que se quer fazer e reunir ideias para inovar, afinal cada pessoa é única e possui seu próprio estilo.  

Sou a favor de buscar ideias na internet, mas nunca copiá-las, o interessante (por mais difícil que pareça às vezes) é criar.

Quando definimos o que queremos, o restante fica bem mais fácil:

  • lugar, roupas, acessórios e maquiagem se encaixam nas ideias, mas a organização deve ser mantida desde o início. 

E para quem pensa que esse “restante fica bem mais fácil” porque é só escolher e apenas fazer, está muito enganado.

Veja bem, já imaginou fazer fotos em um campo florido, num dia de verão estilo “Rio 40° graus” usando um vestido de veludo preto combinado com botas? Pelo amor de Deus! Ou nesse mesmo campo florido de girassóis usar um vestido estampado de violetas? Ai-Meu-Coração! Existem também aquelas que fazem uma make bem pesada, olhos bem pretos e cílios postiços para fotos diurnas. Não faz assim gente, o fotógrafo morre e ainda tem que ouvir muita coisa do cliente insatisfeito com as fotos! Falo por experiência própria!

Não falo apenas para ensaios femininos. Tenho exemplos também de mães que decidem acordar suas crianças bem na hora que o fotógrafo chega, e então elas começam a chorar, querem se alimentar, se negam a fazer qualquer coisa que colabore para as fotos e cansam a família e o profissional.

Para evitar esse tipo de ocorrência, observe que tudo deve ser preparado com pelo menos 40 minutos de antecedência ao ensaio: a alimentação da criança, banho, vestuário e outros detalhes que a deixem tranquila para que tudo ocorra como planejado.

Se liga então no checklist básico para se preparar para um ensaio gestante de sucesso:

  • Defina o tipo de ensaio que você deseja/precisa;
  • Escolha o lugar e se informe quanto à entrada, clima e movimentação do público (ninguém deseja imagens com cenário poluído);
  • Roupas e acessórios são muito importantes para a composição da foto, portanto estude o local, o clima, combinações de cores (você pode encontrar dicas na internet) e qual mensagem você deseja transmitir com as fotos;
  • A maquiagem é definida após a escolha dos itens acima, pois deve sempre estar em harmonia com eles, tornando assim o ensaio mais tranquilo e até mesmo o pós-processamento das imagens.

Essas dicas são bem úteis para ensaios individuais, gestantes, famílias, lifestyle e até selfies!


Aproveite e confira:


Para as mamães que desejam fotografar seus bebês, vale lembrar:

  • Certifique-se com antecedência de que o baby está bem alimentado;
  • Banho e escolha da roupa antes do ensaio é essencial para a criança não sentir nenhum incômodo que venha a atrapalhar a sessão de fotos;
  • A escolha do local, clima e horário deve ser bem feita e alinhada com a idade do bebê. Não é muito comum ensaios com babies menores de 1 ano em parque de diversões, por exemplo. A criança fica agitada com o barulho e você já pode imaginar o trabalho que vai dar para segurá-la quando quiser brincar nos brinquedos maiores!

Existe uma infinidade de detalhes que fazem toda a diferença em um ensaio fotográfico, e esses que compartilhei foram apenas alguns pontos básicos, mas que já mexem um pouco com a nossa visão, não é mesmo?

Me conte o que achou nos comentários!

Grande beijo!

Site: Stephanie Viana

Dúvidas sobre o xixi na cama? Especialista responde 9 perguntas!

Xixi na cama. imagem: Gazeta do Povo

Quem tem criança que faz xixi na cama está sempre procurando maneiras de evitar os lençóis molhados. Entre as medidas mais adotadas, está a cansativa tarefa de acordar a criança durante a madrugada para usar o banheiro e voltar para cama. A justificativa, segundo as mães, é proteger o colchão e ajudar a criança a entender que ela precisa ir ao banheiro quando a bexiga fica cheia. Mas afinal, isso ajuda mesmo no controle da enurese?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), a enurese, transtorno que causa a perda involuntária da urina durante o sono, atinge até 15% das crianças com mais de 5 anos de idade. “Pode acontecer devido a fatores genéticos relacionados à quantidade de urina produzida pela criança durante a noite ou à disfunção da bexiga durante o sono, ocorrendo, portanto, sem qualquer culpa por parte da criança”, diz Dr. Atila Rondon, Urologista, com atuação em Urologia Pediátrica.

Confira algumas perguntas mais ouvidas pelo especialista no consultório.

  1. Meu filho chegou em casa dormindo. Devo acordá-lo para fazer xixi no banheiro?

Sim. É muito comum que as crianças voltem dormindo de festinhas ou passeios mais longos. Contudo, antes de colocar seu filho na cama para dormir, o ideal é acordá-lo para fazer xixi no banheiro. Isso porque todo o líquido que ele consumiu permanecerá armazenado na bexiga por um longo tempo, facilitando episódios de perda involuntária. No caso da enurese isso é ainda mais importante, já que a criança produz, naturalmente, mais urina à noite e tem uma capacidade vesical menor.

  1. E durante a noite, é certo acordar a criança para ir ao banheiro?

Não. Muita gente usa essa alternativa no intuito de preservar o estofado do colchão, mas a técnica não é recomendada. Acordar a criança durante a noite faz com que ela tenha um sono superficial e, por consequência, possíveis lacunas em seu desenvolvimento. A própria qualidade de vida da mãe passa a ser afetada, já que ela também precisa acordar para levar a criança ao banheiro.

  1. Quais são os prejuízos do sono interrompido?

A enurese pode acontecer em todas as fases do sono e é por isso que não adianta escolher um horário para acordar a criança e levá-la ao banheiro. Por não haver um esvaziamento completo da bexiga durante os episódios de perda, é comum que a criança faça xixi na cama várias vezes em uma mesma noite. A qualidade do sono está ligada às atividades que são realizadas ao longo do dia. Invista nos exercícios físicos apropriados à idade do seu filho e evite os equipamentos eletrônicos à noite.

  1. Devo colocar fraldas no meu filho para dormir?

Por mais que a ideia seja evitar qualquer incômodo, colocar fralda em crianças acima de 5 anos pode prejudicar o desenvolvimento emocional e não ajuda no tratamento da enurese. Converse com o especialista e tente outras abordagens. A própria retirada precoce da fralda – em média, antes de 1 ano e 8 meses – aumenta as chances de xixi na cama. Antes de desfraldar, identifique na criança os sinais de que ela está preparada e evite pressioná-la.

  1. Existe um horário para levar a criança ao banheiro à noite?

Sim. O ideal é que a criança vá ao banheiro logo antes de deitar e assim que acordar. A ingestão de líquidos durante a noite deve ser evitada, assim como o consumo de alimentos com cafeína e/ou estimulantes. Durante o dia, cuide para que a criança se hidrate bastante e vá ao banheiro com frequência. Criar rotinas é uma maneira simples de estimular o desenvolvimento da bexiga e evitar as perdas de xixi na cama. Mas atenção a sinais como jato fraco, ardência ou contenção. Eles podem indicar que o mecanismo urinário precisa da atenção de um especialista.

  1. O que fazer quando meu filho acordar com os pijamas molhados?

Mesmo com todos os cuidados, às vezes, o xixi escapa. Procure oferecer conforto à criança e mostrar que a enurese é apenas uma fase que vocês passarão juntos. Nada de castigos, punições ou deboches. Por mais estressante que a situação seja, a criança não tem culpa – e nem os pais. Procure um especialista e trace alternativas. O apoio dos pais é indispensável para que a criança supere o transtorno sem traumas, e, de preferência, com qualidade de vida e de sono.

  1. No inverno aumenta a frequência do xixi na cama?

Urinamos mais no inverno porque transpiramos muito menos do que nas outras estações. O nosso corpo produz a mesma quantidade de água independente da época (num processo chamado homeostase), quando a temperatura externa é muito mais fria do que a do corpo, a quantidade de água que eliminamos pelo suor e pela respiração é bem menor. Nos dias de frio, quem passa a lidar com o excesso de água do nosso organismo é o rim, que controla a bexiga. Portanto, fazemos mais xixi porque é a forma que o nosso corpo encontra de eliminar e equilibrar o nível de água, o que pode aumentar a ocorrência de episódios de enurese.

  1. A ansiedade piora o quadro? Percebo que na semana de provas da escola, a frequência do xixi na cama aumenta.

A criança com enurese não consegue controlar a micção durante o sono e os episódios ocorrem involuntariamente. Em momentos de estresse a ocorrência do xixi na cama pode aparecer sim com mais frequência. Os pais devem ficar atentos ao comportamento da criança para identificar se é uma situação esporádica, ou se está sendo recorrente.

  1. Meu vizinho deu um remédio para a filha dele e a menina melhorou, posso usar a mesma medicação com o meu filho? O tratamento é o mesmo para todas as crianças?

Cada criança deve ser avaliada para que o especialista detecte o tipo de tratamento mais indicado. Algumas das causas da enurese são excesso de produção de urina, menor capacidade vesical ou dificuldade de acordar. Nestes casos, o especialista pode indicar medicações ou dispositivos médicos. Inserir pequenas mudanças na rotina, como evitar que a criança ingira líquidos 2 horas antes de dormir e incentivar o xixi antes de deitar e logo ao acordar, também são recomendados e podem trazer bons resultados. Cada noite seca precisa ser encarada como uma vitória, valorizada com elogios e muito carinho.

Mais informações sobre o xixi na cama

O site www.semxixinacama.com.br, desenvolvido com o apoio do Laboratórios Ferring, reúne informações sobre a Enurese e tem o objetivo de orientar as famílias sobre como lidar com o xixi na cama sem traumas, alertando sobre a importância do diagnóstico correto e da busca por tratamento médico adequado. 

311,627FãsCurtir
38,216SeguidoresSeguir
11,348InscritosInscrever