fbpx
Início Site

Festa infantil evangélica: qual tema escolher?

Festa infantil evangélica: Arca de Noé
Foto: Toda Atual

Você quer fazer uma festa infantil evangélica para o seu filho? Comemorar o aniversário é uma ótima ocasião para celebrar a sua religião e entreter os convidados dentro dos valores em que você acredita. E, para ajudar, separamos algumas ideias de temas que podem ser seguidos para tornar esse dia mais especial!

Assim, você consegue fazer com que a criançada se divirta muito e ainda pode aproveitar este dia para transmitir os seus ensinamentos.

Confira abaixo alguns temas para festa infantil evangélica:

Smilinguido

temas festa infantil
Imagem: alicevarajao.blogspot.com

O Smilinguido é um dos personagens evangélicos mais famosos. Afinal, este desenho fala sobre formigas que enfrentam situações comuns humanas. Com base nas histórias bíblicas, as formigas conseguem vencer os seus obstáculos e superar adversidades.

Logo, o Smilinguido é uma escolha perfeita para uma festa infantil evangélica!

Você pode utilizar desenhos da formiguinha para decorar a mesa, colar citações pelas paredes e até mesmo decorar o bolo com o rosto do personagem.

Arca de Noé

festa infantil arca de noé
Imagem: FESTA E CIA

Os animais geralmente são muito apreciados pela criançada. Portanto, fazer a sua festa infantil evangélica seguindo o tema da Arca de Noé é uma ótima ideia.

Para decorar, utilize pares de animaizinhos. Invista em elefantes, girafas, leões, lobos e outros favoritos das crianças para decorar a mesa e as paredes.

Animais de pelúcia também são ótimos para deixar a decoração mais fofa!

Aproveite e confira:

3 palavrinhas

festa infantil 3 palavrinhas
imagem: Luanali Morais

É projeto cristão infantil criado para resgatar músicas antigas da igreja e promover a aproximação e a intimidade da criança com Deus.

Com músicas de autores variados, a obra tem surpreendido positivamente a todos pelas mensagens bíblicas e melodias de fácil assimilação pelas crianças.

Os pequenos adoram assistir e cantar as músicas do 3 Palavrinhas!

Turma do Cristãozinho

Imagem: @sheilaborgeslerner

Os vídeos e as músicas dessa turma levam as crianças para o universo infantil de aprendizado com muita graça e brincadeiras. A diversão é garantida!

A Pesca Maravilhosa

imagem: minha-heranca.blogspot

História de quando Jesus mandou os pescadores jogarem a rede novamente depois deles terem passado a noite todo sem conseguir pescar nada. Mas Jesus disse para jogarem eles jogaram e a rede voltou cheia de peixes. Tem uma música infantil sobre essa história que faz muito sucesso com as crianças.

Personagens da Bíblia

Imagem: Dinoleta

A Bíblia conta com diversas pessoas que passaram por situações em que a sua fé foi testada. Inspirar-se nesses heróis é uma ótima forma de criar uma festa infantil divertida e, ao mesmo tempo, incentivar as crianças a serem como essas pessoas.

Davi é um bom exemplos de história que podem ser utilizada como inspiração. Colocar passagens de heroísmo e bravura nas paredes instiga a curiosidade das crianças e completa a decoração.

A criação

Festa infantil evangélica: Natureza
Foto: Maternidade Colorida

A natureza foi um dos mais belos presentes de Deus para os seres humanos. Por isso, ela também é uma ótima ideia para decorar a sua festa infantil evangélica!

Você pode abusar do verde e criar árvores, arbustos, rios e lagos para enfeitar o salão de festas. É possível até mesmo decorar as paredes com a história da criação do mundo em sete dias!

Dentro do tema criação, existem muitas vertentes que você pode seguir. Pense no tema safari, oceano, céu, enfim. São muitas as opções para criar um ambiente divertido para as crianças!

Agora que você já conhece alguns dos temas mais legais para uma festa infantil evangélica, chegou a hora de colocar a mão na massa. Para tornar esse momento especial, você pode chamar as crianças e o papai para pensarem juntos na decoração. Existem muitos sites de inspiração que ensinam você a fazer decorações sem sair de casa.

Assim, vocês constroem momentos deliciosos e educativos juntos! Em suma, não é difícil fazer uma festa. Você só precisa de criatividade e dedicação!

Caso você tenha alguma ideia de tema para festa infantil evangélica ou queira compartilhar as fotos da sua comemoração conosco, deixe o seu comentário no espaço abaixo. Aproveite também para compartilhar o artigo nas redes sociais!

6 passos para um desfralde mais fácil

dica para fazer o desfralde
Imagem: The Changing Tables

A retirada da fralda é um desafio dos pais de crianças entre 2 e 3 anos, e como o verão está chegando muitos pais estão se preparando fazer o desfralde dos filhos.

A terapeuta ocupacional Syomara Smidiziuk, do Centro de Excelência em Recuperação Neurológica (CERNE), ensina um processo para dar mais segurança às famílias na hora de fazer o desfralde.

O desfralde precisa seguir algumas etapas para correr com maior fluidez:

1)     A criança está preparada para fazer a retirada das fraldas?

Manifesta controle corporal, como pular com os dois pés? Avisa quando a fralda está suja? Para fazer o desfralde, é preciso deixar de tratá-la como um bebê. Ela ainda toma mamadeira, dorme no berço e toma banho de banheira, por exemplo? Quem sabe é hora de mudar os hábitos.

2)     Se a criança está pronta, é hora de tirar a fralda de uma vez.

Se a criança ficar usando um pouco a fralda e tirar um pouco, ela não aprenderá a segurar e pedir para ir ao banheiro. Uma dica é observar os horários em que a criança faz as necessidades e antecipar a ida ao banheiro.

3)     Não deixe a criança sentada tempo demais no vaso ou penico, esperando “ter vontade”.

No máximo deixe esperando cinco minutos. Se necessário, faça massagem na barriga para ajudar.

4)     Use um apoio para os pés.

Existem vários banquinhos plásticos que você pode colocar na frente do vaso para ajudar. Ela vai se sentir mais segura.

5)     Adotar uma recompensa exclusiva para a ida ao banheiro

Podem ir fazendo estrelinhas em um painel para cada vez que seu filho for ao banheiro certinho e no final de tantos dias indo ao banheiro ele pode ganhar algum presente como recompensa

6) Precisa tirar a fralda do dia e da noite no mesmo momento?

É bom para a criança não se confundir com usar um pouco a fralda e não usar. Mas se você achar melhor pode tirar só a do dia e pode esperar até que a fralda amanheça seca por vários dias para assim retirar a fralda da noite.

“Não use o banheiro como uma brincadeira; não pergunte se ela quer ir, apenas conduza”, sugere Syomara.

Ela enfatiza a importância da persistência, lembrando que os escapes são normais e parte do processo do desfralde.

“O prêmio é a independência e maior conforto para a família toda”, afirma.

Confira essas dicas que podem te ajudar na retirada das fraldas:

dicas para o desfralde
Dicas para fazer o desfralde. imagem: MamyPoko

Como fazer o desfralde de crianças e adolescentes com dificuldades motoras, cognitivas e pessoas com transtorno do espectro autista?

O Centro de Excelência em Recuperação Neurológica (CERNE) também tem realizado com sucesso o desfralde de crianças e adolescentes com essas dificuldades.

“Nos casos de dificuldade de comunicação, use gestos, sinais ou fotos”, ensina Syomara.

É importante ter certeza que não existe uma explicação médica para a dificuldade na retirada das fraldas, como o comprometimento da bexiga.

As maiores dificuldades enfrentadas pelas crianças autistas durante o desfralde costumam ser nas áreas:

  • linguagem (entender o estímulo do adulto relacionado à ida ao banheiro);
  • vestuário (demora ou incapacidade de retirar as roupas);
  • o próprio medo de se sentar no vaso ou do barulho da descarga;
  • e o conhecimento do corpo (ele pode não perceber a roupa molhada).

“Toda criança é capaz de sair das fraldas, desde que não haja uma patologia urológica”, assegura Syomara

Além da independência proporcionada à criança ou ao adolescente, a retirada das fraldas previne casos de infecção urinária, mau cheiro e o desconforto.

Outra vantagem é a menor quantidade de laxante necessário para o bom funcionamento do organismo.

“Em geral, o processo tem muito mais a ver com a organização familiar do que com um mau funcionamento do corpo”, explica a terapeuta.

As famílias que necessitarem de ajuda profissional para fazer a retirada das fraldas podem contar com o auxílio da terapia ocupacional nessa importante transição.

Outra dica é usar jogos e aplicativos para a família que ensinam a ir ao banheiro, como “Pepi Play” e “Potty Training”, além de livros infantis e vídeos.

O que é parto induzido? Entenda melhor!

Parto induzido
Foto: Pexels

O parto induzido é um termo que costuma assustar muitas gestantes. Afinal, ele implica que o bebê vai nascer antes de começarem as contrações de forma natural nas mamães. Logo, é normal que você se assuste ao pensar nesta possibilidade.

Porém, não precisa ficar preocupada! O parto induzido é um procedimento médico normal e é indicado para algumas situações específicas. Portanto, continue lendo este artigo até o final para entender quando ele é necessário e aprender tudo o que você precisa saber.

Afinal, o que é parto induzido?

Esse procedimento médico consiste em utilizar medicamentos que induzem as contrações nas gestantes. Ele é recomendado para gestações prolongadas. Ou seja, é indicado para quando o bebê já está há mais de 41 semanas no ventre materno.

Assim como no caso do nascimento prematuro, a gestação prolongada pode oferecer riscos tanto para a mamãe quanto para o bebê. É justamente por isso que o parto induzido é recomendado nestes casos.

Como funciona o procedimento?

A indução ao parto é utilizada com a ajuda de um medicamento chamado prostaglandina. Essa substância é natural e responsável pelo parto natural. Ou seja, quando a mulher entra em trabalho de parto, o organismo libera a prostaglandina.

Atualmente, essa substância existe em formato de medicamento para ser utilizado quando o colo do útero não está em dilatação. O comprimido é colocado na vagina da mamãe e dá início ao trabalho de parto.

Parto induzido
Foto: Pexels

Por quê recorrer ao parto induzido?

Como já mencionamos acima, o parto induzido é recomendado principalmente para gestações prolongadas. Ou seja, que passam do período considerado normal de 41 semanas.

Quando este marco é ultrapassado, a gestação começa a oferecer riscos para a mamãe e o bebê. Uma das principais complicações que podem acontecer é a diminuição e envelhecimento do líquido da placenta, responsável por suprir as necessidades do feto. Assim, o bebê começa a ter menos oxigênio no ventre.

Também existe o risco de que o bebê aspire as próprias fezes e tenha paradas cardíacas. Por isso, o parto induzido é recomendado para que ele venha ao mundo com saúde e sem complicações.

Por quê acontece a gestação prolongada?

Uma das principais dúvidas das futuras mamães é por quê acontece a gestação prolongada. Afinal, o tempo normal é de 40 semanas e, geralmente, esse é o período em que a maioria das mulheres entra em trabalho de parto.

Porém, é preciso lembrar que cada organismo é diferente do outro. Isso significa que cada mulher tem as suas particularidades e nem sempre é possível evitar as complicações da gestação. Por isso, é importante realizar todos os exames em dia e manter um contato próximo com o seu médico.

Uma das principais causas da gestação prolongada é a falta de um hormônio chamado ocitocina, responsável pelas contrações uterinas. Sem esse hormônio, não acontece a dilatação e é impossível fazer com que o bebê nasça com o parto natural.

Parto induzido ou cesariana: o que é melhor?

Outra solução para cuidar da saúde do bebê no caso da gestação prolongada é a cirurgia cesariana. Neste caso, o parto é feito por meio de uma cirurgia. Essa é uma opção para quem não quer receber o hormônio no corpo.

Não existe uma resposta única para qual a melhor solução para a gravidez prolongada. Tudo depende do organismo da mamãe, da recomendação médica, do tempo de gestação e dos riscos particulares de cada caso.

Portanto, caso isso aconteça com você, converse com o seu médico para entender melhor as duas opções e decidir o que é melhor para o seu bebê.

Agora que você já sabe mais sobre o parto induzido e a gestação prolongada, lembre-se de que não precisa se desesperar. Felizmente, a medicina atual já é avançada o suficiente para cuidar tanto de você quanto do seu bebê em ambos os casos: nascimento prematuro ou gravidez prolongada. Confie na sua equipe médica e prepare-se para essa jornada maravilhosa que é ser mãe!

Ficou com alguma dúvida? Então deixe o seu comentário no espaço abaixo e não se esqueça de compartilhar o artigo em todas as suas páginas nas redes sociais!

Alergia a insetos: tudo o que você precisa saber

alergia a picada de insetos
imagem: Revista Galileu

Você já sabe se o seu bebê tem alergia a insetos? Isso é muito comum em crianças e é algo que você precisa prestar atenção para garantir o bem-estar do seu filho. Porém, não é preciso ficar preocupada! Existem muitas formas de descobrir a alergia e de evitar que o neném sinta desconforto.

Se o bebê tem a pele sensível, as chances de que picadas de inseto causem alergias são maiores. Por isso, é essencial que você observe a pele ao redor da picada para identificar sinais de irritação.

Então, que tal entender tudo sobre isso para cuidar da saúde do bebê?

O que é a alergia a insetos?

As alergias a insetos podem ocasionar coceira, lesões e vermelhidão na pele. Quando o bebê tem entre 12 e 24 meses, ele pode apresentar pequenos quadros de alergia. Já entre os 3 e 10 anos, os quadros podem ser mais intensos.

Dentre os insetos que mais picam as crianças, estão os mosquitos, pulgas, carrapatos e outros que se alimentam de sangue.

As lesões causadas pela picada geralmente são mais altas que o nível da pele, vermelhas e geralmente aos pares. Ou seja, é muito comum que exista mais de uma picada.

Como eu sei que pode ser uma alergia a insetos?

As picadas, principalmente de mosquitos, são muito comuns. Porém, a lesão costuma ficar apenas alguns dias no corpo e desaparecer.

Se após a picada surgirem manchas avermelhadas pelo corpo do bebê ou criança, as chances de que ele seja alérgico são maiores. Afinal, isso significa que a picada provocou uma reação e não vai sumir com facilidade.

A alergia também pode provocar outros sinais como:

  • Falta de ar;
  • Rouquidão;
  • Inchaço nas mucosas (olhos e boca);
  • Náuseas e vômitos.

Se o seu filho apresentar qualquer um desses sintomas, talvez seja uma ótima ideia consultar um médico. Assim, ele pode indicar um antialérgico de acordo com as necessidades, peso e idade do seu filho.

Como prevenir as picadas de insetos?

Se o seu filho tem alergia a insetos, é preciso redobrar a atenção. Porém, é muito difícil evitar picadas porque você nunca sabe quando os insetos estarão presentes.

O ideal é investir em repelentes e passar no corpo da criança, principalmente antes de dormir. Afinal, os mosquitos costumam sair à noite.

Também é possível comprar um inseticida para o quarto. Esse tipo de produto tem ação prolongada e evita a ação dos mosquitos.

Para evitar as picadas nos bebês, invista em mosqueteiros e redes de proteção no berço.

Confira também: 11 dicas de como espantar mosquitos e pernilongos

Dicas para evitar o desconforto das picadas

Tendo alergia a insetos ou não, as picadas podem ser bastante desconfortáveis. Para ajudar a criança a sentir menos incômodo, você pode tentar alguma das dicas abaixo:

  • Coloque compressas frias ou panos molhados com água gelada sob a região picada. Isso ajuda a aliviar a coceira e reduzir o inchaço das lesões;
  • Se a picada produzir bolhas, nunca estoure. Isso pode fazer com que a pele da criança fique ainda mais machucada;
  • Compre pomadas específicas para aliviar a dor, irritação e coceira. Existem produtos específicos para aliviar esse desconforto e diminuir as chances de infecções. Afinal, é muito comum que as crianças cocem a ferida e piorem o machucado;
  • Evite produtos que contenham cânfora em bebês com menos de 2 anos;
  • Evite usar produtos antialérgicos sem a indicação médica;
  • Limite a exposição ao sol no caso de feridas;
  • Corte as unhas das crianças para que ela não se arranhe ao coçar a picada. Também é uma boa ideia monitorar os movimentos para evitar que ela se machuque mais.

Agora que você já conhece os principais sinais de reação alérgica a insetos e sabe como evitar o desconforto, lembre-se sempre de prestar atenção aos sinais que o seu filho te dá. Caso você perceba que a situação causa muito incômodo, converse com um pediatra para identificar as principais práticas para cuidar da saúde dele.

Confira alguns tipos de picadas de insetos:dicas sobre picadas de insetos

Tipos de picadas de insetos. Imagem: Curiosidades da TerraFicou com alguma dúvida? Deixe um comentário para que possamos ajudá-la da melhor forma. E não se esqueça de que você pode sempre contar com o apoio médico para garantir o bem-estar dos seus filhos. Não tenha medo de entrar em contato!

Aproveite e confira: Zika vírus, transmissão, sequelas e tratamento

O que você precisa para fazer um chá de bebê?

Ideias para fazer um chá de bebê

Você já pensou em como fazer um chá de bebê? Esse tipo de evento vai muito além da decoração. Ou seja, você precisa pensar nas atividades, convidados, brincadeiras e tudo o mais para aproveitar esse momento tão especial com os seus amigos e família.

Porém, não precisa se desesperar! Vamos apresentar algumas ideias para fazer um chá de bebê. Assim você, futura mamãe, pode escolher o que tem mais a sua cara e começar a organizar a sua festa.

Então, que tal conferir um checklist básico de tudo o que você precisa para montar um chá de bebê perfeito para dar boas-vindas ao seu bebê?

Ideias para fazer um chá de bebê
Foto: Pexels

Confira abaixo o que você precisa saber para fazer o chá de bebê:

Monte a lista de convidados

Antes de tudo, você precisa saber quem vai convidar para o chá de bebê. Afinal, você precisa ter uma ideia de quantas pessoas vão participar para começar a planejar a festa.

Se você quer um evento mais intimista, convide apenas a família e os amigos mais próximos. Agora, se você quer celebrar com muitas pessoas, vale convidar todo mundo! Os colegas de trabalho, da igreja, de aulas e etc.

Assim que a lista estiver pronta, você terá uma ideia melhor de como começar a planejar.

Defina o tema

O tema é o que você mais precisa de ideias para fazer um chá de fraldas. Isso porque toda a decoração será realizada de acordo com isso.

Você pode escolher temas com base no gênero do bebê ou fazer algo neutro. Os elefantinhos, por exemplo, são uma grande tendência de chá de bebê e podem deixar a festa muito mais fofa!

Outras dicas de decoração são:

E muito mais! Aqui, vale deixar a sua criatividade rolar solta para conseguir as melhores ideias.

Defina os comes e bebes

Para garantir o sucesso do seu chá de bebê, você precisa de comes e bebes. O ideal é que você ofereça aperitivos que podem ser consumidos com as mãos, como coxinha, bolinha de queijo e etc. Assim, as demais atividades não serão atrapalhadas.

Refrigerantes e sucos naturais também são ótimas pedidas para completar o cardápio do chá de bebê.

Para mais ideias do que servir no chá de bebê confira:

Crie atividades divertidas

Agora, chegamos em uma das partes mais gostosas de montar um chá de bebê: as atividades e brincadeiras.

Afinal, esse momento tão importante deve ser comemorado de forma alegre e descontraída. Então, você pode desenvolver brincadeiras para você e todos os convidados com a ajuda do papai e dos padrinhos do bebê.

Veja abaixo algumas ideias para fazer um chá de bebê divertido:

Adivinhar o presente: tente acertar o que está dentro de cada caixa de presente. Se você acertar, o convidado que comprou o item tem que pagar uma prenda. Se errar, você paga a prenda!

Surpresa de gênero: se você ainda não sabe qual o sexo do bebê, a festa é um ótimo momento para descobrir! Peça para os padrinhos prepararem um bolo rosa ou azul por dentro, cantarem uma canção e só a madrinha ou padrinho cantam o refrão para contar o gênero, etc. Existem diversos modos de tornar esse momento especial!

Caça aos presentes: peça para os convidados esconderem os presentes pelo salão e deixarem dicas para você encontrá-los.

Agora você já conhece algumas das brincadeiras mais divertidas para fazer um chá de bebê. Basta escolher as suas favoritas e aproveitar!

Quer mais ideias de brincadeiras para o chá de bebê? Confira:

Não se esqueça das lembrancinhas

As lembrancinhas também são uma parte importante de quando você pensar em ideias para fazer um chá de fraldas. A boa notícia é que você pode fazê-las em casa mesmo, sem gastar muito dinheiro.

Veja algumas ideias de lembrancinhas:

Como fazer lembrancinha de chá de bebê em EVA
Foto: Big Tudo Artesanato
Como fazer lembrancinha de chá de bebê em EVA
Foto: DCore Você

O ideal é que elas sigam o tema da festa e possam ser levadas para os convidados. Assim, eles se lembrarão desse momento para sempre.

No link a baixo você vai encontras muitas ideias de lembrancinhas para chá de fraldas, é só escolher!

Gostou das nossas ideias para fazer um chá de bebê? Se você tiver alguma dúvida ou quiser compartilhar uma ideia conosco, entre em contato. Aproveite também para compartilhar o artigo nas redes sociais!

DIY: luminária de árvore de Natal para fazer com as crianças

O Natal está chegando e uma casa com crianças não pode faltar uma decoração especial, não pode faltar uma árvore de natal.

No Natal passamos tempo com quem gostamos e curtimos o fim de ano em uma gostosa celebração. O momento fica ainda mais especial quando nos deixamos contagiar pela alegria e comunhão dessa data repleta de significados.

A arquiteta Gabi Aude, do canal Decorando com Gabi Aude, sugere que as famílias se envolvam em atividades a fim de preparar em conjunto a decoração do Natal. É aí que os DIYs entram em cena.

Pais e crianças podem colocar a mão na massa, criando enfeites com grande valor emocional, que viram presentes sensíveis e marcantes.

No tutorial abaixo, Gabi ensina a fazer uma luminária lúdica de árvore de Natal, fácil para criar com os baixinhos:

Material necessário:

  • Papel Paraná A3 em duas gramaturas diferentes
  • Luz pisca-pisca
  • Tinta guache e pincel
  • Fita adesiva
  • Cola quente ou cola instantânea
  • Tesoura
  • Lápis
  • Objeto para furar
  • Molde de árvore (um pedaço de papelão com o desenho da árvore)

Dicas: esse projeto requer duas gramaturas diferentes de papel paraná. Uma delas deve ser mais firme para compor a estrutura principal da árvore. A outra precisa ser mais maleável, para as bordas, que são curvas. O pisca-pisca usado no tutorial é de bolinhas, mas também é possível usar um modelo comum.

Modo de fazer:

1. O primeiro item necessário para execução do tutorial é o molde (tamanho A3), assim como o papel. Ele pode ser feito de papelão, desenhado à mão livre de acordo com imagens de árvore de Natal da internet.

2. Com o molde pronto, basta colocá-lo sobre o papel paraná, fixando-o com fita adesiva para que ele não se mova. Trace o molde sobre o papel e corte em seguida. A estrutura principal da luminária está pronta!

3. A lateral da árvore será feita com o papel paraná de gramatura menor, tornando o material mais maleável. Corte tiras entre 5 cm e 10 cm do papel paraná. Em seguida, molde a tira na primeira curva da árvore, dobrando-a com cuidado. Tire a medida da curva e corte o papel. Faça isso até que o contorno da árvore esteja completo.

4. Passe a cola quente ou a cola instantânea na parte inferior das tiras e vá colando-as na lateral da árvore, de maneira que fiquem “em pé”. Mantenha-as pressionadas por algum tempo, para que as colas sequem e os papéis se fixem o suficiente.

5. Conte a quantidade de luzinhas no fio de pisca-pisca. O fio usado nesse tutorial contém 20 luzinhas. A partir disso, faça pontinhos com o lápis na estrutura da árvore para demarcar os furos onde as luzes serão colocadas. Esse passo não precisa de medidas e pode ser feito a olho. Em seguida, fure cada pontinho feito com uma chave de fenda ou outro objeto.

6. Chegou a hora favorita das crianças – pintar! Coloque aventais nos pequenos e faça a festa com guache verde e pincel. Você pode usar mais de um tom de verde para pintar, se preferir.

7. Depois que a estrutura estiver toda seca, coloque as luzes nos buraquinhos.

8. Você também tem a opção de enfeitá-la com um laço e estrelas no topo: seja criativo! Sua árvore está pronta, para decorar o quarto das crianças e deixá-las cheias de orgulho pelo projeto feito esse Natal.

Aproveite e confira mais essas ideias de decoração de natal:

Bebê com fimose: o que fazer? Veja tudo o que precisa saber!

Tudo o que você precisa saber sobre fimose
Fimose. Imagem: pexels

Só de falar em bebê com fimose, muitas mamães já ficam preocupadas. Porém, você sabe o que isso significa? A verdade é que a condição é muito menos preocupante do que parece!

Antes de tudo, é preciso saber que essa condição é exclusiva para bebês do sexo masculino. Afinal, a fimose está relacionada ao pênis da criança.

Então, se você tem um menininho recém-chegado em casa e quer saber tudo sobre a fimose, não deixe de acompanhar o artigo até o final!

E, caso você tenha alguma dúvida, lembre-se que você sempre pode contar com a ajuda de um pediatra. Muitas mamães sentem que fazem perguntas demais. Porém, a verdade é que conversar com um médico pode ajudar você a ficar mais tranquila e entender melhor sobre a saúde do bebê.

Agora, vamos falar um pouquinho sobre essa condição.

Afinal, o que é a fimose?

Existem dois tipos de fimose. A primeira é chamada de fimose fisiológica e é algo com o que todos os bebês do sexo masculino nascem.

Isso está relacionado ao prepúcio, aquela “pelezinha” que fica ao redor do pênis. O prepúcio fica grudado à glande e não é um problema desde que não cause obstrução do fluxo urinário. O prepúcio só se torna um problema caso isso ocorra, já que a obstrução pode causar infecções.

Já a fimose propriamente dita acontece quando existe uma espécie de anel apertando essa extremidade. Nesse caso, o prepúcio não pode ser recolhido e pode ocasionar problemas à saúde do bebê.

Vale ressaltar que o prepúcio começa a descolar naturalmente a partir de 1 ano e meio de idade. Até os 3 anos do bebê, são poucos os meninos que ainda têm essa pelinha.

É preciso fazer cirurgia?

Fimose. Imagem: pexels

Geralmente, a cirurgia para fimose (conhecida como circuncisão) logo após o nascimento é feita por motivos religiosos. Por isso, não existe um consenso médico de se ela deve ser realizada assim que o bebê nasce.

Afinal, apenas uma pequena parcela dos bebês do sexo masculino precisa, de fato, se submeter à operação.

A cirurgia é indicada quando o estreitamento da glande causa infecções urinárias frequentes. Nesse caso, a recomendação é de que a cirurgia seja feita entre os 7 e 10 anos de idade, sempre antes da puberdade.

Já a cirurgia precoce deve ser realizada quando acontecem as postites frequentes. Esse termo significa que acontecem infecções da pele que cobre o pênis, causando desconforto e até mesmo dores.

Outro caso em que a cirurgia precoce é necessária é quando acontecem parafimoses (a glande é exteriorizada e não volta à posição normal).

Por isso, é essencial que você consulte um médico no caso de qualquer anormalidade. Assim, ele poderá indicar ou não a realização da cirurgia de circuncisão.

Como é o processo de recuperação da cirurgia?

Após a realização da cirurgia, o período de cicatrização demora cerca de 10 dias. Nesse tempo, o inchaço diminui e o menino já pode voltar às atividades normais.

É essencial que você lembre de passar pomadas cicatrizantes na área da glande para diminuir o desconforto da recuperação. O médico pode recomendar também um analgésico para diminuir a dor.

Uma das principais dúvidas é se é normal sentir dor ao urinar após a cirurgia. Esse desconforto pode ser um indício de que você precisa voltar ao médico.

O que é normal é sentir dificuldade ao urinar, já que o pênis do menino não tem mais o prepúcio e a pele fica mais sensível.

Agora que você já sabe tudo o que precisa sobre a fimose, é mais fácil ficar tranquila! Lembre-se de sempre contar com o apoio médico para saber o que é melhor para o bebê e a criança.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato para que possamos ajudá-la e aproveite para compartilhar o artigo em todas as suas páginas nas redes sociais!

 

Festa infantil: veja temas alguns temas que são sucesso!

festa infantil dos minions
Imagem: Revista Crescer

Fazer uma festa infantil é uma tarefa muito divertida não apenas para a criança, mas também para as mamães e papais de plantão. Afinal, você tem a chance de deixar a sua criatividade rolar solta e criar temas incríveis para divertir os pequenos. Porém, nem sempre é fácil decidir qual a melhor temática dentre tantas opções disponíveis.

Para começar a criar a sua festa, é preciso primeiro conversar com a criança. Afinal, a festa é para ela e o seu objetivo deve ser transformar este dia tão especial em memórias mágicas. Observe quais são seus desenhos favoritos, as cores, brincadeiras e tudo o que for relevante para a decoração e atividades da festa.

Assim, você fica um passo mais perto de criar a festa infantil perfeita para o seu filho ou filha!

Mas se você ainda tiver dúvidas sobre quais são os temas que fazem sucesso, não se desespere. Existem várias opções que são adoradas pelas crianças e que você pode investir para garantir a diversão.

Ficou curiosa?

Veja abaixo temas criativos para festa infantil:

Frozen

Um dos temas favoritos da criançada é Frozen. A festa da Disney conquistou milhares de corações ao redor do mundo e virou o filme favorito de muitas crianças. Por isso, você pode se inspirar nas aventuras de Anna e Elsa de Arendelle para criar um ambiente incrível para a festa.

A ideia é apostar em flocos de gelo de papel e/ou EVA, cores azuis e brancas e fantasiar a criança com a sua princesa favorita. Recriar o castelo de gelo da Elsa para a mesa de bolo também é uma ótima forma de completar a decoração.

Confira também: 50 ideias para fazer uma festa infantil Frozen

Festa infantil Frozen
Festa Frozen. Foto: Mil Dicas de Mãe

Alice No País das Maravilhas

Este desenho clássico nunca deixou de ser uma tendência de temas criativos para festa infantil. Afinal, as aventuras da pequena Alice levam as crianças para um mundo mágico, cheio de seres místicos e divertidos.

Então, que tal transformar a sua festa no próprio mundo das maravilhas?

A boa noticia é que isso é extremamente fácil! Você pode imprimir desenhos de personagens como o gato de Cheshire, os irmãos Tweedle-Dee e Tweedle-Dum e o Chapeleiro Maluco. Não tenha medo de brincar com diversas cores, já que o país das maravilhas é muito colorido.

Confira também: Dicas para fazer festa infantil da Alice no país das maravilhas

Festa infantil Alice
Festa Alice no País das Maravilhas. Foto: Mil Dicas de Mãe

Toy Story

Este clássico da Disney também é aposta certa para festa infantil. Afinal, que criança nunca desejou que seus brinquedos ganhassem vida? Por esse motivo, o tema é extremamente fácil e barato de ser reproduzido!

Isso porque você pode usar os  próprios brinquedos da criança como decoração, além dos personagens Andy e Buzz Lightyear.

Espalhe os brinquedos pela mesa do bolo para deixá-la mais bonita e divertida!

Confira também: Decoração para festa Toy Story

Festa Infantil Toy Story
Festa Infantil Toy Story. Foto: Construindo DeCor

Disney

Que tal transformar a festa infantil do seu filho ou filha no universo mágico da Disney? Afinal, todos os grandes clássicos que amamos são deste mundo. Portanto, você pode misturar diversos temas para criar uma festa infantil diversificada e divertida para todos os pequenos!

Invista em decorações do Mickey e da Minnie, Frozen, A Pequena Sereia, Toy Story, Pateta, Pluto, Pato Donald e muito mais. Aqui, vale deixar a criatividade rolar solta e escolher os seus desenhos favoritos para criar a decoração.

Invista no vermelho e no preto para a decoração. Essas cores lembram imediatamente do Mickey, que é o grande símbolo do universo Disney.

Confira também: Dicas para festa com o tema Disney

Festa Infantil Disney
Festa Infantil Disney. Foto: Gus Wanderley

Emoji

Os emojis são aquelas “carinhas” do WhatsApp. Eles se tornaram uma enorme febre que já ganharam até desenho animado. Por isso as crianças adoram!

Com o lançamento da animação, agora ficou muito mais fácil encontrar produtos para fazer uma festa infantil com o tema emoji. Porém, também é possível se inspirar nas carinhas para fazer a sua própria decoração em casa e sem gastar muito.

Uma dica é: variar na quantidade de “carinhas” para criar uma decoração divertida.

Confira também: Como fazer uma festa infantil emoji

festa infantil emoji
Festa Emoji. Imagem: Elo7

Minions

Meu Malvado favorito tem sido sucesso com as crianças e também com adultos.

As cores que não podem faltar são: o azul e o amarelo, e aí então, você criar várias decorações com base nessas cores, que estarão em total sintonia com o tema. Vejam o detalhe de balões duplo na foto a baixo, ficou perfeito!

O tema dos Minions hoje, é um dos mais famosos e procurados pelas mamães. Então use a criatividade, inspire-se e deixe a festa de seu filho muito mais divertida. Afinal, eles merecem!

Confira também: Festa infantil minions

festa infantil dos minions
Festa Infantil Minions. Imagem: Revista Crescer

Esses são apenas alguns dos temas que você pode investir para criar uma festa infantil inesquecível para o seu filho e para todos os colegas. Lembre-se de que o mais importante é que o tema agrade a criança e seja exatamente o que ele esperava de uma festa de aniversário.

Aproveite também este momento para aprimorar os laços familiares. Convide a família toda para ajudar na decoração e crie memórias divertidas e carinhosas entre vocês. Boa sorte!

Quarto de bebê masculino: como decorar?

dicas para quartos de bebê masculino
Quarto de bebê masculino. imagem: Está no Zip Notícia Hoje

Decorar o quarto de bebê masculino é uma ótima forma de se preparar para o bebê que está chegando ou agradar o seu filho que está crescendo. Afinal, esse é o cantinho dele e precisa ter a sua cara para que ele se sinta confortável e tenha um sono profundo e saudável.

Porém, como saber qual a melhor forma de decorar?

A boa notícia é que não existe apenas um jeito de decorar o cômodo. Embora o modelo tradicional indique a cor azul, saiba que você pode investir na paleta de cores que quiser, incluir desenhos e até mesmo construir móveis divertidos para criar um quarto incrível.

E, se você precisa de inspiração, não se desespere. Separamos algumas ideias maravilhosas para ajudar você a preparar o melhor quarto para o seu filho.

Confira abaixo 5 ideias criativas para quarto de bebê masculino:

Céu Noturno

Que tal recriar o céu noturno para decorar o quarto do seu bebê? Além de deixar a decoração linda, esse tema também costuma ter efeito calmante sobre o pequeno, ajudando a dormir melhor e ter sonhos profundos.

Para isso, você pode pintar uma das paredes de azul escuro e decorar com estrelas. Elas podem ser impressas ou de EVA, ou até mesmo aquelas que brilham no escuro.

Compre também decorações relacionadas à lua, estrelas e planetas para completar a decoração.

Quarto de bebê masculino céu
Foto: Tua Casa

Aviões

Os aviões também costumam ser o tema de decoração para quarto de bebê favorito entre mamães e papais. Eles ajudam a criar um ambiente colorido e que é a cara das crianças. Por isso, esse tipo de decoração costuma permear toda a infância dos pequenos.

O próprio berço do bebê pode se tornar um avião! Para isso, basta usar a criatividade e decorar a caminha com pequenas asas, janelas e outros itens característicos.

Além disso, você pode comprar lustres e luminárias de avião para deixar o ambiente mais bonito.

Quarto de bebê masculino aviões
Foto: Quarto de Bebê

Dinossauros

Os dinossauros também são muito comuns nas decorações de quarto de bebê masculino. E o melhor de tudo é que, assim como no caso dos aviões, eles costumam permear toda a infância. Logo, você não necessariamente precisará trocar a decoração conforme o bebê cresce.

Para criar um quarto de dinossauros, invista em diferentes tons de verde. Você pode até mesmo incluir um papel de parede de grama que remeta ao período jurássico.

Compre brinquedos de pelúcia e bonecos de dinossauro para completar a decoração.

Quarto de bebê masculino dinossauros
Foto: Casar é

Fundo do mar

Recriar o fundo do mar é uma ótima ideia de decoração. Além de ser fácil de fazer, as cores ajudam o bebê a ficar mais calmo e dormir melhor. Afinal, os tons de azul são conhecidos por trazer tranquilidade ao ambiente.

Por isso, brinque com os diferentes tons ao escolher os melhores móveis. Decore o ambiente com estrelas-do-mar, peixes, cavalos-marinhos e outros desenhos característicos do ambiente para criar todo o clima e atmosfera. Os bonecos de pelúcia também são uma ótima pedida para complementar a decoração.

Quarto de bebê masculino fundo do mar
Foto: Quarto de Bebê

Espaço sideral

O espaço sideral e as galáxias também proporcionam uma decoração incrível para o quarto de bebê masculino. Assim como o céu noturno, você pode decorar o quarto com estrelas, a lua e outros planetas para criar um ambiente maravilhoso para o bebê.

Além dos planetas, você pode incluir desenhos de foguetes e até mesmo alienígenas para caracterizar o quarto. Basta usar a criatividade!

Quarto de bebê masculino espaço sideral
Foto: Quarto de Bebê

Gostou das sugestões de tema? Essas ideias de decoração para o quarto de bebê masculino ajudam você a escolher a melhor temática para o cantinho do seu filho. Por isso, não deixe de aproveitar este momento junto com o papai para criar ideias de decoração e preparar a sua casa para receber o bebê.

 

Aproveite e confira também:

Gostou do artigo? Então deixe o seu comentário no espaço abaixo e não se esqueça de compartilhar o artigo nas redes sociais!

Você não precisa desmamar o bebê para que ele aprenda a dormir!

dicas para ajudar o bebê a dormir a noite toda sem desmamar
Imagem: pexels

Diariamente recebemos mensagens de mães exaustas, com grandes dificuldades com o sono dos bebês, pensando em fazer uma aprendizagem de sono, porém com duas grandes preocupações:

  • Vou ter que deixar meu filho chorando até dormir?
  • Vou ter que desmamar meu bebê para que ele durma por mais horas?

A resposta para as duas perguntar é não. Nem deixar chorando nem desmamar. Dormir é uma habilidade que 4 em cada 10 crianças não tem e, portanto, precisam ser ensinadas. Assim como existem diversos métodos para ensinar uma criança a ler e escrever, existem muitas técnicas para ensinar um bebê a dormir.

Falando sobre a amamentação, ela acaba se tornando uma das grandes associações de sono do bebê. Na tentativa de ajudar e sem saber se a criança está com fome ou não, a mãe usa a amamentação para tudo – quando o bebê tem fome obviamente, quando tem cólica, algum outro incômodo e também quando está com sono (principalmente se o bebê chora e não consegue relaxar). O ato de sugar e o conforto do seio da mãe certamente ajudarão – momentaneamente.

Depois de 3 ou 4 meses de vida, a criança passa a ter estas associações, ela adquire um padrão mais regular de sono, passa a fazer as sonecas em horários mais regulares e geralmente regula a alimentação em intervalos mais fixos (de 2 a 3 horas por exemplo). Dessa forma fica mais fácil de entender as necessidades dela, mas a associação de precisar do peito para dormir não desaparece.

Então ela adormece mamando e muitas vezes precisa do peito da mãe de madrugada apenas para conforto, não para alimentação. Um ciclo de sono tem cerca de 50 minutos e, em muitos casos, esse é o tempo que a criança consegue dormir, e para ligar um próximo ciclo, ela chora e precisa do conforto do peito para dormir novamente. A noite da criança fica terrível e mais ainda a da mãe, que precisa descansar para encarar o próximo dia com disposição.

Dessa forma, o que fazemos na Maternity Coach é ensinar as crianças que dormir e comer são habilidades diferentes, para que uma não dependa da outra para acontecer. Seu filho não precisa ser desmamado, mas é necessário que a criança aprenda outras formas de conforto, outras associações de sono, que não dependam do peito da mãe. O contrário também acontece frequentemente – crianças que só mamam bem quando estão muito sonolentas, o que também não é interessante. Quando dormir e comer são complementares, tanto o sono, quanto a alimentação, podem ser prejudicados.

Nossa sugestão é primeiramente entender a fome do bebê. Ele mama de 3 em 3 horas durante o dia? Então certamente ele consegue um intervalo de 4 horas de madrugada, ou seja, até ter a alimentação sólida completa, acordar 1 ou 2 vezes de madrugada pode sim ser por fome, e não por hábito. Entretanto aquela criança que acorda de hora em hora, não faz isso porque tem fome, mas sim porque não sabe ligar um ciclo de sono no outro.

E como arrumar isso?

O que sugiro é dar o primeiro passo no início da noite. Depois de ter um dia com uma rotina adequada em quantidade de sonecas e duração destes cochilos, além de um ritual de sono agradável e consistente, comece com uma transição gentil, tirando o bebê do peito quando a sucção diminuir, e por alguns dias você faz dormir no colo, com muito carinho e conforto. Depois de um tempo, tente tirar do peito sonolento e colocar no berço, ajudando o bebê a entrar no sono no bercinho. Aos poucos, vá diminuindo essa ajuda, para que ele desenvolva ferramentas de auto conforto (deixe de precisar de ajuda para iniciar o sono).

Talvez apenas essa mudança já faça diferença na madrugada.

Espero que este post ajude muitas leitoras aqui do Sou Mãe e, mesmo mantendo uma livre demanda durante o dia, que vocês consigam ter boas práticas no sono do bebê e consequentemente garantir uma qualidade de vida melhor para ele e para toda a família.

………………………..

Michele Melão é consultora de sono infantil certificada pelo IMPI (International Maternity and Parenting Institute, Califórnia). É mãe da Laura, escritora, jornalista e uma das sócias da Maternity Coach, Consultoria de Sono Infantil.

Bebê prematuro: como é o desenvolvimento?

Bebê prematuro
Foto: Pexels

Ter um bebê prematuro é algo que pode assustar muitas mamães de primeira viagem. Afinal, só o nome já sugere que a criança não estava pronta para deixar o ventre, certo? Porém, a boa notícia é que a nossa medicina já é avançada o suficiente para cuidar de um bebê prematuro e garantir as condições mais saudáveis para o seu filho.

Por isso, é importante que você entenda como funciona o desenvolvimento de um bebê prematuro para que consiga lidar com os sinais que ele te dá. Assim, você fica mais tranquila e pode prestar atenção em todos os fatores importantes da criança.

A primeira coisa que você deve ter em mente é que os bebês prematuros não são tão sociáveis quanto aqueles que nasceram no período de 40 semanas. Afinal, eles têm menos energia e costumam gastar muito com comer, respirar, bloquear luzes fortes e outros fatores.

Assim, fica mais difícil para ele ficar desperto e interagir com a mamãe e o papai. Porém, isso não é um sinal de que ele não está se desenvolvendo e  de que não será uma criança saudável.

Caso você tente conversar com o bebê e ele vire o rosto, durma ou dê qualquer outro sinal de cansaço, não se desespere! Esse é apenas o jeitinho dele de te falar que ainda não está pronto para isso.

Por isso, preste muita atenção aos sinais abaixo:

Sinais de que o bebê ainda precisa de um tempo

  • Respiração acelerada ou pausada;
  • Dobrar o corpo como se fosse fazer cocô;
  • Pele muito pálida ou avermelhada;
  • Bocejos;
  • Soluços;
  • Tensão corporal (o bebê pode estender as pernas ou braços);
  • Movimentos súbitos e atrapalhados, como contrações e sustos;
  • Arqueamento das costas;
  • Esticar a língua para fora da boca;
  • Agitação;
  • Desviar os olhos ou virar o rosto quando a mamãe ou papai tentam falar com ele;
  • Dormir muito.

Sinais de “Estou pronto para receber informações”

  • Respiração normalizada;
  • Cor de pele estável;
  • Movimentos suaves e fluídos dos braços e pernas;
  • Olhar fixamente para rostos e objetos, reconhecendo o que está ao seu redor;
  • Adormecer e acordar tranquilamente.

Esses sinais ajudam você a identificar o tempo do seu bebê e respeitar as suas necessidades!

Por quê ocorre o nascimento do bebê prematuro?

O nascimento prematuro indica que o bebê precisou vir ao mundo antes que tivesse tempo de se desenvolver completamente. Logo, ele precisa de um pouquinho mais de tempo para desenvolver os seus órgãos internos e conseguir lidar com o nosso mundo.

Primeiramente, vamos entender o que é a prematuridade.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), uma gestação completa deve durar no mínimo 40 semanas e no máximo 42 semanas. Ao completar 37 semanas, a convenção médica já diz que o bebê está pronto para nascer. Logo, o bebê prematuro é o que nasce antes desse período ou até mesmo entre as 37 e 40 semanas de gestação.

Os principais motivos para o nascimento prematuro são:

  • Má formação ou infecções no bebê;
  • Doenças como hipertensão, diabetes e infecções na mamãe;
  • Dificuldades de nutrição do bebê por má formação placentária.

Quando ocorre alguma dessas condições, as chances de que o bebê seja prematuro são maiores.

Como é o desenvolvimento do bebê prematuro?

bebê prematuro e seu desenvolvimento
Bebê prematuro, desenvolvimento do bebê e cuidados necessários. Imagem: pexels

Antes de tudo, tenha em mente que o desenvolvimento do bebê prematuro nunca deve ser comparado com o de outros bebês. Afinal, essa condição indica que os cuidados devem ser maiores para garantir a saúde da criança.

O órgão que precisa de mais cuidados para o desenvolvimento do bebê prematuro é o cérebro. Por isso, as crianças que nascem nesse estado devem ficar na UTI para que recebam os estímulos certos para o desenvolvimento. Essas unidades de tratamento intensivo respeitam o tempo de sono do bebê, os estímulos de luz e barulho e a presença dos pais para garantir o conforto do seu filho.

O normal é que os demais órgãos se desenvolvam com o tempo. Portanto, você deve sempre manter a calma e confiar que o seu bebê será tão saudável quanto aqueles que nasceram no período considerado normal.

A equipe médica é essencial para monitorar o bebê e identificar qualquer complicação durante o desenvolvimento. Por isso, conte com os profissionais para explicarem toda a situação da criança e garantirem o conforto do seu filho!

Como os pais devem agir com o bebê prematuro?

É muito importante que os pais fiquem presentes o máximo de tempo possível. O contato com a pele ajuda o bebê a criar laços familiares, se sentir mais confortável e tranquilo, além de estimular o desenvolvimento.

Por isso, os pais devem participar da alimentação e troca de fraldas do bebê. Assim que ele puder ir para casa, é imprescindível que os pais continuem os estímulos sociais da criança. Por isso, converse, cante, leia e mantenha o contato mais próximo possível!

Agora que você já sabe identificar os sinais do seu bebê, não deixe de prestar atenção às mensagens que ele envia e cuide para que a vinda ao mundo seja tão tranquila quanto pode ser.

Ficou com alguma dúvida sobre o tema? Deixe o seu comentário no espaço abaixo para que possamos ajudá-la!

Como prevenir a Pneumonia em crianças (você sabia que tem vacina?)

vacina contra pneumonia
Imagem: Vivacin
Ninguém gosta de ver seu filho doente, ainda mais com doenças graves mas que podem ser prevenidas, como a pneumonia. Você sabia que tem vacina para prevenir?
A pneumonia é uma infecção respiratória grave, caracterizada por tosse, febre e secreção. Essa doença é uma das principais causas de hospitalização no Brasil e no mundo, sendo que cerca de 1,2 milhão de crianças morrem anualmente em decorrência desta enfermidade.1 A forma mais eficiente de prevenção contra a doença é a vacinação.2

Você sabia que a vacina é gratuita?

Atualmente, a cobertura vacinal para a prevenção da pneumonia, causada pela bactéria Streptococcus pneumoniae ou pneumococo,  está abaixo do recomendado no país, apesar da vacina ser gratuita nos postos de saúde para crianças menores de cinco anos.
Em 2016, a pneumonia foi a maior causa de morte infantil por doenças infecciosas no mundo. Essa informação foi observada ao analisar crianças menores de 5 anos.10

Causas e formas de contágio

A pneumonia é causada por diversos agentes infecciosos, incluindo vírus, bactérias e fungos, e pode ser transmitida para outros de algumas maneiras.2Os vírus e bactérias que são encontrados no nariz ou na garganta de uma criança podem infectar os pulmões se forem inalados. Além disso, os vírus e as bactérias também podem se espalhar através de uma tosse ou espirro, e até mesmo pelo sangue, especialmente durante e logo após o nascimento.2

Sintomas de pneumonia

Os principais sintomas de uma pneumonia aguda são:
  • tosse constante,
  • febre,
  • gemidos por causa de problemas respiratórios,
  • dificuldade para se alimentar,
  • apatia,
  • prostração,
  • aumento da frequência respiratória.

As crianças que manifestarem esses sintomas devem ser levadas para atendimento médico imediato para tratamento adequado.8

Doença Pneumocócica

A bactéria Streptococcus pneumoniae (pneumococo) é a principal causa de pneumonia e de doença invasiva em crianças com menos de cinco anos, por doenças que podem ser prevenidas através da vacinação.11
O pneumococo causa doenças que atingem o sistema respiratório, a corrente sanguínea e o cérebro. São classificadas em dois tipos: Doença Pneumocócica Invasiva (DPI) – meningite, sepse e alguns tipos de pneumonia, – e Doenças Não Invasivas, consideradas de menor gravidade, que incluem outros tipos de pneumonia e otite média.9

Como prevenir?

A forma mais eficiente de prevenir a doença pneumocócica e, consequentemente, prevenir a principal causa de pneumonia nas crianças, é a vacinação.
2,9 O Calendário de Vacinação do Programa Nacional de Imunizações (PNI) recomenda a administração de duas doses da vacina pneumocócica 10-valente (conjugada) idealmente aos 2 meses e aos 4 meses de idade e vacinação de reforço aos 12 meses.6
A vacina pneumocócica 10-valente (conjugada) está disponível gratuitamente nos postos de saúde para crianças menores de cinco anos.6,7
Além da vacinação, outras formas de prevenção da doença em crianças são:
  • lavar as mãos regularmente,
  • garantir uma nutrição saudável,
  • não compartilhar mamadeiras, copos e utensílios de cozinha,
  • beber água potável.12,13
Lembre-se, se sua criança apresentar sintomas de pneumonia consulte o seu médico.
vacina contra pneumonia para crianças
Vacina contra pneumonia. Imagem: Governo Federal
Referências:
1 – HOSPITAL SÍRIO-LIBANÊS. Pneumonia: mitos e verdades. In: Sua Saúde, 2017. Disponível em: <https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/sua-saude/Paginas/pmeumonia-mitos-verdades.aspx>. Acesso em: 18 out. 2018.
2 – WORLD HEALTH ORGANIZATION. Pneumonia. 2016. Disponível em: <http://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/pneumonia>. Acesso em: 18 out. 2018.
3 – Pesquisa realizada na base de dados DATASUS, utilizando os limites “REGIÃO/UNIDADE DA FEDERAÇÃO” para Linha, “ANO” para Coluna, “COBERTURAS VACINAIS” para Conteúdo, “2010 a 2017” para Períodos Disponíveis, “PNEUMOCÓCICA” para Etiologia e “TODAS AS CATEGORIAS” para os demais itens. Disponível em: <http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?pni/cnv/cpniuf.def>. Acesso em 18 out. 2018.
4 – Pesquisa realizada na base de dados DATASUS, utilizando os limites “REGIÃO/UNIDADE DA FEDERAÇÃO” para Linha, “ANO” para Coluna, “COBERTURAS VACINAIS” para Conteúdo, “2010 a 2017” para Períodos Disponíveis, “PNEUMOCÓCICA (1º REF)” para Etiologia e “TODAS AS CATEGORIAS” para os demais itens. Disponível em: <http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?pni/cnv/cpniuf.def>. Acesso em 18 out. 2018.
5 – MORAES, JC. et al. Qual é a cobertura vacinal real? Epidemiologia e Serviços de Saúde, 12(3): 147-53, 2003.
6 – BRASIL. Ministério da Saúde. Vacinação: calendário nacional de vacinação. Disponível em: <http://portalms.saude.gov.br/acoes-e-programas/vacinacao/calendario-vacinacao>. Acesso em: 18 out. 2018.
7 – SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES. Calendário de vacinação da criança: recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2018/2019 [atualizado até 26/08/2018]. Disponível em: <https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-crianca.pdf>. Acesso em: 18 out. 2018.
8 – SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO. Pneumonia aguda na criança. 2007. Disponível em: <http://www.spsp.org.br/2008/01/28/pneumonia_aguda_na_crianca/>. Acesso em: 18 out. 2018.
9 – FIOCRUZ. Doenças pneumocócicas: informações técnicas. Disponível em:< https://agencia.fiocruz.br/doen%C3%A7as-pneumoc%C3%B3cicas-informa%C3%A7%C3%B5es-t%C3%A9cnicas>. Acesso em: 18 out. 2018.
10 – WORLD HEALTH ORGANIZATION. Levels & Trends In Child Mortality Report 2017. Disponível em: https://www.unicef.org/publications/files/Child_Mortality_Report_2017.pdf. Acesso em: 18 out. 2018.
11 – ANDRADE, A.L. et al. Bacteriology of Community-acquired Invasive Disease Found in a Multicountry Prospective, Population-based, Epidemiological Surveillance for Pneumococcus in Children in Latin America. The Pediatric Infectious Disease Journal. 31(12):1312–1314, 2012.
12 – NHS. Pneumococcal Infections – Prevention. Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/pneumococcal-infections/prevention/>. Acesso em 18 out. 2018.
13 – UNITED NATIONS CHILDREN’S FUND. Pneumonia – The Deadliest Childhood Disease. Disponível em: < https://data.unicef.org/wp-content/uploads/2015/12/World-Pneumonia-Day-Infographic_242.pdf>. Acesso em 18 out. 2018.
Aproveite e confira:
311,235FãsCurtir
33,260SeguidoresSeguir
9,555InscritosInscrever