Como ajudar o filho mais velho na chegada do novo bebê

ajudar o irmão mais velho com a chegada do bebê

Quando descobrimos que a família vai aumentar, é uma mistura de emoções, desde a alegria de ter mais um integrante na família, até um certo medo de como as coisas serão dali para frente, o quanto as coisas irão mudar e o quanto estaremos preparados para essas mudanças.

E não só nós pais sentimos esse turbilhão de emoções, mas os filhos mais velhos sentem também, e o detalhe maior é que quando eles ainda são crianças, não tem suas emoções bem amadurecidas, portanto por vezes eles não sabem lidar bem com as muitas emoções que os acometem quando recebem essa notícia.

Aí está a importância de preparar o filho ou os filhos mais velhos para a chegada do novo bebê, é fundamental essa fase de preparo para que toda a família possa fazer a transição de forma mais leve e tranquila possível.

Claro que existem crianças e crianças. Tem aquelas que falam tudo, daí é mais fácil entender o que se está passando na cabecinha delas e auxiliá-las da melhor forma possível, e há as crianças que são mais introspectivas, neste caso dá um pouco mais de trabalho extrair o que se passa em seu coraçãozinho, mas em ambos os casos é preciso empenho, paciência e muito amor da nossa parte como pais em ouví-las, procurar entender seus medos (por mais bobos que nos pareçam) em relação a chegada do novo bebê, e buscar uma forma de tornar o processo de transição o mais tranquilo possível.

Como ajudar o filho mais velho na chegada do novo bebê
Dicas para preparar o filho mais velho para a chegada de um novo bebê. Imagem: Pexels

Dicas para ajudar o filho mais velho na chegada do novo bebê:

Tempo de qualidade com o filho mais velho

Busque investir seu tempo na companhia do filho mais velho, na medida que conseguir. Saiam juntos 1x por semana, façam programas legais que ele goste, em casa invista tempo com ele, conversando, rindo, fazendo brincadeiras, jogando, estudando junto, fazendo coisas que seu mais velho goste, é tempo de “encher o tanquinho” dele de amor, pois quanto mais amado ele se sentir e mais claro ficar para ele que ele tem um lugar na família e que isso não será tirado com a chegada do novo irmão(ã), melhor será o processo.


Aproveite e confira:


Permita que o filho mais velho participe de toda a gestação

Leve ele nas ecografias o quanto for possível, para que ele possa ver o bebê se mexendo, ouvir o seu coraçãozinho batendo, isso fará com que ele se sinta participante da gestação e não somente expectador. Peça para ele escrever na sua barriga, fazer um desenho, deixar um recado para o mano(a) que você pode fotografar e depois mostrar mais tarde. Estimule ele a conversar com o bebê, cantar para o bebê suas músicas favoritas, ler para o bebê seus livros mais legais, etc.

Envolva o filho mais velho nas escolhas de nomes, na decoração do quartinho, nos itens do enxoval, no chá de bebê, ele com certeza vai amar participar de tudo, assim irá criando nele um senso de responsabilidade ao invés de disputa.

Reviva momentos de quando ele era bebê

Moste álbuns de fotos, vídeos que ele possa se identificar e entender que também já foi bebê um dia, exatamente igual o mano(a) será. Reforçando a questão que o bebê irá chorar, mamar, exigir a atenção mais exclusiva da mamãe mas que isso é apenas um tempo e logo vai passar, exatamente como passou com ele, um dia ele cresceu e deixou de mamar, aprendeu a falar ao invés de chorar para pedir as coisas, etc.

Leve ele para conhecer outras famílias com bebê

Principalmente se ele não tem muito convívio com outros bebês, é legal visitar outras famílias que tenham bebês pequenos, para que ele possa ver como é um bebê, como é a rotina de um bebê pequeno, quem sabe até dependendo da intimidade com a família ele possa pegar o bebê no colo, ajudar a trocar a fralda, etc. Será um bom momento de aprendizado prático para ele, de como se comporta um recém-nascido.

Evite mudanças para o filho mais velho

No geral todos nós temos um “avesso” a mudanças, mudanças requerem que a gente saia da nossa zona de conforto e nos deparemos com o imprevisível que toda mudança traz consigo. Bom, se com nós adultos não é muito agradável quem dirá para as crianças que ainda estão em formação em relação a seus sentimentos e sua maturidade emocional.

Então, caso você pretenda fazer mudanças na rotina do seu filho mais velho, ou na casa que impacte na rotina dele, sugiro que o faça o mais cedo possível durante a gestação, ou seja, não deixe para fazer 1 mês antes do bebê nascer, isso pode prejudicar muito o processo, acabar atrasando e trazendo stress na família, pois crianças precisam de tempo para se adaptar.

Se você pretende desfraldar o mais velho, ou trocar ele de cama, mudar ele de escola, ou qualquer outra mudança de maior impacto, faça isso pelo menos uns 3 meses antes do bebê nascer, para que ele possa se adaptar com a mudança e não associar a mudança a chegada do mano(a).

Pois quando eles fazem essa associação você pode encontrar resistência e inclusive após o nascimento do bebê, ter um regresso na mudança já realizada.

Converse bastante, leia livros que falem desse tema

Quanto maior for o mais velho, mais eficaz é a conversa, conversar sobre as mudanças positivas que o irmãozinho trará com a sua chegada, por exemplo: companhia para brincar.

Conversar sobre os sentimentos, sobre o pertencimento, reiterando diariamente a importância do mais velho na família, que seu lugar nunca será trocado, que o amor não será dividido, pois o amor multiplica, mas o tempo sim esse será dividido, e isso com o tempo ele irá lidar melhor, etc.

Crianças respondem bem as estímulos lúdicos, portanto leia bastante livros que falem sobre o tema, ou vejam juntos algum vídeo que trate sobre esse assunto, assim fará com que de forma lúdica ele possa ir compreendendo melhor essa nova realidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here