Herpes infantil: O contágio mora nos gestos mais simples

Imagem: Chapman Capers

Esse não é um “post de terrorismo”, pois acho terrível o ato de causar pânico em mães, especialmente sobre a saúde dos filhos delas. Concorda?

Eu poderia citar casos fatais relacionados à herpes (que são raros, viu?!) nos bebês e nas crianças, mas o clima e o objetivo aqui do SOUMÃE é informar apenas, e por isso não vou fazer rolar nenhuma lágrima do seu olho, vou apenas alertá-la sobre o que você precisa saber sobre herpes, como evitá-la e o que fazer no caso dela aparecer no seu filho.

Então vamos ao básico primeiro.

O que é a Herpes?

A herpes é uma doença altamente contagiosa causada pelo vírus Herpes Simplex 1 e 2. Elá é benigna, e afeta principalmente áreas mucosas, como a boca e as genitais.

Ela é transmitida principalmente através de contato físico e da saliva.

É importante dizer que as pessoas nem sempre terão os sintomas imediatamente depois do contato com alguém infectado. O vírus pode permanecer “adormecido” durante muito tempo, e só se manisfestar em uma queda da imunidade da pessoa, por estresse, doenças e variações hormonais bruscas.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia afirma que 85% da população brasileira possui o vírus, sendo que pelo menos metade destas pessoas tem o vírus manifestado, de forma branda ou mais complexa, já que ele pode ter reincidências para o resto da vida (mesmo com o tratamento, parte dos vírus permanece no organismo, e em casos de estresse ou baixa de imunidade, retorna à área afetada novamente).

Quais são os sintomas?

Na região da boca, a herpes causa um inchaço dolorido, ardência na região dos exantemas (manchas inflamatórias avermelhadas), coceira e após um período, bolhas (vesículas que se formam a partir da resposta do sistema imunológico do corpo) que se rompem soltando um líquido (que contém alta carga do vírus da Herpes) e depois cicatrizam.

O bebê ou a criança que está com estes sintomas normalmente perde o apetite ou come com um desconforto muito grande, pois o ato de mastigar movimenta a área dolorida. Alimentos mais pastosos serão mais bem aceitos nos dias de maior desconforto.

É preciso consulta o médico na aparição dos primeiros sintomas, não espere a bolha estourar. Isso porque quanto mais rápido for o tratamento, menor a quantidade de vírus que pode vir a remanescer no organismo.

Como prevenir e tratar a Herpes?

Por se tratar de uma transmissão por contato, é preciso evitar beijos na boca, utilização do mesmo talher e copo. A exposição excessiva ao sol e claro, as baixas imunológicas também precisam ser controladas.

Daí, lembrando que 85% dos adultos brasileiros podem ter o vírus, você é uma possível candidata a estar neste grupo, e por isso, deve evitar de beijar seu filho na boca se você quer evitar o contágio dele. Assim como não deve dividir o prato de comida com ele, dar água ou suco no mesmo copo que o seu ou de outra pessoa.

Parece neura? Talvez.

E é aí que mora nosso instinto materno, aonde nós fazemos as escolhas. Se procuramos informação, é porque queremos fazê-las de forma consciente.

Outra atitude que vale para todo o resto é cuidar da alimentação da família. Cada vez que nos deparamos com informações como estas, percebemos a necessidade de cuidar melhor do nosso corpo e dos nossos filhos. O leite materno é o alimento mais completo para seu bebê, inclusive para reforçar o sistema imunológico dele. Mas se ele já está comendo alimentos sólidos, ofereça sempre o alimento mais saudável e rico em nutrientes possível.

E ATENÇÃO!!!

A doença que alguns conhecem como SAPINHO não é herpes, é uma micose ou candidíase oral causada por fungos e tem sintomas e tratamentos totalmente diferentes. Ela deixa a região da boca esbranquiçada e algumas mães confundem com restos de leite. Por isso não deixe de higienizar a boca do bebê desde os primeiros dias. Consulte um dentista pediátrico ou o pediatra para orientações de limpeza.

Para meus filhos foi recomendada a higienização apenas com água e gaze, nada de escova de dedo ou coisa do tipo nos primeiros meses de vida. Eu sou dessas que prefere soluções mais simples e menos “comerciais”, mas vai de cada mãe e de cada profissional que orienta.

A higienização bucal é uma tarefa pós mamada que o pai pode fazer. Confira neste post ou 5 dicas para o papai ajudar na amamentação e não se sentir fora desse momento tão lindo!

Imagem: Heath Tap
Imagem: Heath Tap

 

 

Comente com o Facebook

comentários