covid na gravidez

9 mitos e verdades sobre a COVID-19 na gestação

Com dúvidas sobre a COVID-19 na gestação? Acompanhe o texto e descubra informações importantes para sua saúde e do bebê.

Na pandemia, surgiram várias dúvidas sobre a COVID-19 na gestação, e as fontes de informação são diversas.

Mas é preciso cuidado: muitos dados, principalmente nas redes sociais, são errôneos.

Para te ajudar, listamos uma série de mitos e verdades sobre a COVID-19 na gestação. Continue lendo!

covid na gravidez
Imagem: Pexels

1. COVID-19 tem reflexos na gestação

Incerto. Ainda não há dados sobre as consequências que o Coronavírus podem trazer à gravidez. Nem em relação à saúde materna, nem à do bebê.

Por isso, a recomendação é que a mulher adote todas as medidas de prevenção básicas contra a doença. Lave as mãos com água e sabão, use álcool em gel e mantenha o distanciamento social.

Se for necessário sair de casa, também é importante usar máscara o tempo todo. A máscara deve ser trocada, pelo menos, a cada quatro horas.

2. Plano de saúde cobre a COVID-19 na gestação

Verdade. A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) determinou a cobertura obrigatória pelos planos de saúde para qualquer paciente infectado pelo Coronavírus.

As coberturas do plano de saúde para gestante variam apenas de acordo com a segmentação assistencial do plano. Um plano ambulatorial, por exemplo, cobre apenas as 12 horas de internação. O Hospitalar e de Referência, por outro lado, cobrem internação pelo tempo que for necessário.

Todos os planos ainda fazem a cobertura de consultas médicas e exames de cobertura obrigatória.


Aproveite e confira:


3. Gestantes contaminadas podem passar o vírus para o feto

Mito. A OMS (Organização Mundial de Saúde) já descartou a possibilidade de o Coronavírus ser transmitido para o bebê ainda durante a gravidez.

4. O pré-natal deve ser suspenso durante a pandemia

Mito. Realizar o acompanhamento pré-natal é fundamental para a saúde da mãe e bebê. O que pode acontecer é um maior intervalo entre as consultas e exames.

Mas atenção: se essa mudança de frequência acontecer, ela deverá ser orientada pelo médico. Apenas o especialista, com um diagnóstico cuidadoso, pode avaliar o que é melhor para a saúde da gestante e feto. Vá às consultas agendadas!

5. Mulheres grávidas estão no grupo de risco para COVID-19

Depende. Mulheres gestantes de alto risco têm, sim, mais chances de contrair a COVID-19. Mas as demais grávidas têm o mesmo risco que outros indivíduos.

São consideradas gravidezes de alto risco aquelas em que a mulher tem o diagnóstico de obesidade, diabetes gestacional, hipertensão, asma ou algum quadro cardiológico.

O risco maior existe por causa da flutuação da imunidade feminina durante a gravidez de risco.

6. Coronavírus pode ter consequências graves para saúde da mãe e bebê

Incerto. Ainda não há estudos que associem o Coronavírus a problemas de saúde da mãe ou bebê.

Mesmo assim, pesquisadores destacam que o Coronavírus faz parte da família de vírus “SARS”. Então é preciso muito cuidado, uma vez que vários agentes dessa família podem causar aborto, parto prematuro, morte materna e outros.

Repetindo: ainda não há evidências de que o Coronavírus faça o mesmo. Mas é essencial se prevenir contra a doença.

7. É permitido levar um acompanhante no momento do parto

Depende. Por causa das recomendações de distanciamento social, algumas instituições de saúde estão limitando a presença de acompanhantes, mas isso varia por clínica.

Então, é importante verificar as regras vigentes na instituição em que você vai realizar o parto.

8. Parto de gestante infectada tem procedimentos diferentes

Verdade. Em geral, os cuidados com a prevenção contra o Coronavírus se tornam ainda mais intensos durante o parto. São medidas para garantir que a equipe médica e acompanhante da grávida não sejam infectados.

Não significa, claro, que a prevenção não esteja sendo levada a sério em outras situações. Apenas que ela é ainda mais cuidadosa em casos como o citado.

Se a mulher estiver em trabalho para o parto natural, ele pode ser continuado normalmente. Não há mudança no tipo de parto realizado por causa da infecção ou não pelo Coronavírus.

9. Amamentação pode transmitir a COVID-19 para o bebê

Mito. A amamentação é essencial para a saúde do bebê, e a mulher, mesmo que infectada, não deve parar de amamentar. O leite materno não é capaz de transmitir o vírus.

De qualquer forma, se a mulher estiver infectada, deverá tomar cuidados extras como a higienização das mãos antes de tocar o bebê e uso de máscara, principalmente durante a amamentação.

Pronto! Agora você já sabe tudo o que precisa sobre a COVID-19 na gestação. Não se esqueça de manter as medidas de prevenção, inclusive o distanciamento social.

Caso tenha outras dúvidas, não hesite em conversar com seu médico. As orientações do especialista poderão trazer um pouco mais de tranquilidade durante este período de pandemia.

Por Jeniffer Elaina, do PlanodeSaude.net

Fontes:

https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/atencao-mulher/principais-questoes-sobre-covid-19-e-boas-praticas-no-parto-e-nascimento/

https://www.planodesaude.net/plano-de-saude-e-covid-19/

Deixe um comentário

close