Wear Sunscreen. Você lembra deste poema?

Não sei você, mas em 110% das palestras, cursos, mini-cursos, encontro de ex-alunos da turma de crochê indiano, aulas de Pole Dance e encontro de scrapbooking tabajara que participei em meados de 2006, rolou o vídeo motivacional do famoso poema Sunscreen, que teve sua versão brasileira dublada pelo Pedro Big Brother Bial. Não que eu e minhas amigas do crochê precisássemos de motivação, é claro, mas o vídeo dava um “up” em qualquer um, né?! (na verdade, não sei se existe crochê indiano, não faço Pole Dance nem scrap, mas achei legal e engraçadinho!)

Aí hoje pensando numa maneira bacana de começar a escrever aqui no SouMãe.org, lembrei do vídeo S e pesquisei para assistir e relembrar. Sabe quando você mexe em fotografias antigas e lembra dos seus sonhos e planos que tinha naquela época? Assistir o vídeo me fez sentir algo mais ou menos assim, e analisando, a grande diferença em relação a minha realidade atual é que nos meus sonhos e planos eu tinha o corpo (e a grana) da Beyoncé. Mas quem precisa disso, né?!

image

Mas achei bacana mesmo foi que o poema Sunscreen me tocou de outra maneira com a visão da vida que tenho atualmente, sabe?. Quando eu ouvia “talvez você tenha filhos, talvez não eu pouco me importava, ser mãe não estava no Top list dos meus planos, mas hoje, credito boa parte da razão da minha existência e felicidade à maternagem. Eles são a minha melhor parte.

Quando vi novamente a parte que diz para lembrar dos elogios que te fizeram e esquecer dos insultos, percebi que não faço isso com tanta frequência quanto deveria. A maternidade sempre nos faz querer ser perfeita para nossos filhos, e mesmo reconhecendo que a perfeição não existe, nunca estamos realmente preparadas para aceitar um crítica à nossa forma de criar nossos filhos ou um elogio. Ou “rodamos a baiana” pra cima de quem sugeriu que deveríamos mudar, ou dizemos menosprezando nosso esforço que “faz parte” da maternagem, quando recebemos um elogio. Então a partir de hoje, quando alguém dizer que sou uma boa mãe, vou dizer “ooooh yes, também acho“!

Apesar de ter constatado que o Sunscreen é atemporal e para qualquer tribo, classe ou divisão social que inventam por aí, poderia adaptar alguns conselhos só para nós mamães, como por exemplo “guarde cartas de amor, jogue fora extratos bancários“. Eu diria, pendure os desenhos do seu filho na geladeira, jogue fora as fotos de mulheres saradas que te “motivam” na dieta. Ou “seja gentil com seus joelhos”, eu diria para ser gentil com a sua coluna.

Ok, ok, não fiquei satisfeita com as pequenas citações, decidi fazer a adaptação completa! Aí você faz o seguinte, se você tem muito amor pela versão original do Sunscreen, você ignora minha “versão mãe” e relembra o vídeo com tradução neste link AQUI. Se você quiser me dar uma chance, vai aí minha humilde contribuição. E no final do post também coloquei outros dois links de versões alteradas do Sunscreen que achei engraçadas, o Drink Beer e o Yoda Sunscreen.

Use cinta pós-parto

Se eu pudesse dar um conselho a uma futura mãe, eu diria:”use cinta pós-parto”. O uso da cinta no pós-parto dá firmeza na barriga e esconde ela do espelho. Os demais conselhos que dou baseiam-se unicamente em minha própria experiência. Eu lhes darei esse conselho agora:

Desfrute do poder e da beleza da sua solteirice (ou vida de casal sem filhos). Ou, esqueça…

Você só vai compreender o poder e a beleza da sua vida sem filhos quando estiver assistindo televisão sem som (para não acordar o bebê) numa sexta-feira à noite. Mas acredite em mim. Dentro de vinte anos você olhará suas fotos e compreenderá de um jeito que você não pode compreender agora que as noites mal dormidas não terminam nunca, mas que você ficou fabulosa mesmo com as olheiras em todas as fotos… Sua barriga não está tão grande quanto você imagina.

Não se preocupe com o futuro. Ou se preocupe, mas saiba que se preocupar é tão eficaz quanto tentar assistir Peppa Pig e entender porque a Dona Coelha gosta de pular na lama também. É quase certo que os problemas que realmente têm importância em sua vida, são aqueles que nunca passaram pela sua mente, tipo aqueles que tomam conta dos seus pensamentos às 4 horas da madrugada durante a mamada.

Todos os dias faça alguma coisa de mulher “sem filhos”. Cante músicas de adulto também. Não diga que os filhos dazamigas são lindos de forma irresponsável. Não tolere azinimiga comentando desaforos nas suas fotos no Facebook.

Relaxe. Não perca tempo com dicas para deixar seu leite forte. Às vezes ele é claro, às vezes não (mas nunca fraco!). A corrida é longa, e no final, seu filho vai trazer a namorada para dormir em sua casa na maior naturalidade e você vai aceitar.

Lembre-se dos elogios que você recebe. Esqueça dos insultos. (Se você conseguir fazer isso, me diga como…) Pendure os desenhos do seu filho na geladeira. Jogue fora as fotos de mulheres saradas para te “motivar” na dieta. Estique-se.

Não tenha sentimento de culpa por não saber o que fazer com a pirraça do seu filho. As mães mais interessantes que eu conheço não tinham nenhuma idéia do que fazer. Algumas delas, depois de 40 anos continuam não sabendo..

Tome bastante cálcio. Seja gentil com a sua coluna. Você sentirá ela quando for agachar para pegar brinquedos espalhados pela casa.

Talvez você se case, talvez não. Talvez tenha mais filhos, talvez não.
Talvez você se divorcie aos 40.
Talvez você dance uma valsinha quando fizer 75 anos de casamento.
O que você fizer, não se orgulhe, nem se critique demais. Todas as suas escolhas tem 50% de chance de dar certo. Como as escolhas de todos os demais.

Curta seu filho da maneira que puder.
Brinque de todas as formas que puder.
Não tenha medo de errar ou do que as outras pessoas pensam.
Ele é o maior instrumento de aprendizado que você possuirá.

Dance. Mesmo que o único lugar que você tenha para dançar seja na festa em buffet infantil.

Leia sobre todas as linhas de criação, mesmo que você não as siga. Não leia revistas de beleza. Elas só vão fazer você se sentir feia enquanto seus filhos quebram a casa toda.

Saiba entender seus pais. Você não sabe a falta que você vai sentir deles quando quiser um valenight pra sair sem filhos. Seja agradável com seus irmãos. Os filhos mais velhos deles brincarão com os seus. Entenda que os amigos vão e vem, principalmente quando você tem filhos e eles não, mas que há um punhado deles que vão te procurar para pedir indicação de babá, e que você tem que relevar o “sumiço” com muito carinho.

Trabalhe duro para que seus filhos comam todo tipo de alimento, porque quanto mais eles envelhecem, menos eles estarão dispostos a novos sabores.

Coloque de castigo uma vez.
Mas tire antes que se transforme em uma pessoa dura.

Não brigue com seu filho uma vez.
Mas tome cuidado para não tornar-se uma pessoa muito mole.

Viaje, mesmo que for na maionese.

Aceite algumas verdades eternas: Os preços das fraldas vão subir, não existe babá perfeita e você também vai envelhecer. E quando você envelhecer, você fantasiará que quando você era jovem: os preços das fraldas eram razoáveis, as babás eram perfeitas e as crianças respeitavam os mais velhos. Respeite as pessoas mais velhas.

Peça sempre o apoio do seu marido. Talvez você tenha um fundo de garantia. Talvez vocês sejam ricos. Mas o dinheiro nunca pagará amor e companheirismo.

Corte seu cabelo curtinho. É mais fácil de cuidar, e quando tiver quarenta anos, vai ficar com a aparência de menina maluquinha.

Tenha cuidado com as mães que beiram a perfeição. Mas seja paciente com elas. Dar conselho é uma forma de tornar verdade absoluta aquilo que elas acreditam.

Mas acredite em mim, quando eu falo da cinta pós-parto.

Para outras versões Sunscreen:
Drink beer
Yoda Sunscreen

E aqui a versão original:

Comente com o Facebook

comentários