5 dicas para ajudar seu filho a perder o medo de dentista

O medo de dentista é uma realidade para muitas crianças, que vêem a tarefa como muito assustadora. Nesse contexto, muitas mães acabam tendo dificuldade em levar seus filhos ao consultório, devido ao medo excessivo, que interfere nos tratamentos.

A odontofobia surge a partir de diversos motivos, dentre eles a falta de familiarização com o ambiente e, até mesmo, os sons de alguns tratamentos e a postura dos próprios pais frente aos tratamentos.

Não é atoa que muitos acabam crescendo com o receio de pisar em um consultório odontológico e podem prejudicar a manutenção da saúde bucal.

Caso você esteja enfrentando dificuldade para realizar um tratamento odontológico em sua criança, neste artigo separamos as 5 principais dicas de como ajudar o seu filho a se adaptar ao dentista. Continue lendo e descubra quais são.

1.   Comece a levar o seu filho ao dentista desde os primeiros meses de vida

A fim de fazer com que a ida de uma criança ao dentista seja o mais natural possível, é preciso que este hábito seja inserido desde cedo.

Profissionais recomendam que a primeira visita ocorra assim que os primeiros dentes surgirem.

Dessa maneira, é muito provável que o seu filho já cresça habituado com consultas em uma clínica odontológica para cuidar de seus dentinhos.

Inclusive, este é um dos principais motivos dos responsáveis adotarem o uso de um convenio dental.

Afinal, é muito mais fácil realizar o acompanhamento adequado com a criança com o suporte de uma rede credenciada ao invés de pagar todas consultas e retornos.

2.   Entenda o desconforto do seu filho

Existem algumas ocasiões em que os pais acabam demonstrando seu descontentamento em relação à situação, repreendendo o filho pelo medo que tem de um consultório odontológico.

Contudo, atitudes como essas podem acabar piorando a reação da criança. Afinal, além de estar tenso com a consulta, ela também estará com receio da reação dos pais.

Procure ser compreensível, converse com o seu pequeno e mostre que não há o que temer, procurando entender quais as possíveis origens do medo de modo a sanar dúvidas e até se disponibilizar a realizar a consulta em conjunto.

O apoio neste momento é essencial, uma vez que a intenção deve ser sempre deixar este momento o menos traumático possível e demonstrar a importância dos procedimentos.


Aproveite e confira:


3.   Converse com o dentista

Avisar o profissional antecipadamente sobre o medo que o seu filho possui é uma ótima estratégia.

Por exemplo, é possível entrar em contato com a clínica através de aplicativo de convenio odontologico ou ligar no consultório antes de sair de casa e já preparar toda a equipe para uma recepção especial.

Dessa maneira, o dentista já estará preparado para ser o menos invasivo possível e, também, separar um tempo maior para a consulta.

O principal é que o seu filho esteja confiante no trabalho do odontologista e, com isso, tenha a certeza de que nada de ruim irá acontecer.

criança dentista e o medo
Imagem: Freepik

4.   Invista na odontopediatria

Ao invés de agendar uma consulta com um odontologista que trata todas as faixas etárias, prefira um odontopediatra.

Esta especialidade foi criada justamente para cuidar da saúde bucal da criança com uma abordagem centrada na infância e adolescência.

Logo, os profissionais deste segmento possuem uma preparação específica de como lidar com crianças que possuem medo de procedimentos odontológicos.

O convenio dentariopode ser uma ótima opção para encontrar diversos especialistas na área, auxiliando na procura por um profissional que esteja perto de sua localização.

5.   Remova as chantagens de seu repertório

Infelizmente, existem alguns cuidadores que utilizam a ida ao dentista como uma ameaça para a criança.

Certamente você já ouviu algo como “Se você não fizer tal coisa, vou te levar ao dentista para ele mexer no seu dente”.

Esse tipo de comportamento reforça, e muito, a ideia de que ir ao dentista é ruim e ao chegar lá, a experiência não será agradável.

O ideal é que haja sempre um incentivo em tudo o que for relacionado à saúde bucal, como:

  • Atividades lúdicas sobre escovação;
  • Simulações de consultas durante as brincadeiras;
  • Itens de higienização personalizadas com personagens de desenhos animados;
  • Recompensas após a ida ao dentista.

Dessa forma, você estará fazendo com que a criança sempre relacione o dentista à ótimas experiências e não como uma punição.

Considerações finais

Toda criança tem os seus cuidadores como referência e por isso é fundamental que você também tenha uma boa rotina de cuidados com a saúde bucal.

Você pode, por exemplo, investir em um convenio dentistae colocar o seu filho como dependente.

Dessa maneira, ele poderá te acompanhar nas consultas periódicas e se sentirá ainda mais seguro no momento de ser avaliado.

O principal cuidado é não deixar de conversar sobre a importância de dentes saudáveis e fortes, bem como das consultas odontológicas.

Assim, você estará reduzindo a probabilidade de que no futuro o seu filho precise lidar com doenças bucais como a cárie ou a gengivite.

Coloque estas dicas em prática e, pouco a pouco, a melhora poderá ser vista!

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Ideal Odonto, empresa especializada em planos odontológicos com atendimento acessível para devolver o sorriso dos pacientes.

close