Autismo: 7 dicas de um pai com filho autista e 5 maneiras de construir independência nas crianças com autismo

autismo
Imagem: Pexels

Ter uma criança com autismo em casa requer muitos cuidados e acima de tudo, amor e carinho.

Confira essas 7 dicas de como viver a paternidade (e maternidade) especial:

1. Cuidado e atenção – Cuide da criança especial com muito amor, carinho, respeito, orgulho e paciência. Eles precisam de vínculo e confiança em você; 

2. Observe – Seja um excelente observador para entender os benefícios e os prejuízos das medicações e assim dialogar melhor com profissionais que cuidam do seu filho; 

3. Seja criativo – Aprenda a se comunicar de diversas formas, inclusive sem usar a fala, pode ser com figuras ou gestos, por exemplo; 

4. Aprenda – Estude as limitações do seu filho e formas de intervenção para você trabalhar com ele diariamente. É preciso intensidade, afinal as terapias não ocupam todos os momentos da vida dele; 

5. Preocupe-se com seu próprio bem estar – Cuide muito de você seja fisicamente e emocionalmente; cuide também de sua família, pois vocês precisam ser fortes de ombros e mente; 

6. Planejamento – Crie metas e objetivos para que no futuro seu filho possa ser cuidado na sua ausência, se a vida seguir a ordem cronológica; 

7. Nunca o abandone – A carga muitas vezes é pesada, mas filhos especiais nos tornam pessoas melhores. Seja e esteja presente sempre!

Essas primeiras 7 dicas foram passadas pelo pai Diogo Freitas que é advogado, mestre em Direito e pai de dois garotos, sendo um menino autista.


Aproveite e confira:


5 maneiras de construir independência nas crianças com autismo:

Por mais que as crianças precisem da confiança vinda dos adultos é de extrema importância trabalhar a autonomia desses pequenos para que evoluam a cada dia. 

A analista do comportamento, especialista em autismo, Michelli Freitas, listou algumas dicas de como os pais podem estimular a independência na criança com autismo ou que tenham atraso no desenvolvimento.  

1- Invista em melhorar as capacidades de comunicação –  Um passo muito importante é ensinar habilidades para que a criança possa aprender a se comunicar, expressar suas preferências, seus sentimentos, desejos. Mesmo que a criança não fale é possível se comunicar. Hoje já existem dispositivos eletrônicos, aplicativos, e até mesmo figuras para a comunicação. Não importa o jeito, o importante é comunicar. 

2- Trabalhe habilidades de autocuidado – Coloque como parte da rotina o ensino de habilidade de autocuidado, como por exemplo, escovar os dentes, pentear o cabelo, e outras atividades que possam permitir a criança desde cedo a criação de um senso de independência. Lembre-se sempre de respeitar os atrasos motores que irão interferir nestas habilidades. A ajuda de um profissional especializado, como um terapeuta ocupacional é indispensável.

3- Pratique habilidades com uso do dinheiro – Aprender a como usar o dinheiro é importante para tornar a criança independente. Considere colocar este objetivo como parte do plano de ensino individualizado da criança, e também insira esta meta nas atividades diária da família. Comece ensinando pequenos passos, um de cada vez. 

4- Ensine habilidades de segurança – Segurança é uma grande preocupação que os pais têm em relação aos filhos. Ensinar tais habilidades é parte fundamental do processo de independência. Atravessar na faixa de pedestres e olhar o sinal de trânsito são exemplos que devem estar nas metas de ensino e introduzidas no dia a dia da família.

5- Construa habilidades de lazer – Ser capaz de engajar de forma independente em atividades que proporcionem o lazer e  recreação faz parte da vida de todos nós. As crianças com autismo precisam disso também. Contudo, por vezes  esses pequenos não aprendem de maneira natural e precisam ser ensinados. Pense em estimular atividades que se relacionem com interesses que a criança já possui, como esportes, atividades com música, atividades artísticas, entre outras. O importante é se divertir.

Gostou das dicas de hoje? Tem alguma dica especial para deixar para nós aí nos comentários?