Hoje o tema é sobre a importância da comunicação entre pais e filhos e da contação de histórias no desenvolvimento da criança.

A linguagem nos torna o que somos, nos dá cultura, narra o mundo onde nós vivemos.

Contar histórias é fundamental desde sempre, desde quando o bebê ainda está na barriga da mãe. Isso ajuda o bebê a criar vínculo com os pais e com o mundo da linguagem.

O bebê já nasce com 100% da audição formada, por isso é importante os pais falarem com o bebê desde a barriga, assim ele já vai nascer reconhecendo as vozes dos pais e se sentir seguro.

Depois que o bebê nasce ele deve fazer o teste da orelhinha, exame simples e sem dor. Um aparelho eletrônico com fone é colocado no ouvido do bebê, o que permite ao médico ou fonoaudiólogo verificar se a criança ouve normalmente. O exame não tem contra-indicações e pode ser feito com o bebê dormindo. O tempo de duração do exame varia entre 5 e 10 minutos. Recomenda-se que o teste seja feito no primeiro mês de vida, mas todos os bebês devem passar pelo exame.

O teste da orelhinha é fundamental para o bebê, já que os problemas auditivos afetam a qualidade de vida da criança, interferindo no processo da fala, entre muitas outras coisas. Então quanto antes descobrir melhor.

Voltando ao assunto da importância da comunicação entre pais e filhos…

  • Narre o mundo para seu bebê, narre o dia a dia de vocês, desde que ele chegar da maternidade, apresente a casa, as pessoas que vão visitar vocês, tudo que vocês forem fazer como por exemplo: vamos dormir, vamos mamar, vai com o papai, essa é a vovó, esse é seu quarto, dê nome aos objetos e muito mais.

O bebê não vai entender o que você está falando, mas vai começar a entender o que é a fala.

E através da entonação da sua voz o bebê também vai perceber o que você está sentindo.

Contar histórias passadas, histórias de família, ajuda a criança a perceber que ela faz parte de um coletivo.

  • Explique tudo para a criança, na linguagem dela, não esconda coisas, pois ela pode imaginar e criar coisas que não são reais para a determinada situação.

A narração apresenta a família e o mundo para a criança.

Antes dela começar a falar, ela já começa a entender o que os pais falam e a interagir com gestos e expressões.

Os pais podem “traduzir”o que eles acham que a criança está sentindo, por exemplo:

  • Será que você está com sono? Está com medo?

Assim ela vai aprendendo a formular o que ela sente.

Até os 2 anos, as histórias são mais objetivas, sobre ações e comportamentos, rotina do dia a dia, gravidade, como as coisas funcionam…

Ótimo para esse período são os livros de banho, livros de pano, livros de cartonado grossos e plástico.

  • Você pode ler histórias com enredo mesmo para crianças pequenas. Histórias simples, mas com início, meio e fim. Para ela começar a entender que existe uma sequência de ações.

De 1 ano e meio a 3, é uma fase mais difícil dela parar e sentar para ouvir histórias ou para ler um livro. Então aproveite os momentos que a criança está mais calma, como:

  • na hora de comer, na hora de dormir ou algum outro momento que ela esteja mais calminha.

Depois dos 2 anos e meio podem começar as narrativas mais elaboradas.

Até 2 anos ou 3 anos a criança acredita em tudo que você fala, então não é recomendável que os pais ou pessoas de confiança da criança se fantasiem de personagens maus, a criança não sabe que aquilo é uma brincadeira, e não vai entender porque a pessoa que ela confiava agora é uma pessoa má.

Você pode contar contar histórias “sombrias” para as crianças, como a que o lobo comeu a vovozinha, você está ali para ser o suporte da criança nesse momento, ela pode ficar com medo, mas você está ali com ela.

Na vida real, nem sempre os finais são felizes, mas nas histórias os vilões e as maldades são sempre sanadas, para mostrar para as crianças que as dores passam, as dificuldades vem, mas a gente é capaz de superá-las.

O mundo simbólico (dos livros e das histórias) ajuda a criança a se relacionar com o mundo real.

Contando histórias reais para a criança você passa o sentimento daquele momento que você está revivendo ao contar a história e ler as histórias dos livros são ótimas para ajudar com que a criança goste de livros e se torne um leitor.

Mesmo depois que as crianças souberem ler é muito bom continuar com esse momento de histórias e leituras feitas pelos pais.

Conversar, narrar, ler, contar histórias é importante na vida para sempre!

Levar as crianças em teatros é ótimo, a partir dos 3 ou 4 anos, antes disso só se for peças específicas para crianças menores.

Você pode levar seu pequeno em contação de histórias, mesmo que ele não fique até o fim, mas assim ele já vai se acostumando com o momento, tenha paciência.

Cada coisa tem seu tempo! Aproveite 0 tempo com seus filhos!

Dicas tiradas da palestra da Ana Luisa Lacombe  no COEDIN-2014.

Gostaram das dicas de hoje? Para mais dicas sobre educação infantil acesse: