A fimose masculina e feminina

Imagem: Dra. Denise Lellis

A fimose masculina, que é a incapacidade de expor a parte terminal do pênis, já que a pele que recobre a glande não possui abertura suficiente, atinge muitos bebês. Ela costuma desaparecer com até um ano de idade, mas, em alguns casos, pode acontecer de sumir até os cinco anos ou apenas na puberdade, isso sem precisar da ajuda de um tratamento específico.

Quando a pele não cede depois de certo tempo, pode ser necessário o uso de algum tratamento ou, em alguns casos, até mesmo uma cirurgia.

Os tipos de fimose masculina:

  • Fisiológica: Esta é a mais comum e pode estar presente desde o nascimento.
  • Secundária: Esta pode aparecer em qualquer momento da vida, ou seja, pode surgir em qualquer idade. Normalmente aparece após algum tipo de traumatismo local ou algum quadro de infecção.

Em alguns casos a urina pode ficar retida na pele devido ao pouco espaço, o que pode acarretar em um grande risco de infecção urinária. Além disso, a fimose masculina pode gerar algumas complicações e incômodos na pessoa, são eles:

  • Dificuldade no momento de realizar a limpeza da região;
  • Dor durante as relações sexuais;
  • Risco elevado de infecção urinária;
  • Mais chances de HPV, DST e câncer de pênis;
  • Chances altas de desenvolver parafimose.

Como ter certeza que é fimose?

O jeito de confirmar se realmente o que tem é fimose, basta tentar retrair a pele responsável por recobrir a glande do pênis de forma manual. Caso não seja possível ver de forma completa a glande, isso confirma a presença da fimose. Ela pode ser classificada em cinco graus diferentes, porém o grau não é considerado essencial na hora de decidir qual o melhor tratamento, afinal, o que vai definir o tratamento correto é a idade do menino.

A primeira verificação para saber se existe ou não a presença da fimose é no bebê recém-nascido, mas até os cinco anos os pediatras sempre verificam se houve alguma mudança.

Quando se trata da fimose secundária, que pode aparecer na adolescência ou na vida adulta, a própria pessoa pode verificar se existe dificuldade na retração da pele. Caso seja confirmado a dificuldade, é essencial que o homem se consulte com um urologista.

Quais são os tratamentos indicados para fimose?

Quando a fimose aparece na infância, nem sempre é preciso recorrer a tratamentos mais específicos. Por isso, é fundamental levar a criança ao pediatra para que o profissional avalie e defina se ela pode ser solucionada de forma natural.

Quando a fimose persistir ou se for fimose secundária, é preciso optar por tratamentos mais específicos, são eles:

  • Pomadas: O uso de pomadas com corticoides trazem propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e antibióticas que facilite que a pele deslize sobre a glande. A pomada será indicada pelo médico e deve ser utilizada de acordo com a indicação médica.
  • Exercício para retrair a fimose: Outro tratamento para meninos acima de cinco anos é realizar um exercício para retração da pele, mas não pode utilizar de força e nem pode causar dor. O ideal é que procure um médico que ensine exatamente como fazer o exercício de forma correta.
  • Cirurgia: Quando nenhum tratamento é suficiente, é possível fazer uma cirurgia chamada de postectomia. Ela pode ser realizada após os dois anos de idade. O médico é o responsável por decidir quando a cirurgia é apropriada.

A cirurgia remove toda a cama da pele que recobre a glande do prepúcio, ou é possível realizar um ou mais cortes pequenos na pele, eles só precisam permitir que a pele impeça a retirada da glande, porém, essa cirurgia não é considerada muito eficiente e pode gerar uma aderência no local. O médico pode fazer mais que retirar a pele, ele pode realizar um corte que libera o freio curto do pênis.

Em algumas situações a cirurgia não pode ser realizada, são elas:

  • Dificuldade na coagulação sanguínea;
  • Infecção local;
  • Casos de anormalidades no pênis, como pênis embutido ou hipospadia.

Confira também:

Você sabe o que é fimose feminina?

Muitas pessoas não sabem que a fimose feminina existe, mas ela está presente em determinadas situações. Ela consiste na aderência dos pequenos lábios vaginais, ou seja, faz com que os lábios fiquem colados ao ponto de tapar a abertura vaginal, mas não chega a cobrir a uretra (orifício por onde a urina passa) e nem o clitóris. A fimose é muito frequente nas meninas de até três anos de idade, mas pode se manter até os dez anos, quando se faz necessária a cirurgia.

A causa para o problema não é muito clara, porém, pode surgir por causa da baixa concentração de hormônios femininos, o que é bem característico dessa idade, além da irritação a mucosa da vagina devido ao contato com as fezes e a urina na fralda.

O tratamento é sempre baseado na orientação do pediatra e muitos indicam pomadas especificas. Agora, se a pomada não for suficiente para gerar um deslocamento dos lábios vaginais, o médico pode indicar cirurgia.

É essencial que o tratamento seja realizado de forma correta, já que a fimose feminina pode aumentar muito as chances de ocorrer infecções urinárias, dor na hora de urinar, corrimentos e mau cheiro da urina.

O tratamento costuma ser iniciado após um ano de idade com a aplicação de uma pomada de estrogênio sobre todo o local afetado. Na maioria das vezes, a fimose feminina é tratada sem nenhum problema com a pomada, mas, caso isso não aconteça, o pediatra precisa analisar e saber se faz necessária a cirurgia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here