Chá de Bebê Online
Roupinhas para bebês
Como fazer fotolivro
Ebook Atividades de 0 a 1 ano

Introdução Alimentar Beatriz – Parte II – Papinhas Salgadas

Última atualização em por

Então continuando a saga da introdução alimentar da Beatriz, quando vencemos a primeira parte das frutas, (aqui tem o post que falei um pouco sobre como foi essa experiência para nós aqui em casa)… iniciamos as papinhas salgadas!!! A primeira papinha que ofereci foi a papinha de batatinha amassada (clássica né?), e ela reagiu da mesma forma que com a primeira frutinha, ela jogou fora da boca, porque claro, estranhou o gosto “insosso”, pois não coloquei nada de tempero e sal… acho que nem eu comeria… kkk… mas para mim, até aquele momento achava que temperar ou não a comida não fazia diferença… até que depois de 3 dias de tentativas frustradas de introduzir a batatinha amassada, uma amiga me deu uma dica de temperar a batatinha… e foi o que fiz, fritei uma cebolinha, coloquei um orégano por cima e uma pitadinha de sal e nem preciso dizer que ela comeu TUDO!!! A partir daquele dia sempre que ofereço papinhas salgadas para a Beatriz, tempero tudo… geralmente eu uso, cebola, alho e cheiro verde… mas já variei com outros temperos. Claro nada de usar tempero pronto, tem que ser temperinho natural mesmo, que faz bem para eles! Nas primeiras papas salgadas eu misturava só 2 tipos de legumes diferentes para que ela fosse se acostumando aos novos sabores aos poucos, identificando cada um e portanto cada combinação eu oferecia durante 3 dias seguidos (lembrando que nessa época Bia só almoçava, ainda não tínhamos entrado com a janta). Então era assim:

Batata+Cenoura = por 3 dias seguidos

Batata + Chuchu = por 3 dias seguidos

Moranga + Beterraba = por 3 dias seguidos

Moranga + Abobrinha = por 3 dias seguidos

Batata doce + cenoura = por 3 dias seguidos

etc….

E por aí vai as combinações, depois de umas 3 semanas introduzindo os legumes dessa forma, comecei a fazer um sopão variando entre arroz normal, arroz de risoto ou massa de letrinhas (que não preciso picar), no sopão também introduzi as carnes (ou carne de gado ou frango ou peixe), confesso que o que mais uso é a de carne de gado ou frango mas quanto mais diversificado for a alimentação da criança nessa fase melhor será seu paladar depois quando for mais velho. Então no sopão faço assim: primeiro frito a cebola e o alho, depois refogo a carne de minha escolha, já adicionando o sal e os temperos de meu gosto, geralmente uso cheiro verde. Após fritar a carne, coloco água e adiciono o arroz ou a massa e os legumes que escolhi para o sopão, uso moranga, batata, batata-doce, aipim, cenoura, chuchu, beterraba, abobrinha, beringela, etc… geralmente escolho 4 tipos diferentes e faço o sopão, na próxima vez utilizo outros 4 diferentes para que ela possa sempre comer algo diferente. Cozinho tudo e após estar tudo bem cozido, eu amasso com um amassador de batatas, NÃO uso o liquidificador, pois a comida liquidificada não estimula a mastigação da criança. Ela precisa ter contato com a comida mais consistente para poder ser estimulada corretamente na mastigação.

Após amassar com o amassador de batatas (que deixa a comida na medida certa, nem liquida e nem solida), eu coloco em potinhos de plástico livres de BPA (que é uma substância cancerígena presente em potes de plástico que é liberada quando aquecida, como no microondas) e congelo. Sim eu congelo, acho mais prático para meu dia a dia, congelar a comidinha da Bia e só aquecer antes eu dar a ela. Faço para 2, 3 dias seguidos… Após os 7 meses, já pude adicionar as folhas verdes, então cozinho junto couve ou espinafre, ou alguma outra folha verde de minha escolha. As folhas verdes também podem ser adicionadas depois que a comida já está pronta. Outro detalhe importante, é procurar oferecer a comida horas “amassada”, horas em pedaços para que a criança se habitue a comer tanto de uma forma como de outra… se você só oferecer comida amassada ou triturada, quando ela precisar comer em pedaços, não vai querer, vai se recusar a comer, porque se habituou a comer só de forma “liquida”, então é importante ir oferecendo das duas formas.

Aqui em casa eu faço assim… como congelo a comida, para que ela não “enjoe” da mesma comida oferecida em dias seguidos, eu sempre adiciono algo a comida em pedaços, por exemplo tomate picado no almoço, couve-flor em pedaços na janta, etc.. assim ela pode ter as duas experiências de comer em pedaços e amassadinho e também não enjoar de comer sempre a mesma comida. O caldo de feijão também uso direto aqui em casa, tempero o feijão com sal, alho, cebola e louro; no início só adicionava o caldo, depois por volta dos 8 meses passei a adicionar o grão do feijão também. Ovo picado também, no início só adicionava a gema, pois a clara tem uma substância que o estômago do bebê ainda não está apto para processar, mas por volta dos 8 meses já acrescentei a clara na sua alimentação.

Hoje não há nada que eu não possa oferecer para a Bia, com exceção do mel que só pode ser oferecido após 1 ano. Mas se referindo a legumes, verduras e carnes hoje ela pode comer de tudo, e eu na medida que posso procuro oferecer a ela um cardápio variado… mas claro sem neuras, a alimentação da minha filha é algo muito importante para mim, como de todos os demais membros da casa… nada de priorizar só a alimentação do bebê e esquecer da sua e dos demais membros da casa como o marido por exemplo (eles geralmente reclamam que ficam de lado…kkkk…que só a criança come bem na casa…hahahah), então o legal é oferecer um cardápio saudável para toda a família, até porque depois a alimentação do bebê logo será inclusa na alimentação de toda a família. Quero aproveitar e deixar algumas dicas para as mamães que estão iniciando esse processo de introdução alimentar:

# DICA 1: Sente a criança para comer na mesa. Desde cedo ela vai se acostumar que lugar de comer é na mesa e não na frente da televisão, ou no sofá, ou até mesmo no quarto. Para que depois ela não crie esse hábito e gere um transtorno familiar, quando você quiser que ela coma na mesa pois ela não vai querer porque já estará acostumada a comer em outros lugares. Sem falar na sujeira pela casa toda, pois crianças não comem de forma “limpa”, eles sempre fazem alguma baguncinha, e falo isso sem críticas, são crianças e estão aprendendo a arte de comer… mas bons modos também começam cedo, ou seja, não permita coisas hoje porque são pequenos que depois quando eles forem maiores você os recriminará por fazerem. Também acho importante a criança se sentar na mesa, pois define que aquele momento é o momento de comer e não de brincar ou ver TV. Assim você não precisa sair correndo pela casa toda com um prato na mão. Pode ser que no início seja um pouco difícil, mas a criança se habitua a rotina da casa, então ela vai se habituar a comer só na mesa. E um filho passa o exemplo para o outro filho, então se você começa cedo a fazer isso com o primeiro, certamente os irmãos seguiram o exemplo dele, tornando as coisas mais fáceis ainda para os próximos filhos.

#DICA 2: Evite lanchinhos desnecessários ao longo do dia. A criança deve fazer lanches no meio da manhã e no meio da tarde, mas que sejam em horários já definidos, não aleatoriamente. Pois o que acontece… a criança que faz lanches desregulares ao longo do dia, na hora das refeições estará sem fome e certamente você irá querer que ela coma e ela não irá comer… e não esquecendo que crianças são como um jogo de dominó, uma peça derruba a outra, ou seja, não come direito, também não brinca direito e consequentemente não dorme direito. Portanto é preciso ter uma alimentação regrada para que todas as demais coisas andem corretamente. Cuidado com os lanches principalmente os industrializados como bolachas, salgadinhos, doces, etc… que são calóricos e ainda por cima tiram a fome da criança. Prefira oferecer ao seu filho frutas… não sou maníaca da dieta, no entanto crianças estão em fase de crescimento e precisam de muitas vitaminas para crescer de forma saudável, e isso depende diretamente do que oferecemos a elas.

# DICA 3: Seja criativo e diversificado ao oferecer os alimentos para seus filhos. Por exemplo aqui em casa na introdução das frutas para dar uma variada de vez em quando como era verão aproveitei para fazer bastante picolés naturais, fiz nos sabores de morango, melancia, uva… é muito fácil de fazer, é praticamente só tirar a casca e as sementes e colocar no liquidificador com um pouco de água ou não e colocar nas forminhas para gelar. Por aqui foi um sucesso! Na primeira vez claro, a Bia estranhou o geladinho, mas depois até chupar o picolé sozinha ela já chupava. Coisa mais querida. Esse picolé da fotinho era de melancia… ela amou!!!

1294520_10208749608320192_5240956810767971835_o

#DICA 4: Deixe que eles manuseiem os alimentos. Eu sou muitoooo nojentinha e confesso que no início eu achava mais fácil e pratico só eu dar o alimento a ela, terminávamos as refeições limpas e organizadas. No entanto, tudo o que fazemos hoje tem um reflexo no amanhã e isso precisa ficar claro, ok? Então se hoje eu privar minha filha de ter contato com os alimentos, nos meses seguintes que ela já deverá estar ensaiando para comer sozinha, ela não vai conseguir… então se ela precisa aprender a comer sozinha, eu preciso incentivá-la a isso e logo… a primeira forma de uma criança aprender a comer sozinha é comendo com as mãos… e certamente no início ela vai errar e muitoooo o caminho dos alimentos até a boca. Então, por volta dos 7 meses da Bia me dei conta disso, e comecei e repensar na forma como introduzia a alimentação a ela, deixei que ela começasse a ter contato com os alimentos e brincasse com eles… claro que nas primeiras vezes ela mal quis tocar na comida, pois tinha “nojinhos”, que óbvio fui eu que passei a ela.. então incentivei por alguns dias seguidos e logo ela se rendeu a essa gostosa brincadeira de comer. Hoje eu faço assim, dou a alimentação para ela ainda, mas sempre proporciono de ela comer algo sozinha junto na alimentação, por exemplo cozinho couve-flor ou brócolis e deixo os pedaços na frente dela, para ela ir ingerindo junto com a alimentação que estou dando. As vezes também deixo um pouco de comida no prato e incentivo ela a comer sozinha com as mãos, ou já vou treinando ela a pegar a colher. Depende, cada refeição faço de um jeito diferente… sem pressa, sem pressão… Aqui na foto abaixo é a Bia comendo uma pêra bem deliciosa sozinha. Claro que tive que ajudar ela a comer, porque ela até consegue tirar alguns pedaços mas na maior parte do tempo mais chupa e brinca com a comida…

Agora quero dar mais umas dicas de acessórios que usos aqui em casa na parte da alimentação da Beatriz. No post passado falei um pouco da cadeirinha e do babador que usamos, nesse post vou falar da colherinha e do copo de treinamento.

A colherinha que eu comecei usando foi uma de plástico dura, que machucava a boca da Bia, por isso troquei por essa da NUK que comprei no site da Tricae , de silicone, muito mais flexível e molezinha assim a Bia não se machuca mais quando introduzo os alimentos na boca dela. Super indico! Também acho que quando ela começar a comer sozinha, não terá perigo de se machucar com a colher.

4b9b3fbd338d327aa397bf9d0d1c73f07920fefd

Já o copo de treinamento sou super fã desse copo de treinamento da Lansinoh que comprei no site da Tricae, eu só dou água para a Bia, todos os dias eu ofereço a água para ela após as refeições e ao longo do dia. Não ofereço sucos ainda pois não vejo necessidade, quero que primeiro ela se habitue a tomar água e após estar bebendo bemmmm a água, vou introduzir os sucos naturais. No início como a Bia não queria beber água eu tentei oferecer de tudo que é jeito, de colher, na mamadeira, com vários tipos de bicos diferentes e nada… até que comprei esse copo de treinamento da Lansinoh e me apaixonei… ele tem um formato arrendondado e ergonômico, as alças laterais permitem que a Beatriz segure com mais firmeza (ela mesma consegue tomar sozinha a água no copo), além do movimento joão bobo,  que entretém e estimula o desenvolvimento da criança. Nota 10 para esse copo… aqui na fotinho a Bia foi nas primeiras vezes que ela começou a tentar tomar água sozinha. Hoje ela mesma toma, sem precisar de minha ajuda.

DSC_0198 (4)

 

Então era isso, espero que eu possa ter ajudado alguma mamãe nesse início da introdução alimentar, que muitas vezes nos sentimos perdidas.

Beijos.

Até.

 

Você também pode gostar

Comente com o Facebook

comentários