Low Carb Infantil - pode ou não pode?

Low Carb Infantil – pode ou não pode?

“low carb infantil”, ou seja uma dieta com baixos carboidratos refinados e restrição de açúcares para ajudar no combate ao sobrepeso infantil, confira aqui.

Um problema comum há décadas e cada vez mais frequente é a obesidade e a parte mais triste é que não é um problema exclusivo de adultos mas as crianças também tem sido suas vítimas. Em uma geração cada vez mais fastfood, mais high-tech e menos sensorial, com menos contato com a natureza, com muitos distúrbios alimentares decorrentes de uma má alimentação, vem crescendo ao longo dos anos, a obesidade infantil.

Segundo a Federação Mundial da Obesidade 42 milhões de crianças entre 0 e 5 anos no mundo inteiro estão acima do peso ou são obesas, e no Brasil cerca de 12,9% das crianças de 5 a 9 sofrem dessa condição.

Existem muitos fatores envolvidos, mas uma das grandes causas da obesidade infantil é a má-alimentação, um alto consumo de processados, açúcares e farinhas que apresentam baixo valor nutricional. Uma alimentação recheada de balas, biscoitos, confeitos e refrigerantes, ou seja, produtos que fornecem altos níveis de energia, além de estimular o hormônio insulina, que leva ao armazenamento de gordura, e como esses alimentos conferem uma baixa saciedade, uma alimentação rica nesse tipo de alimentos costuma favorecer ao aumento da ingestão calórica e consequentemente ao ganho de peso.

E é justamente nesse ponto, que entra a “low carb infantil”, ou seja uma dieta com baixos carboidratos refinados e restrição de açúcares para ajudar no combate ao sobrepeso e a obesidade infantil. É ofertado a criança comida de verdade (proteínas, verduras, legumes, gorduras naturais, etc) com refeições saborosas e densas de nutrientes.

Mesmo as crianças que não estão com sobrepeso ou com obesidade, são beneficiadas com a redução do consumo de açúcares e carboidratos.

Uma dieta baixa em carboidratos pode ser feita com alimentos mais caros e outros mais baratos, ou seja não precisa comer filé mignon e salmão para se ter uma dieta adequada. É possível adotar uma dieta “low carb” com ovos, frango e carne de segunda, legumes e vegetais da estação, no final das contas o valor gasto com esses alimentos é praticamente equivalente ao adquirir alimentos processados e industrializados, o que você está fazendo é na verdade substituindo uma alimentação pobre em nutrientes por uma alta em nutrientes pelo mesmo preço.

O que as vezes encarece as dietas “low carb” são os alimentos exóticos que estão na moda as “super foods” que não são realmente necessárias para uma alimentação low-carb, elas são apenas a “cereja do bolo” e com certeza podemos viver bem sem a “cereja do bolo”, por isso não se engane quando o assunto é low-carb não significa que você precisará comprar milhões de produtos caríssimos, que se dizem milagrosos, low-carb é comida de verdade: carne, legumes, verduras, frutas, oleaginosas e gorduras naturais.


Aproveite e confira:


Mas afinal porque baixar os carboidratos da alimentação das crianças?

Low Carb infantil
https://www.guialowcarb.com.br/low-carb-infantil/

Comendo com um baixo teor de carboidratos as crianças evitam a montanha-russa de alta/baixa de açúcar no sangue, as quebras de energia e os alimentos inflamatórios da nossa dieta moderna. As crianças não precisam da quantidade absurda de carboidratos que consomem hoje em dia. Além de que os carboidratos rapidamente absorvidos pelo corpo humano, aumentam a glicemia e eliminam a nutrição.

Há muito receio dos pais de aderir a uma dieta “low-carb” com medo de que as crianças ficarão sem os nutrientes necessários para seu desenvolvimento, mas isso é facilmente desmistificado, uma vez que não é ZERO carboidratos mas BAIXO teor de carboidratos, portanto a criança irá ingerir carboidratos sim mas eles serão muito bem escolhidos de forma a agregar altos valores nutricionais como vegetais, nozes, lácteos, frutos do mar. Ao contrário dos carboidratos da dieta moderna, movidos a junk food, ou seja, comida rica em calorias e de baixa qualidade nutritiva.

Mais uma vez lembrando que o baixo teor de carboidratos é na verdade sobre voltar ao básico: carne, vegetais, frutas com pouco açúcar, sementes, nozes e gorduras saudáveis. Reduzindo os alimentos processados e os alimentos ricos em carboidratos das refeições infantis você estará reduzindo o risco de obesidade, diabetes tipo 2, cárie dentária, doenças de disfunção metabólica, e muitas outras doenças que são associadas ao ganho de peso. E ao contrário, melhorando a alimentação do seu filho, você está melhorando a nutrição dele, seu humor, sua imunidade, sua energia e desenvolvendo apreciação pela alimentação verdadeira.

Falando um pouco sobre os alimentos:

dicas Low Carb
https://www.guialowcarb.com.br/guia-para-iniciantes-da-dieta-low-carb/

Os grãos são de alto teor de carboidratos e são rapidamente absorvidos pelo nosso organismo, eles elevam as taxas de açúcar no sangue e o pico de insulina ocorre. O trigo e os grãos consumidos em demasia na nossa geração, são inflamatórios e eliminam a nutrição. Os carboidratos rapidamente absorvidos pelo organismo, que aumentam a glicemia, também eliminam a nutrição. Ao remover o pão, o macarrão, o arroz de uma refeição, seus filhos preencherão com vegetais frescos, proteínas de boa qualidade e gorduras saudáveis.

Trocando as gorduras saturadas por gorduras saudáveis ​​que são essenciais para a produção hormonal, função cerebral saudável, desenvolvimento de tecidos, controle do apetite e absorção de vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K). As crianças precisam especialmente de ácidos graxos ômega 3 para o desenvolvimento saudável dos olhos e do cérebro. Portanto evite os produtos com baixo teor de gordura, pois geralmente adicionaram açúcar para melhorar o sabor e a textura. Escolha gorduras saudáveis, como o azeite de oliva extra virgem, manteiga (fuja das margarinas, que são plástico puro), óleo de coco, peixe oleoso, nozes, sementes, ovos e carne. Pare de usar óleos de sementes inflamatórios e incrivelmente processados.

As frutas e os vegetais são a maior fonte de carboidratos para crianças. Eles também são uma fonte valiosa de fibras, vitaminas, minerais, antioxidantes e fitoquímicos. As frutas possuem frutose em sua composição, que no organismo humano vira açúcar, açúcar bom mas ainda açúcar, portanto é preciso cuidar com a ingestão de frutas com altos índices de frutose como (banana, melão, abacaxi) coma mas limite a sua ingestão para uma ou duas vezes por dia. O suco de frutas também não é uma boa opção, os industrializados são repletos de açúcar, e mesmo os caseiros feitos com a própria fruta, ainda assim são ricos em açúcar, pois a fibra é quebrada na hora da sua preparação, então nunca substitua comer a fruta in-natura por tomar o suco feito dela, incentive seu filho a tomar água como bebida principal e comer as frutas in-natura.

Fonte de pesquisa: https://www.lowcarblifestylebrasil.com.br/

O que alimentamos nossos filhos hoje, terá um impacto em sua saúde, em seu desenvolvimento e em suas escolhas no futuro. As doenças crônicas não ocorrem da noite para o dia, mas elas surgem durante períodos prolongados de exposição a açúcares altos, carboidratos altos, óleos não saudáveis ​​e alimentos inflamatórios. Portanto decida hoje mudar o futuro do seu filho e de sua familia, fazendo escolhas melhores comendo mais vegetais, carnes, nozes, sementes e gorduras saudáveis. Cozinhem e preparem alimentos juntos, divirtam-se na cozinha, estreitando os laços familiares e criando uma boa relação com a comida saudável, assim você estará ajudando seus filhos a desenvolverem gosto por comida real!

close