Mastite: o que é e dicas de como tratar 

Mastite: o que é e dicas de como tratar 

A mastite é um problema muito comum, principalmente entre as mulheres que amamentam, e entender mais sobre esse assunto é essencial para que você passe por essa fase de uma maneira mais tranquila e confortável. 

O processo de amamentação é um baita desafio para as mamães, ainda mais as de primeira viagem, que muitas vezes não recebem o apoio e suporte necessários para amamentar da maneira correta. 

Amamentar um bebê é muito mais do que garantir a sobrevivência de um recém-nascido, é um ato de amor e carinho para com aquela pequena pessoa que depende apenas disso para crescer com saúde. 

Além disso, a amamentação é um processo que também precisa de muito cuidado e higiene, não é atoa que existem muitos profissionais para ajudar mulheres que têm dificuldade na hora de amamentar. 

Aqui, também é importante ressaltar que a amamentação está longe de ser algo lindo e perfeito como muitas pessoas romantizam na internet e nas redes sociais, a amamentação é um processo exaustivo e muitas vezes insuportável para algumas mulheres. 

E isso está longe de ser um problema, as mulheres que, por alguma razão, não conseguem amamentar os seus filhos, jamais devem se sentir inferiores por isso, pois sabem que fizeram o seu melhor e que o seu pequeno ou pequena está bem de qualquer maneira. 

Ter problemas para amamentar é completamente normal, por isso, contar com conteúdos como esse e bons profissionais do seu lado é essencial para que você passe por esse processo com o máximo de cuidado e saúde, tanto física quanto mental. 

Assim como devemos contar com uma boa agência de eventos corporativos sp para realizar um evento especial, torna-se fundamental contar com bons conteúdos e profissionais para nos acompanhar em momentos delicados como esse. 

E por falar em possíveis problemas relacionados à amamentação, é justamente dentro deste contexto que entra a mastite, tema principal do texto de hoje e que precisa ser tratado com muito cuidado e atenção. 

Sendo assim, hoje você irá entender o que é a mastite, as suas principais causas, as maneiras de evitá-la, os tratamentos mais recomendados e ainda algumas técnicas caseiras para ajudar as mamães durante essa fase tão delicada e importante. 

Entenda que é a mastite 

Mastite. Imagem: pt.depositphotos.com

A mastite se caracteriza pela inflamação ao redor da glândula mamária, ou seja, na auréola da mama, que nada mais é do que aquele espaço arredondado e mais escuro que fica em torno do mamilo, onde o bebê faz a sucção do leite. 

Assim como uma pessoa que está construindo a parte elétrica de sua casa precisa de uma boa empresa de projetos elétricos para fazer isso da melhor maneira possível, as mamães também precisam de muita ajuda durante a fase de amamentação. 

Muitas pessoas ainda pensam que amamentar é só pegar o bebê e colocar ele na frente do peito que ele irá encontrar o lugar exato e mamar da maneira correta, mas só quem já aumentou sabe que essa ideia está longe de ser a realidade, principalmente no começo do processo. 

O processo de amamentação é uma novidade tanto para a mulher quanto para o bebê, e no meio de muitas tentativas de que isso aconteça de forma natural e confortável, o seio da mulher acaba sofrendo bastante. 

Quem amamenta, já amamentou ou conhece alguém que amamenta deve saber que a região fica bem sensível, dolorida e até mesmo machucada durante a amamentação, ou seja, está longe de ser o conto de fadas e mar de rosas que muitos pensam. 

E é justamente dentro deste cenário que a mastite se caracteriza, como um problema que traz bastante incômodo para a região do peito da mulher e que precisa ser tratado com pessoas para que traga consequências piores.

Felizmente, hoje podemos contar com profissionais especializados nesse assunto, assim como contamos com uma empresa de construção e reforma de confiança para realizar um serviço deste segmento. 

Principais causas da mastite 

A mastite é um problema comum e que acontece por diversas causas que também são completamente normais entre as mulheres que amamentam, por isso, é importante estar atento nas principais, que são:

Leite acumulado 

Existem mulheres que produzem muito e pouco leite durante a amamentação, ambos os casos possuem os seus ônus e bônus, mas independentemente do caso, muitas mulheres sofrem com o leite que se acumula e acaba preso nos seios. 

Isso pode acontecer por conta de algum problema relacionado a produção do leite ou até mesmo porque o bebê não conseguiu pegar o peito da maneira correta, sendo assim, o leite acaba se acumulando e gerando muita dor na mulher. 

Por isso, é importante estar ciente a esse sintoma e contar com uma boa instalação de climatizadores evaporativos para deixar o espaço de amamentação mais confortável tanto para a mamãe quanto para o bebê. 

Contato com o bebê 

Durante a amamentação, o seio da mulher fica exposto ao contato direto com a boca e o nariz do bebê, que por mais novo que seja, não significa que esteja livre de bactérias e toxinas que podem trazer problemas para você. 

A boca é a região do corpo que mais produz sujeira, e como o bebê ainda não tem o hábito de cuidar da saúde bucal, as toxinas e substâncias produzidas ficam alojadas em sua boca, que terá contato direto com o peito da mulher. 

Por isso, o contato direto do seio com a boca do bebê ou até mesmo o nariz, principalmente quando ele estiver doente, é uma das principais causas do aparecimento de feridas e infecções que são caracterizadas como a mastite. 

Fissuras não cicatrizadas 

Contar com uma auxiliar de limpeza terceirizada faz toda a diferença durante esse período tão delicado e exaustivo da mãe, afinal de contas, ela se dedica por completo ao bebê e precisa de ajuda em relação às tarefas domésticas. 

Até porque, o processo de amamentação pode trazer muitas dificuldades para a mulher e até mesmo feridas bem doloridas e que podem deixar o espaço ainda mais propício a infecções e vírus. 

Quando o bebê não pega o peito direito, é normal que ele acabe mordendo o bico, o que gera fissuras, ou seja, feridas que deixam a região nem dolorida e exposta a bactérias e fungos que podem gerar problemas ainda maiores. 

Sendo assim, a mastite é um problema que possui causas derivadas da amamentação e que em qualquer sinal de sintomas como dor no peito, sangramento ou incômodo na hora de amamentar, precisa de extremo cuidado. 

Saiba como evitar a mastite 

Assim como contar com uma boa instalação de ar condicionado residencial evita problemas respiratórios ou a piora deles, existe a possibilidade de também evitar a mastite e garantir uma amamentação mais saudável e confortável para a mamãe e o bebê. 

A melhor maneira de fazer isso é realizando a retirada constante do leite para que ele não se acumule na região e acabe gerando maiores problemas, como as dores e o aparecimento de feridas. 

Você pode fazer isso tendo horários fixos de mamadas para que o bebê se mantenha bem alimentado e o seu peito continue produzindo leite de maneira natural, caso o bebê não queira mamar naquele momento, você pode usar a famosa bombinha. 

A bombinha realiza a sucção do leite e pode ser dada ao bebê posteriormente na mamadeira e te ajuda a manter o fluxo de produção e retirada do leite para que ele não se acumule nos seios. 

Melhores tratamentos para a mastite 

É importante ressaltar a importância de um tratamento médico no caso da mastite, sendo assim, em qualquer sinal de sintoma ou desconfiança do problema, procure imediatamente um médico de sua confiança. 

Em alguns casos, será necessário fazer o uso de anti-inflamatórios ou antibióticos, dependendo da gravidade da situação, para que a dor alivie e as feridas se cicatrizem mais rápido, mas fique tranquila, não será necessário ir atrás de um distribuidor de seringas descartáveis.

Ter uma consultora de amamentação também faz toda a diferença nesse processo, pois ela irá te ajudar a aumentar de maneira mais confortável, além de também ajudar o seu bebê a entender mais sobre a região que precisa pegar para mamar. 

Entretanto, é de extrema importância que você mantenha o acompanhamento com o seu médico durante a gravidez, o parto e a amamentação para que ele entenda bem o seu caso e te ajude da melhor maneira possível. 

Técnicas caseiras para diminuir a mastite 

Para finalizar, selecionamos algumas dicas caseiras que podem te ajudar a aliviar os sintomas da mastite e trazer mais conforto para as mamães que lutam diariamente para amamentar seus filhos. Confira:

  • Compressa de água quente;
  • Laser com a consultora de amamentação;
  • Protetores de seio durante a amamentação;
  • Almofada de amamentação;
  • Boa alimentação;
  • Higiene do seio e da boca do bebê. 

Simples ações como essas já fazem toda a diferença durante o processo e ajudam a amenizar os sintomas do problema, que como mencionamos, precisa ser acompanhado por um médico especialista.

Dessa maneira, a amamentação será um processo leve e confortável para a mamãe e saudável para o bebê, entendo que mesmo não sendo um mar de rosas, há sempre o que fazer e com quem contar para melhorar a situação. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

close