4 preocupações que toda mãe de primeira viagem tem e como lidar com elas

4 preocupações que toda mãe de primeira viagem tem e como lidar com elas

As dúvidas quando descobrimos que seremos mães pela primeira vez são muitas. Por isso, listamos neste texto as preocupações que toda mãe de primeira viagem tem e como lidar com elas.

Ser mãe é ter em vários momentos um turbilhão de emoções. Mas uma das primeiras inseguranças, por exemplo, é quando o bebê chega em casa pela primeira vez. E, com isso, quanto mais perguntas vem à cabeça, mais inseguranças surgem. Se você está passando por este momento, veja as preocupações que toda mãe de primeira viagem tem e como lidar com elas. 

A maternidade é um desafio para todas as mulheres, mas quando isso é a primeira vez se torna ainda mais difícil porque não sabemos o que iremos enfrentar. “Como saber por que a criança está chorando?” Ou até mesmo “será que ele comeu o suficiente”, são perguntas que pairam a todo momento na mente das mães, principalmente, de primeira viagem. 

Para te ajudar neste momento, mostraremos quais são as preocupações que toda mãe de primeira viagem tem e como lidar com elas. 

As preocupações que toda mãe de primeira viagem tem e como lidar com elas 

mãe de primeira viagem
Mãe de primeira viagem. Imagem: https://www.pexels.com/

Gerar uma vida é um momento muito especial na vida de uma mulher. Por este motivo, que quando isso acontece pela primeira vez, as mulheres ficam muitas dúvidas. Fique de olho neste texto para esclarecer algumas situações e saber como lidar. 

Não deixe as preocupações paralisarem você! Portanto, com o seu bebê ainda na barriga, faça planejamento importantes como escolher a maternidade que acontecerá o parto, o quarto da criança, dentre outros detalhes que são essenciais neste momento. 

Conheça mais preocupações que toda mãe de primeira viagem tem e como lidar com elas:

1 – Cuidar da saúde do bebê

Uma das primeiras preocupações, quando a criança nasce é passar a se preocupar ainda mais com a saúde dela. Por isso, adicioná-la no plano de saúde ou fazer um plano especial para esta nova vida é bem importante, já que não sabemos como serão os próximos passos. 

Pensando lá na frente, quando as crianças vão para escola, elas têm tendência a ficar mais doentes porque o seu sistema de imunidade até está em processo de amadurecimento. 

No caso de já ter um convênio médico, você pode incluir a criança por 30 dias e depois precisará contratar um plano de saúde para recém-nascido a fim de garantir as coberturas necessárias. 

É muito importante marcar consulta com pediatra na primeira semana de vida e, caso não tenha um plano, informe-se no posto de saúde mais próximo da sua casa.

2 – Conseguir amamentar

Outra preocupação das mulheres está relacionada à amamentação. “Será que terei leite?” Amamentar é o sonho de muitas mulheres, mas, por diversos problemas, nem todas conseguem. 

Por isso, não precisa se preocupar com esta situação. Vai dar tudo certo! Para dar uma forcinha, você pode fazer algumas coisas para facilitar este processo como, por exemplo, tente não utilizar cremes ou perfumes na região para não afastar o bebê no processo de amamentação. 

Identifique a posição que é mais confortável para você e para o seu bebê também pode ajudar nesta fase, principalmente, no começo. 


Aproveite e confira:


3 – Não saber tudo (e ter medo de pedir ajuda)  

Neste momento tudo é novo, não tenho receio em pedir ajuda, caso precise. Afinal, principalmente, para a mãe de primeira viagem são muitas novidades para administrar fora a alteração hormonal, não é mesmo?

Então, se você tiver uma rede de apoio ou até mesmo amigas com quem você possa contar, dívida algumas tarefas para que você consiga ter um tempinho para fazer outras coisas, por exemplo.  Ou dar uma descansada, após uma noite de sono mal dormida.

Algumas vezes as pessoas acabam não se oferecendo achando que pode atrapalhar e você está lá querendo uma ajuda, mas não contou para ninguém. 

4 – Desesperar-se com o choro

Muitas mães de primeira viagem ficam desesperadas e com o coração apertado quando o bebê começa a chorar e, por algumas vezes, isso acontece nas longas madrugadas. Por mais que não pareça, em alguns casos, é normal a criança chorar porque ela também está se acostumando a viver no mundo fora da barriga, por exemplo. 

O choro é a única forma de se expressar que aquele ser tão pequenino tem, então, as reclamações podem ser sono, fome, gases, calor, dentre outras. 

Por isso, tenha calma e observe. Se o choro for diferente do normal, um profissional capacitado deverá fazer uma avaliação. Caso seja um choro igual os outros, aos poucos você vai aprendendo a identificar. 

Você já é mãe de primeira viagem? Qual é a sua principal preocupação?

Por Jeniffer Elaina

Deixe um comentário

close