Veja como as redes sociais aumentam a pressão estética sobre a mulher

Veja como as redes sociais aumentam a pressão estética sobre o corpo da mulher

Vivendo em um mundo cada vez mais conectado, aumenta a pressão estética sobre o corpo da mulher. Isso ocorre principalmente entre os jovens das gerações millennials, nascidos entre 1980 e 1995 e da geração Z, nascida entre 1995 e 2010.

Ainda que as redes sociais e a internet geram uma influência sobre a aparência das mulheres, isso já ocorre há muito tempo com padrões de beleza de modelos, atrizes e pessoas famosas.

Neste artigo vamos tratar sobre o polêmico assunto de como as redes sociais aumentam a pressão sobre o corpo de mulheres em todo o mundo.

Qual a relação entre redes sociais e beleza?

estética
Qual a relação entre redes sociais e beleza?

Se tratando de um assunto tão importante, a relação entre as redes sociais e a beleza foi tema de pesquisas. Uma das principais foi conduzida pela ONG inglesa “Girlguiding”, entrevistando mais de mil meninas entre 11 e 21 anos.

Afetando os ideais de beleza de quem está nos mais diversos setores e segmentos, impactando até mesmo um escritório de assessoria contábil. A situação é que a constatação foi preocupante, com uma influência do mundo virtual mais danosa que o esperado.

Para 33% das entrevistadas tinham a preocupação de comparar suas próprias vidas com as de outras pessoas nas redes sociais, um hábito que afeta negativamente seu bem-estar.

Foi apontado pelos jovens, que a falta de diálogo e companheirismo dos pais também era um fator relevante.

Para 47% delas os pais tinham consciência de como o mundo digital causa uma pressão nas jovens, mas apenas 12% afirmaram haver uma preocupação dos responsáveis.

Existindo a consciência de como a relação entre as redes sociais e a beleza pode ser prejudicial, principalmente para jovens e adolescentes, carece-se de uma participação ativa dos pais.

Para muitos jovens, como alguns que trabalham em um distribuidor de seringas descartáveis, existe um grande incômodo na comparação da vida alheia. Ocorre uma falsa percepção que a vida das outras pessoas é mais feliz ou mais satisfatória que a delas mesmas.

Qual a influência dos influencers?

Um dos maiores problemas nesse cenário, é que as jovens não são afetadas por conteúdos de pessoas da mesma idade ou de um mesmo círculo de amizades. O influencer digital é uma pessoa que atua profissionalmente produzindo conteúdo digital, tais como:

  • Vídeos;
  • Podcasts;
  • Publicações em blogs;
  • Textos em redes sociais.

Muitos deles se voltam para a área da beleza e da moda, que impactam até mesmo na produção de soutien mastectomia prótese. Alguns influencers ensinam truques de maquiagem, combinação de roupas, reaproveitamento de peças e outras dicas legais.

No entanto, também não são incomuns as que constroem sua audiência com base na ostentação cotidiana, com viagens e roupas de luxo, além de um corpo que reproduz os padrões de beleza consolidados.

Assim jovens sem suporte educacional e familiar são expostas ao ideal de vida e de beleza que não condiz com a realidade cotidiana.

O grupo que conquista sucesso por meio das redes digitais é seleto, muitos fazendo marketing social. É preciso uma solução que começa com a compreensão de familiares e amigos sobre o que esses jovens enfrentam, bem como as consequências emocionais disso.

Até mesmo empresas podem entrar nesse movimento para auxiliar a propagação da pessoa “real”, por exemplo, uma empresa de ducha oftálmica pode destinar a sua verba de marketing para influenciadores que apoiem a causa.

Algumas pessoas saem das redes sociais tentando diminuir essa influência, mas a questão é que elas têm que lidar com a questão em vez de fugir dela. Em alguns casos é preciso um suporte especializado, como profissionais da saúde como psicólogos e terapeutas.

Um movimento em promoção da autoestima

A internet é ampla e democrática, existindo influencers que criam conteúdo mais inclusivo e de auto aceitação.

Essas influencers exaltam outras formas de beleza, e são indicadas para pessoas que estão insatisfeitas com conteúdos que exigem uma feminilidade exacerbada ou padrão de beleza inalcançável.

Esse é um movimento em direção a liberdade estética feminina, com modelos e artistas postando fotos naturais. Celulites e estrias são colocadas como coisas reais, além de se mostrarem sem maquiagem de maneira natural.

Dessa forma, ainda que exista uma parcela preocupante de influência entre as redes sociais e a beleza, existem opções que ressaltam a beleza individual e fora dos padrões consolidados.

A questão das cirurgias plásticas

Além de ser fundamental contar com o equipamento certo, como um esterilizador para laboratório e um profissional competente é fundamental que a pessoa que vai ser operada não busque uma beleza inalcançável. 

Atualmente, a cirurgia plástica está muito mais associada à promoção da auto estima e da satisfação pessoal. Esse é um procedimento avaliado por profissionais que olham fatores psicológicos e emocionais.

É considerado se a paciente quer a intervenção por ela mesma ou para agradar terceiros, e outros critérios. Entende-se que uma cirurgia plástica só deve ser realizada quando é desejo pessoal da paciente e o resultado levará ao bem-estar dela.

Nem sempre se render a uma cirurgia plástica está relacionada às redes sociais e a beleza, buscando uma estética inalcançável, e sim a realização de um sonho que traga mais felicidade e satisfação pessoal.

Toda a questão envolvida como os descartaveis cirúrgicos e quem realizará a cirurgia plástica deve ser analisada com cuidado.

Procedimentos estéticos com alta taxa de mortalidade

As mortes em procedimentos de lipoaspiração são as mais comuns que ocorrem nos hospitais. A lipoaspiração não é para emagrecer e sim para modelar e é preciso que o médico saiba o volume de gordura para que esteja dentro dos limites de segurança da paciente.

Podemos dizer que os casos fatais estão ligados à falta de qualificação médica, pois é preciso passar por 5 anos de residência médica (2 em cirurgia geral e 3 em cirurgia plástica).

 Visando se certificar da formação do médico, consulte o site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e poderá verificar se o nome do profissional está cadastrado.

Você pode fazer isso também usando um aplicativo, pois foi lançado recentemente pela SBCP uma aplicação para smartphones que trazem informações sobre procedimentos reparadores e estéticos.

Até mesmo para você que trabalha com estruturação financeira se torna fácil conseguir dados como endereço e telefone para contato do profissional sem muito esforço pelo aplicativo.

Dependência das redes sociais e seus impactos

A dependência é um dos principais impactos observados na relação entre redes sociais e saúde mental.

O tempo gasto nas redes sociais é cada vez maior, criando um elo vicioso em que as pessoas se cobram para fazer boas publicações, postarem ótimas fotos e acompanhar os padrões já pré-estabelecidos nas suas redes.

Veja algumas doenças psicológicas que podem ser desencadeadas pela dependência às redes sociais. 

Ansiedade

Devido aos padrões criados nas redes sociais, muitos usuários têm a impressão que as vidas dos usuários são fantásticas devido às postagens, menos as deles mesmos.

Essa abordagem pode ajudar no desenvolvimento da ansiedade, com a criação de um confronto com essa suposta plenitude das pessoas observadas.

Muitos acreditam estar estagnados ou não ter conquistado a vida dos sonhos. Outra  questão são as notícias desagradáveis e comentários negativos que podem impactar o usuário das redes sociais.

Estímulos como esses se tornam pesos para as mentes das pessoas, e então o indivíduo começa a questionar sobre o mundo e a sociedade, criando uma ansiedade sobre o próprio futuro.

Sentimento de isolamento e de perda dos acontecimentos

Com uma grande facilidade de encontrar pessoas com interesses idênticos, o indivíduo acaba concentrando grande parte da sua vida na internet.

O excesso de interações virtuais pode aumentar a sensação de solidão, fazendo com que o indivíduo se isole ainda mais para viver suas relações virtuais perfeitas. Também ocorre do indivíduo ter a sensação de que está perdendo vários acontecimentos, além da sensação de isolamento.

Ao observar somente a vida de outras pessoas indo bem nas redes sociais, o indivíduo tem medo de deixar de aproveitar melhor a fase da vida em que se encontra. A pessoa se cobra por não ter viajado, ido a festas, trabalhado, amado ou se divertido o suficiente.

A partir disso começa a planejar as próximas ações que precisa viver e começa a se cobrar por elas. Esse sentimento de ter medo de não viver acontecimentos ou se cobrar para vivê-los pode desencadear uma depressão.

Pressão e esgotamento

O grande acesso a informações, artigos, notícias, pesquisas, opiniões e fotos ou vídeos pode mexer com a cabeça de qualquer pessoa.

Acompanhar influencers que mostram produtividade em suas postagens pode funcionar como um gatilho para quem as acompanha. A pressão para conquistar os objetivos pode tornar-se ainda maior, não sendo feito de uma forma saudável.

Obsessão com o corpo

Outra questão é a relação do indivíduo com sua auto imagem, comparando com as melhores fotos postadas e um padrão estético já estabelecido.

Acontece de muitas pessoas usarem programas como o Photoshop para melhorar suas fotos ou se submeterem a cirurgias e dietas inusitadas.

Para manter um estilo de vida saudável, é recomendado a prática de esportes, tendo por exemplo aparelhos para academia de pilates.

Esse tipo de material faz com que o indivíduo busque por um corpo perfeito, em um físico que é pré determinado pela sociedade. É relativamente comum que obsessões com o corpo resultem em transtornos alimentares, afetando a saúde mental e física do indivíduo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

close