Sangramentos na Gestação

Sangramentos na Gestação

Os sangramentos vaginais ocorrem com certa frequência entre as gestantes e podem ter vários fatores como causa, nem sempre indicam algo grave mas é preciso atenção, muito importante que a gestante esteja fazendo um pré-natal assim o acompanhamento médico irá ajudar a descobrir e entender os motivos do sangramento bem como oferecer um tratamento adequado caso seja necessário.

Eles podem ter coloração cor de rosa escuro, vermelho vivo ou acastanhado.

Vejamos algumas situações gerais que podem levar à sangramentos na gestação:

Sangramentos na gravidez. Imagem: br.depositphotos.com
  • Sangramento de escape ou spotting;
  • Gravidez ectópica;
  • Descolamento ovular;
  • Descolamento da placenta;
  • Placenta prévia;
  • Aborto espontâneo;
  • Infecção uterina.

Sangramentos no primeiro trimestre de gestação

É muito comum após a concepção, nos primeiros 15 dias surgirem sangramentos rosados e se ter cólicas semelhantes as da menstruação. Este por sinal muitas vezes também é um dos primeiros sintomas que indica que a mulher está grávida, embora só se tenha confirmação após os testes de gravidez.

Outros motivos que acarretam sangramentos no primeiro trimestre são aborto espontâneo, uma gravidez ectópica ( quando a gravidez está localizada em local não habitual no útero) e hematomas (quando uma bolsa de sangue se forma dentro do útero). Geralmente nesses casos o sangramento tem coloração vermelho vivo e vem acompanhado de náuseas e cólicas. Caso o sangramento seja na cor escura (tipo borra de café) pode se tratar de um descolamento ovular que pode levar a um aborto.

Outra causa possivelmente perigosa, mas menos comum é a ruptura de um cisto do corpo lúteo. Depois de um óvulo ser liberado, a estrutura que o liberou (o corpo lúteo) ao invés de se decompor como normalmente ocorre pode ficar cheio de líquido ou sangue e acabar se rompendo dentro do útero. Nos casos de uma gravidez ectópica ou do rompimento de um cisto no corpo lúteo, o sangramento pode ser abundante, fazendo com que a pessoa entre em choque.

Os seguintes sintomas são motivo de preocupação em gestantes com sangramento vaginal no início da gestação:

  • Pressão arterial baixa que pode acarretar em desmaios, tonturas ou um ritmo cardíaco acelerado;
  • Perda de grandes quantidades de sangue ou sangue que contém tecido ou coágulos grandes;
  • Dor abdominal intensa, que piora quando a mulher se move ou muda de posição;
  • Febre, calafrios e secreção vaginal.

Em ambas as situações procure seu médico ao início de qualquer um desses sintomas ou vá a um pronto-socorro mais próximo.


Aproveite e confira:

Sangramentos no segundo trimestre da gestação

O segundo trimestre de gestação compreende o período que vai da 13º semana até a 24º semana de gestação. Nesse período não é comum haver sangramentos, e portanto deve se estar atento caso ocorra algum episódio, pois pode ser indício de descolamento de placenta, placenta de inserção baixa, infecção do colo do útero, aborto espontâneo ou ferimento no útero causado pelo contato íntimo.

Principalmente se os sangramentos vierem com outros sintomas como dor forte abdominal, febre ou diminuição dos movimentos do bebê é necessário procurar atendimento médico imediato.

Sangramentos no terceiro trimestre da gestação

O terceiro trimestre da gestação compreende o período da 25º semana até a 42º semana de gestação. Sangramentos nesse período já podem ser indícios do início do trabalho de parto, quando a gestante perde o tampão mucoso e há rompimento das membranas, geralmente ocorre um pequeno sangramento acompanhado de contrações. Mas também pode ser indício de outras situações como placenta prévia e descolamento de placenta.

Também é muito comum no fim da gestação a gestante apresentar sangramento após a relação sexual, uma vez que o canal do parto se torna mais sensível, sangrando com maior facilidade.

Em qualquer uma das situações envolvendo sangramentos, o médico que está fazendo acompanhamento do pré-natal deve ser informado, ou deve se procurar um atendimento médico o mais breve possível.

Diagnóstico

O diagnóstico do que pode estar ocasionando os sangramentos são feitos primeiro no exame físico, aonde é verificado pressão arterial e frequência cardíaca da paciente, o exame especular irá diagnosticar patologias no colo do útero como lacerações, pólipos, verrugas, tumores, processos inflamatórios ou ectópica. Também pode ser realizado exame de toque para avaliar o tamanho do útero, se compatível com o tempo de gestação, e verificação se o colo uterino está aberto ou fechado.

Após o exame físico, outro método seguro para avaliação do sangramento é a ultrassonografia podendo ser transvaginal ou não, através desse exame se confirma se a gestação está ocorrendo dentro do útero ou não ( quando é realizada no primeiro trimestre), se há presença de hematomas ou descolamento de placenta.

Tratamento

Na maioria dos casos, a principal recomendação dos médicos para as gestantes que apresentam sangramento principalmente no início da gestação é fazer repouso, que pode ser relativo ou absoluto. Repouso relativo é quando a paciente é restringida de fazer esforços, atividades físicas e ter relações sexuais. Repouso absoluto é quando a paciente precisa ficar deitada ou sentada, só podendo se levantar para ir ao banheiro. Mas infelizmente nem sempre essas recomendações são suficientes para reverter uma complicação ou até mesmo um aborto, no entanto ajudam a diminuir o sangramento. Em alguns casos também pode ser indicado reforços hormonais e outros medicamentos. Também há situações em que a paciente precise ser internada no hospital para um acompanhamento mais de perto, em casos aonde há maiores riscos para a gestante e o bebê.

Deixe um comentário

close