Bronquiolite - causas, sintomas e tratamentos

Bronquiolite – causas, sintomas e tratamentos

A bronquiolite é uma doença que afeta principalmente crianças abaixo de 2 anos de idade. É uma infecção nos bronquíolos que são ramificações dos brônquios que levam o oxigênio para os pulmões. Não confundir bronquiolite com bronquite, a bronquite é uma inflamação nas vias aéreas superiores e geralmente se dá em crianças maiores.

Quais as causas da bronquiolite?

Bronquiolite. Imagem: depositphotos.com

Em geral, sua causa é decorrente do vírus sincicial respiratório (VSR), embora outros vírus conhecidos também podem causar essa condição, como o vírus influenza, adenovírus e parainfluenza, que são responsáveis pela gripe comum e pelo resfriado.

A infecção causada por esses vírus provocam uma inflamação e inchaço dos bronquíolos, que por sua vez provoca a obstrução do fluxo de ar para dentro e para fora dos pulmões.

A inflamação nos bronquíolos também pode ser consequência da inalação de poeira, gases tóxicos ou fumaça. O VSR é um vírus extremamente contagioso, é transmitido pelo contato direto com pessoas infectadas, podendo inclusive permanecer ativo em superfícies por várias horas.

Após infectar, o vírus se espalha muito facilmente através dos círculos de relacionamentos.

A bronquiolite é mais comum em crianças menores de dois anos de idade, pois suas vias aéreas são mais estreitas.

Podendo evoluir para quadros mais graves em crianças com idade inferior a 12 meses ou portadores de doenças pulmonares e/ou cardíacas e que possuem baixo peso.

Os maiores riscos de evolução para quadros mais graves da doença são para os bebês prematuros ou com sistema imune enfraquecido, estes podem evoluir para internações hospitalares.


Aproveite e confira:


Sintomas

Geralmente as crianças desenvolvem uma infecção das vias respiratórias superiores e portanto acabam apresentando os sintomas de um resfriado como nariz escorrendo, tosse leve, febre, etc.

Depois de um ou dois dias a tosse se torna mais pronunciada e a criança começa a respirar com mais dificuldade, e pode se ouvir um chiado no peito.

Caso seu bebê apresente algum desses sintomas de dificuldade respiratória, ou febre persistente de três dias ou mais, procure o pediatra ou uma emergência pediátrica imediatamente.

Diagnóstico

O diagnóstico da bronquiolite geralmente é clínico, o pediatra avalia os sinais e sintomas apresentados pela criança e seu histórico de saúde. Exames de sangue são solicitados quando o pediatra quer se certificar que não há outras infecções atuando também. A radiografia de tórax geralmente é solicitada quando há suspeita de pneumonia.

Tratamento

Infelizmente não existe tratamento com medicamentos para infecções por VSR, normalmente o vírus é eliminado pelo organismo naturalmente após 2 ou 3 semanas. O que pode ser feito durante a fase inicial do vírus é aliviar os sintomas e desconfortos. Para a congestão nasal a melhor opção é realizar a lavagem do nariz com soro e após fazer a aspiração nasal. Manter o bebê dormindo com o dorso um pouco mais elevado para melhorar a respiração.

Importante também garantir a hidratação adequada do bebê, oferecer bastante a ingestão de líquidos para evitar a desidratação. Pode ser que o seu bebê também coma com menos frequência ou em menor quantidade e também pode apresentar aversão a alimentos sólidos.

Com a evolução da doença, a dificuldade respiratória se tornando leve ou moderada, o pediatra pode usar uma medicação broncodilatadora (para abrir os brônquios), dada através de um nebulizador por inalação ou por bombinhas com espaçadores, antes de considerar a internação hospitalar.

As internações hospitalares por bronquiolite são muito comuns, pois ou a criança apresenta dificuldade respiratória, ou não está comendo corretamente, ou está desidratando por não estar ingerindo adequadamente o consumo de líquidos. Quando a respiração fica muito difícil o próximo passo é usar oxigênio.

Em casos mais graves a criança pode ser colocada para respirar através de uma máquina de respiração para ajudar seus pulmões como medida temporária.

Por se tratar de um vírus ,os antibióticos não são recomendados, a menos que haja uma infecção secundária.

Atualmente já existem tratamentos preventivos contra o vírus sincicial respiratório, mas apenas para os bebês que têm maior risco de contrair infecções respiratórias, como os que nascem com o sistema imunológico debilitado ou com doenças cardíacas.

Prevenção

A melhor forma de prevenção é evitar que o bebê fique próximo de pessoas com sintomas de infecção respiratória sejam crianças ou adultos .

Lavar bem as mãos antes de pegar o bebê e caso ele vá em escolinha ou creche certifique-se de orientar os professores para higienizar bem o ambiente em que o bebê fica e lavarem as mãos antes de manuseá-lo.

Vestir o bebê adequadamente para evitar alterações bruscas de temperatura. Evitar estar com o bebê em locais com muita fumaça ou poeira.

Fisioterapia na bronquiolite

A fisioterapia respiratória é uma aliada no tratamento da bronquiolite, após a infecção algumas crianças podem ficar com lesões nos tecidos pulmonares nos brônquios e nos bronquíolos, que acabam causando um aumento na produção de secreção, prejudicando a respiração.

Portanto a fisioterapia respiratória ajuda na desobstrução dos pulmões através da realização de exercícios respiratórios, reduzindo a dificuldade de respirar.

close