Como os alimentos chegam até a minha mesa?

Hoje temos a participação da Leticia Mantovani, designer, estudante de gastronomia, curiosa da nutrição e mãe da Alice, 4 anos. Criadora do Tá na Mesa Culinária Consciente Infantil. Confira suas dicas!

Onde e como foram plantados? Como foram colhidos? Quanto rodou para chegar até a minha casa? Quanto ficou pelo caminho desperdiçado? São perguntas que quase nunca sabemos responder. Vamos ao mercado ou ao restaurante com a certeza de que haverá comida lá, esperando por nós, simples assim como se fosse mágica, sem pensar no processo que o alimento passa ao ser produzido, transportado, comercializado, cozido, comido e eliminado.

Mas vou dar bons motivos para começar a nos preocuparmos em ter essas respostas.

  1. Comprar próximo ao seu bairro/cidade ajuda a girar a economia local, fazendo com que cada vez menos as pessoas precisem se deslocar tanto para satisfazer suas necessidades.
  2. Buscar por produtores locais evita grandes deslocamentos dos alimentos e, com isso, menos gases poluentes dentro de meios de transportes.
  3. Quanto menos locomoção dos alimentos, mais frescos eles chegam na sua mesa e menos desperdício com manipulações e transporte.
  4. Procure por alimentos com menos embalagens ou até mesmo sem embalagem, pois geram menos lixo – produtos a granel, por exemplo.
  5. Prefira produtos orgânicos, que não geram uso de outros produtos para seu plantio além de serem mais naturais.

Exemplificando, pense no leite de caixinha.

apresentação-alimentos-leite

No mundo de hoje, a cidade e o campo viraram ambientes separados: antes a cidade se moldava em torno do campo, da colheita dos alimentos, hoje em dia, as plantações estão longe da área urbana, e o alimento precisa se locomover para chegar até as cidades. Antes era um evento social, comprar e vender comida, agora é anônimo e passa por várias mãos antes de chegar até você. Costumávamos cozinhar, agora adicionamos água, ou um ovo, se estiver fazendo um bolo e pronto. Não cheiramos a comida para ver se está boa, nós lemos o fundo de uma embalagem. Não confiamos na comida, a tememos e jogamos fora ao invés de valorizá-la.

Sabemos que somos o que comemos, mas precisamos entender que o mundo é também o que comemos. Se levarmos isso em conta, poderíamos usar comida como uma ferramenta poderosa para melhorar o mundo.

Busque por alimentos locais e procure saber como ele chegou até sua mesa e, assim, traga mais saúde para você e para o planeta em que vive.

 

Leticia Mantovani                                             

Tá Na Mesa – Culinária Consciente

Quer mais informações sobre universo materno?

Mandamos conteúdos exclusivos sobre educação infantil, chá de bebê, enxoval, e muito mais!

Comente com o Facebook

comentários