Dicas de segurança para evitar acidentes com as crianças

Como evitar acidentes com as crianças? Confira nossas dicas de segurança!

Hoje vamos compartilhar algumas dicas de segurança! Segundo informações da ONG Criança Segura, com base em dados do Ministério da Saúde, cerca de 110 mil crianças são hospitalizadas, anualmente, vítimas de acidentes domésticos.

Você sabia que em período de férias e feriados, de acordo com o coordenador do Núcleo de Trauma do Hospital Samaritano de São Paulo, Diogo Garcia, essas ocorrências aumentam em 25%.

Entre os incidentes mais comuns estão:

  • quedas,
  • queimaduras,
  • envenenamentos,
  • sufocamentos e
  • afogamentos.

“Com o dia das crianças se aproximando, os pequenos querem aproveitar o feriado para se divertir e brincar com os amigos, seja dentro de casa ou ao ar livre. É preciso, entretanto, ter cautela e o máximo de cuidado possível, seja por parte dos pais ou das próprias crianças”.

Agora vamos ver algumas dicas para garantir a diversão das crianças com cuidado e segurança, passadas pela ADT (maior empresa de monitoramento de alarme do mundo).

Segurança dentro de casa:

Dicas de segurança em casa com crianças
Dicas de segurança para evitar acidentes domésticos com as crianças. Imagem: Grupo AUSTA
  • Após o uso, guarde os brinquedos para evitar quedas e tropeços;

  • Dê preferência às bocas de trás do fogão e vire os cabos das panelas para trás;

  • Fósforos, isqueiros, cosméticos, medicamentos, bebidas alcoólicas, materiais de limpeza e objetos cortantes devem ser armazenados em locais altos e trancados;

  • Proteger tomadas e fios pois crianças adoram sair pegando tudo e colocando os dedos onde não devem. Esconda os fios o melhor que puder e use protetor de tomadas;

  • Dê preferência para móveis de cantos arredondados e deixe-os longe das janelas. Coloque grades e redes de proteção nas janelas e varandas e evite cortinas com puxadores que possam provocar enforcamento;

  • Cuidado com baldes e bacias, o simples fato de deixar peças de molho em baldes ou bacias também oferece risco. Não esqueça que a criança está em fase de aprendizado e a curiosidade é natural. O ato de inclinar o corpo para ver o que tem dentro do recipiente já oferece risco”;

  • Se onde você mora tem escadas, use a grade de proteção para não correr o risco dos pequenos caírem da escada.
  •  Não usei kit berço. O uso é contraindicado pela Sociedade Americana de Pediatria e pela Sociedade Brasileira de Pediatria. O principal motivo é o risco de sufocamento: o bebê pode se virar e o rosto ficar enfiado em uma almofada e não conseguir se desvirar. Por isso também não é recomendado o uso de cobertores, brinquedos ou outros objetos dentro do berço.

Segurança em parquinhos:

Dicas de segurança em parquinhos
Dicas de segurança em parquinhos. Imagem: Algarve Informativo
  • Respeite a faixa etária indicada;

  • Observe o tipo de piso do lugar; o ideal é que o chão seja coberto de materiais que amorteçam quedas;

  • Atente-se aos brinquedos. Para crianças de até 3 anos, o ideal é que o assento de balanços tenha encosto e proteção de segurança na frente. Escorregadores, por exemplo, não podem estar quebrados, descascados ou ter pregos aparentes;

Segurança ao ar livre:

Dicas de segurança ao ar livre
Imagem: Rádio Aratiba
  • Lembre-se de usar repelente e protetor solar;

  • Verifique sempre que possível os lugares que a criança irá transitar. Por exemplo, a brincadeira no jardim pode gerar problemas se o pequeno tiver contato com algum inseto indesejado;

Segurança na piscina ou praia:

Cuidados com as crianças na piscina
Crianças e Piscina, dicas de segurança. Imagem: Mamãe & Cia
  • Nunca deixe a criança sozinha na piscina ou na praia. Bebês devem ter os pais por perto na água, mesmo em piscina rasa, para evitar quedas e desequilíbrios;

  • Tenha cuidado com as boias de braço e as redondas, pois as crianças podem se desequilibrar e se afogar. Além disso, as boias devem estar cheias e fechadas corretamente, sem rasgos e em bom estado de conservação;

  • Atente-se para a profundidade da água e evite que as crianças se aproximem dos ralos e pontos de sucção das piscinas;

  • Se você tem piscina em casa use grades ou telas de proteção.
  • Ao sinal de chuva ou tempestade, faça com que saiam da piscina, abrigando-as em local coberto.

Além das recomendações acima, é importante combinar o que fazer em situações de emergência, já que muitas vezes as crianças não sabem para quem ligar.

Para que tem o alarme monitorado, é possível pedir ajuda por meio do sistema. Basta apertar botões de acordo com a situação: perigo, emergência médica ou incêndio. O alarme monitorado, portanto, é um grande aliado.

Aproveite e confira:

Quer mais informações sobre universo materno?

Mandamos conteúdos exclusivos sobre educação infantil, chá de bebê, enxoval, e muito mais!

Comente com o Facebook

comentários