O que é Gravidez Ectópica? (causas, sintomas e tratamento)

Foto: Prefeitura de SP
Foto: Prefeitura de SP

Você já ouviu falar de Gravidez Ectópica? Uma gravidez comum é quando o óvulo fertilizado se prende ao revestimento do útero, e ali o bebê cresce seguro.

Já na Gravidez Ectópica, o óvulo fertilizado fica em algum lugar fora do útero, sendo que na maioria das vezes se aloja nas trompas de falópio, um canal antes da chega do útero.

O grande detalhe desde tipo de gravidez é que a mulher precisa interromper a gestação, pois ovo fertilizado não sobrevive, e o feto em crescimento pode destruir várias estruturas maternas.

Mas quais as causas? E existe algum tratamento para evitar isso?

Causas da Gravidez Ectópica

Causas para uma Gravidez Ectópica. Foto: Gravidas OnLine

As causas mais comuns para uma Gravidez Ectópica incluem:

  • Tabagismo;
  • Doença inflamatória pélvica, que pode surgir a partir de infecção por clamídia ou gonorreia;
  • Inflamações e cicatrizes das trompas de falópio, decorrentes de uma condição médica ou cirurgia anterior;
  • Gravidez ectópica em outras gestação.

Mesmo assim ainda não se tem uma causa comum sobre o surgimento desta gravidez, no entanto, as condições seguintes podem ter ligação com uma gravidez anormal:

  • Fatores hormonais;
  • Anormalidades genéticas;
  • Defeitos congênitos;
  • Condições médicas que afetam a forma e condição das trompas de falópio e órgãos reprodutivos.

Todas as mulheres sexualmente ativas estão em algum risco de uma gravidez ectópica. No entanto, o risco pode aumentar se acompanhado de alguns fatores de risco. Veja:

  • Gravidez ectópica anterior
  • Inflamação ou infecção das trompas de Falópio
  • Problemas de fertilidade
  • Trompas de Falópio com um formato incomum
  • Idade materna avançada de 35 anos ou mais
  • História de cirurgia pélvica, cirurgia abdominal, ou vários abortos
  • História de endometriose
  • Concepção auxiliada por medicamentos de fertilidade ou procedimentos
  • Tabagismo
  • História de DSTs
  • Uso inadequado do DIU. Se utilizado corretamente, o DIU deve impedir a gravidez. No entanto, se por algum motivo ela ocorrer, provavelmente será ectópica
  • Gravidez após cirurgia de laqueadura. Embora a gravidez após a ligadura tubária seja rara, se isso acontecer, é mais provável que seja ectópica.

Sintomas de Gravidez Ectópica

No início, uma gravidez ectópica muitas vezes é sentida como uma gravidez normal, com sintomas tais como:

  • Atraso na menstruação
  • Seios sensíveis e inchados
  • Fadiga
  • Náusea
  • Aumento da micção.

Os primeiros sinais de uma gravidez ectópica podem incluir:

  • Hemorragia vaginal, que pode ser leve;
  • Dor abdominal ou dor pélvica, geralmente seis a oito semanas após a ausência de menstruação.

Conforme a gravidez progride, outros sintomas podem se desenvolver, incluindo:

  • Dor de barriga ou dor pélvica, que pode piorar com o movimento ou esforço. Pode começar bruscamente de um lado e depois se espalhar por toda a região pélvica
  • Sangramento vaginal moderado ou intenso
  • Dor no coito ou durante um exame pélvico
  • Tonturas, vertigens ou desmaio, causada por hemorragia interna
  • Sinais de choque hipovolêmico
  • Dor no ombro causada por hemorragia no abdômen sob o diafragma. O sangramento irrita o diafragma e é sentido como dor no ombro.

Os sintomas do aborto espontâneo muitas vezes são semelhantes aos sintomas precoces experimentados durante a gravidez ectópica. Para mais informações, consulte o tópico aborto espontâneo.

Exames para diagnosticar Gravidez Ectópica

Se você tiver sintomas de gravidez ectópica, você fará:

  1. Um exame pélvico, que pode detectar uma obstrução nas trompas de Falópio, um alargamento do útero menor do que o esperado para uma gravidez ou uma massa na região pélvica
  2. Ultrassonografia pélvica transvaginal ou abdominal, sendo que a primeira é a mais segura para diagnosticar gravidez ectópica
  3. Dois ou mais exames de sangue para níveis hormônio da gravidez (gonadotrofina coriônica humana ou beta-hCG), realizados com 48 horas de intervalo. Durante as primeiras semanas de uma gravidez normal, os níveis de beta-hCG dobram a cada 2 dias. Níveis baixos ou lentamente crescentes de beta-hCG no sangue sugerem uma gravidez anormal, como uma gravidez ectópica ou um aborto espontâneo. Se os níveis de beta-hCG são anormalmente baixos, mais testes são realizados para descobrir a causa.

Tratamento para a Gravidez ectópica

Na maioria dos casos, é tratada imediatamente para evitar uma ruptura dos tecidos e hemorragias. A decisão sobre qual o tratamento depende de quão cedo a gravidez é detectada e seu estado geral. Para uma gravidez detectada precocemente que não está causando sangramento, você pode ter uma escolha entre o uso de medicamentos ou cirurgia para interromper a gravidez.

Existe prevenção?

É impossível impedir uma gravidez ectópica de acontecer, mas você pode diminuir alguns fatores de risco. Por exemplo, limitar o número de parceiros sexuais e usar um preservativo quando tiver relações sexuais para ajudar a prevenir DST e reduzir o risco de doença inflamatória pélvica.

Se você já teve uma gravidez ectópica, converse com o médico antes de engravidar novamente. Quando você fica grávida, o médico irá monitorizar cuidadosamente a sua condição.

Os primeiros exames de sangue e ultrassonografias podem oferecer a detecção precoce de uma outra gravidez ectópica – ou a garantia de que a gravidez está se desenvolvendo normalmente.

Quer mais informações sobre universo materno?

Mandamos conteúdos exclusivos sobre educação infantil, chá de bebê, enxoval, e muito mais!

Comente com o Facebook

comentários