Doenças de inverno: como proteger seu filho nessa época do ano

Cuidados com a saúde, hábitos de higiene e controle ambiental englobam as principais medidas para evitar gripes, resfriados, rinite e outras doenças comuns no tempo frio.

doenças de inverno, cuidados com a saúde das crianças

Criança com nariz escorrendo, espirros, tosse… Basta os termômetros caírem um pouquinho para que os pequenos comecem a apresentar sintomas das doenças de inverno, que muitas vezes os impedem de brincar, se alimentar e ir para a escola, além de não conseguirem dormir bem.

Nenhum pai ou mãe fica feliz em ver seu filho doente, e muito menos em ter que levá-lo a um hospital! Por isso, nós preparamos este material para você conhecer as doenças mais comuns no inverno e as melhores formas de prevenção. Confira:

  • Resfriado

O resfriado comum é uma infecção das vias respiratórias superiores que atinge o nariz e a garganta. Ele é causado por mais de 200 tipos de vírus – em especial, adenovírus, rinovírus e vírus sincicial respiratório.

Seus sintomas incluem coriza, nariz entupido, espirros, dor de garganta, febre moderada, irritação nos olhos, tosse e mal-estar, durando de 3 a 5 dias. Não existe um tratamento específico para o resfriado, apenas para aliviar os sintomas.

  • Gripe

Muita gente confunde a gripe e o resfriado, mas eles são causados por vírus diferentes. No caso da gripe, o agente causador é o vírus influenza, que existe em diversos tipos e se modifica todos os anos.

Os sintomas são parecidos com os do resfriado, mas muito mais intensos (como a febre mais alta), e incluem as dores no corpo. A gripe dura de uma a duas semanas e pode trazer complicações se não for tratada corretamente.

  • Dor de garganta

A dor da garganta pode ser sintoma de gripe ou resfriado, mas também pode ser uma inflamação (decorrente de uma alergia) ou uma infecção (causada por vírus, fungos ou bactérias).

As formas mais comuns de infecção de garganta são a amidalite e a faringite, que causam dor ao engolir, febre e mau hálito. O tratamento é feito com antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos.

  • Rinite alérgica

É a alergia respiratória mais comum, atingindo 30% das crianças e adolescentes. A rinite consiste na irritação da mucosa nasal por um alérgeno (ácaros, mofo, fumaça de cigarro etc.), despertando uma reação de hipersensibilidade.

Os sintomas mais comuns são espirros, coriza, coceira nos olhos, nariz e céu da boca e congestão nasal, que aparecem pouco tempo depois do contato com o alérgeno. A prevenção é feita principalmente com o controle ambiental.

  • Asma alérgica

Pode se desenvolver a partir da rinite e consiste na inflamação dos pulmões e das vias aéreas inferiores. Ela apresenta sintomas como tosse, chiado no peito, cansaço e falta de ar.

Essa é uma condição mais grave que pode até ser fatal – estima-se que a asma cause três óbitos todos os dias no Brasil. O tratamento é feito com o uso de corticosteroides e broncodilatadores.

  • Bronquite aguda

É a inflamação dos brônquios, geralmente causada por uma infecção viral ou bacteriana, podendo ser consequência de um resfriado ou crise alérgica.

A bronquite aguda se caracteriza por febre moderada, tosse produtiva (com catarro) e falta de ar.

  • Pneumonia

É a infecção dos pulmões, que pode ser causada por bactérias, vírus ou fungos. A pneumonia pode originar febre muito alta (mais de 38 oC), tosse com catarro, calafrios e dificuldade para respirar.

O tratamento costuma ser feito com antibióticos. Se não for devidamente diagnosticada e controlada, a pneumonia pode levar à morte, especialmente crianças e pessoas com mais de 65 anos.

Como proteger seu filho das doenças de inverno?

Nenhuma dessas doenças de inverno é causada diretamente pelo frio, mas sim por condições e comportamentos típicos dessa estação que propiciam uma maior exposição a seus agentes causadores.

No frio, muitas pessoas relutam em abrir as janelas, o que impede a circulação do ar e facilita a transmissão dos microrganismos. Da mesma forma, esse hábito propicia a multiplicação dos ácaros e do mofo, os maiores causadores das alergias respiratórias.

Por isso, as medidas de prevenção das doenças de inverno incluem cuidados com a saúde em si, a adoção de hábitos de higiene e o controle ambiental. Confira as dicas:

  • Adapte as refeições dos pequenos para eles consumam vitaminas e minerais mesmo em dias frios. Para isso, invista em sopas e caldos à base de vegetais, tortas de legumes e frutas assadas no forno ou aquecidas no micro-ondas;

  • Mesmo no tempo frio, é importante oferecer água ao seu filho para manter a hidratação e a integridade das mucosas, evitando que elas fiquem ressecadas e mais propensas à entrada de microrganismos ou à irritação;

  • Mantenha seu pequeno agasalhado. Embora o frio não cause nenhuma doença, a exposição prolongada à friagem pode ressecar o muco protetor da garganta, favorecendo as irritações e infecções;

  • Como o vírus influenza se modifica, é necessário repetir a vacina da gripe todos os anos. Ela está disponível na rede pública para crianças entre 6 meses e 5 anos de idade, e na rede privada para todas as pessoas;

  • Ensine seu filho a lavar as mãos corretamente, utilizando água e sabão. Incentive-o a fazer isso antes das refeições, ao chegar da escola, depois de brincar, depois de usar o banheiro etc.;

  • Evite locais fechados com aglomeração de pessoas. Quando o ar não circula, os microrganismos expelidos na saliva de pessoas doentes ficam suspensos no ambiente, favorecendo a transmissão das doenças infecciosas;

  • Lave roupas de frio e cobertores e exponha-os ao sol antes de seu filho utilizá-los. Ao passar muito tempo guardadas, essas peças acumulam ácaros e mofo, que desencadeiam rinite e asma alérgica;

  • Faça a limpeza da casa com aspirador de pó e pano úmido, troque carpetes por piso liso e coloque o colchão e o travesseiro da criança no sol semanalmente, de forma a eliminar a poeira doméstica e evitar a proliferação dos ácaros;

  • Não permita que seu filho deixe objetos como livros e ursos de pelúcia expostos no quarto, pois esses objetos tendem a acumular muito pó e causar rinite alérgica.

Tenha em mente que nem mesmo a limpeza mais minuciosa é capaz de impedir a entrada de microrganismos ou alérgenos na casa ou no quarto da criança. Por isso também vale a pena contar com aparelhos capazes de destruir ácaros, fungos, bactérias, vírus e outros agentes irritantes, como os purificadores de ar, travesseiros anti-ácaros, e tirar objetos que acumulem pó do quarto das crianças, como tapetes e cortinas.

Fonte: Sterilair

Aproveite e confira:

 

Comente com o Facebook

comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here