Como driblar o confinamento infantil e contribuir com a saúde mental das crianças

0
17
Saúde mental das crianças
Imagem: Revista Educação

O confinamento infantil é importante para a saúde dos pequenos também, porém pode prejudicar a saúde mental das crianças. Mas os pais podem ajudar a minimizar alguns problemas com a ansiedade tornando tudo mais lúdico. Veja como!

A pandemia pegou todos de surpresa e sua duração tem sido acima do esperado. O isolamento social já dura mais de um ano e as crianças têm sentido as consequências.

Ficar em casa, sem o contato com os colegas e frequentar a escola tem causado mais problemas aos pequenos do que o vírus da Covid-19.

Um levantamento feito pela Fiocruz, identificou que de 320 crianças e adolescentes alguns problemas eram comuns. 36% criaram dependência excessiva dos pais, 32% tiveram desatenção e 31% irritabilidade.

Nessa lista ainda podem ser adicionados outros sintomas que aparecem com menor frequência como preocupação, medo de familiares ficarem doentes, insônia, pesadelo e agitação.

Esses mesmo sintomas são percebidos em outros países e ainda parecem a solidão e tédio entre os mais frequentes.

A verdade é que para os adultos, enfrentar o problema é difícil e para as crianças ainda mais.

Muitos pais se preocupam em contratar um plano de saúde infantil no caso de o pequeno se infectar e precisar de cuidados médicos. Entretanto, nesse momento cuidar da saúde mental está exigindo mais atenção.

Cuidando da saúde mental das crianças:

Saúde mental das crianças
Saúde mental das crianças em tempo de pandemia. Imagem: Revista Educação

Os pais precisam estar atentos para ajudar as crianças a lidarem com o confinamento. Não se sabe ainda quando será possível retomar a rotina e esclarecer isso a pequeno é essencial.

Ele deve estar ciente do que está acontecendo e se conscientizar. É claro que a forma que isso será explicado varia de acordo com a idade. Além disso, outras medidas podem ser adotadas.

Estabeleça uma rotina

Criar uma rotina fará com que a criança sinta um pouco mais de normalidade. É preciso definir uma hora para acordar, dormir, se alimentar, estudar e brincar.

Isso traz a sensação de que as coisas não saíram de controle e que ainda existem regras. A questão é não criar regras que sejam muito rígidas, pode haver um pouco de flexibilidade para que elas não geram mais ansiedade ou frustração.

Use o plano de saúde infantil

O plano de saúde infantil já foi contratado, então é preciso aproveitar tudo o que ele tem a oferecer. 

O acompanhamento psicológico pode ajudar tanto a criança como os pais e o atendimento com o profissional está disponível entre os variados tipos de planos de saúde infantil. Ao falar sobre os problemas e serem orientados por um profissional, os pequenos se sentirão mais seguros.

Os pais, por outro lado, serão orientados a lidar com algumas situações e garantir o bem estar dos filhos.


Aproveite e confira:


Controle o tempo a frente das telas

Ver desenhos, filmes e jogar é um passatempo que as crianças adoram. Alguns podem passar o dia todo na frente de TV ou smartphone fazendo essas atividades.

A questão é que isso pode causar outros problemas. Ela gera um maior isolamento, pois o pequeno não interage e pode aumentar a ansiedade e irritação.

Não é preciso proibir o uso da tecnologia, mas ela deve ser limitada. Estabelecer horários para o uso delas é fundamental.

Faça passeios ao ar livre, dentro do possível

Para diminuir a sensação de confinamento é indicado passear com as crianças sempre que possível.

Se tem uma chácara da família, aproveite para visitar aos finais de semana. Se os parques da cidade estiverem abertos, dê uma volta com os filhos. Se nada disso for possível, aproveite o quintal de casa.

As atividades ao ar livre farão com que os pequenos se sintam menos presos e ajudem a relaxar.

Estude com os filhos

Muitos pais deixam que os filhos estudem por conta própria com as aulas on-line e não dão a devida atenção a isso. 

É possível deixar que os pequenos vejam as aulas sozinhos, porém os pais devem estar presentes. Diariamente tire um tempo para ajudar com as dúvidas, reforçar a explicação e conferir as tarefas. 

Peça ajuda com as tarefas diárias

Sem ter o que fazer as crianças se sentem entediadas e o psicólogo não conseguirá lidar com isso sem o apoio dos pais.

A ideia é que os pequenos se sintam ocupados, assim não tem tempo de se sentirem só ou entediados. 

Os inclua nos cuidados com as tarefas domésticas. Eles podem ajudar com a limpeza, na cozinha ou qualquer outra coisa. 

Para tornar essas atividades mais divertidas, faça com que sejam lúdicas. As brincadeiras contando o tempo que levam para serem feitas ou somando pontos para conquistar um prêmio.

Driblar o confinamento infantil é um grande desafio, mas é preciso garantir que as crianças fiquem ocupadas e tenham momentos lúdicos. Para apoiar tudo isso e ainda lidar com a saúde mental é importante que os pais estejam juntos dos filhos, ajudando-os a passar por esse momento.

Por: Jeniffer Elaina, do site PlanoDeSaude.net