Diabetes Gestacional: Como prevenir através do Controle Alimentar

Conheça uma pouco mais sobre essa condição na gestação e saiba como a diabetes gestacional pode ser prevenida através de um controle alimentar na gravidez.

diabetes gestacional

Algumas intercorrências podem acontecer durante a gravidez e uma delas é a diabetes gestacional. Em alguns casos isso é inevitável, porém, em outros casos entretanto, é possível preveni-la através de algumas estratégias com a alimentação.

O que é diabetes gestacional?

É um estado onde os níveis de açúcar no sangue estão elevados em mulheres que não apresentavam diabetes antes de estarem grávidas.

Isso acontece quando a quantidade do hormônio insulina é insuficiente para que possa exercer sua função de retirar parte da glicose sanguínea para que esta seja usada pelas células como fonte de energia controlando, então, os níveis glicêmicos.

Com a ação ineficiente da insulina cria-se um quadro de resistência à insulina no organismo resultando, então, na temida diabetes gestacional.

Fatores de risco para a diabetes gestacional

Os fatores de risco para a diabetes durante a gestação podem ser vários. De acordo com a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo alguns desses fatores são:

  • Excesso de peso
  • Sedentarismo
  • Histórico anterior de diabetes gestacional
  • Histórico familiar de diabetes tipo 2, principalmente familiares de primeiro grau
  • Antecedência de intolerância à lactose
  • Etnia com alto índice de prevalência de diabetes tipo 2
  • Síndrome do ovário policístico
  • Uso de glicocorticoides
  • Hipertensão
  • Idade materna acima de 25 anos

Consequências da diabetes gestacional

A diabetes gestacional, quando é bem controlada, não traz consequências ou prejuízos para a gravidez nem após a gestação, nem para a mãe ou a criança. Porém, algumas consequências podem surgir quando ela não é bem controlada. E ainda assim, essas consequências podem ser muitas e podem atingir tanto a mãe quanto o bebê. Por isso, as principais consequências são:

Para a mãe:

  • Aborto espontâneo
  • Risco de pré-eclâmpsia
  • Parto prematuro
  • Complicações no parto
  • Parto cesariana no lugar do parto natural
  • Parto forçado
  • Possibilidade de diabetes gestacional na próxima gestação
  • Diabetes tipo 2

Para o bebê:

  • Má formação fetal
  • Elevado peso ao nascer
  • Problemas respiratórios
  • Doenças cardíacas
  • Icterícia
  • Diabetes tipo 1
  • Excesso de peso

Geralmente a diabetes desaparece após a gestação. Porém, em alguns casos pode persistir gerando a diabetes tipo 2 e até diabetes na próxima gestação. Daí a importância de realizar um tratamento adequado.

Tratamento da diabetes gestacional

O tratamento para a diabetes gestacional na gravidez é feito através de três pilares que são:

  • Alimentação adequada
  • Atividade física moderada
  • Medicamento oral (hipoglicemiante) e/ou aplicações de insulina.

Porém, em muitos casos, a alimentação e a prática de atividade física na gravidez já ajuda a controlar a diabetes gestacional.

Primeiramente, a alimentação e a atividade física devem ser realizadas com orientação profissional, com um profissional nutricionista e um educador físico. Isso é necessário para garantir um tratamento adequado e correto.

Já o uso de medicamento e/ou insulina deve ser feito com indicação e acompanhamento médico que definirá a dose a ser aplicada.

Durante o tratamento, também é importante sempre verificar os níveis glicêmicos diariamente através do medidor de glicose sanguínea para que haja um controle dos valores glicêmicos. Essa verificação pode ser feita pela própria gestante após um treinamento correto com um profissional da saúde como médico ou enfermeiro.

diabetes gestacional
Cuidados com a diabetes gestacional. Imagem: A revista da mulher

Como evitar a diabetes gestacional?

Segundo o Programa Harvard Medical School Portugal, a diabetes gestacional, em muitos casos, não pode ser prevenida. Isso acontece porque essa doença é originada por meio de alterações hormonais típicas da gravidez.

Porém, existem alguns fatores de risco que podem contribuir para o surgimento da diabetes no período gestacional e alguns desses fatores podem ser eliminados. Isso pode reduzir muito o risco de aparecimento da diabetes gestacional.

Por isso, para ajudar nessa prevenção, é preciso seguir algumas dicas:

  1. Fazer o pré-natal

O acompanhamento pré-natal é essencial, pois pode detectar possíveis riscos ou condições que podem resultar na diabetes gestacional.  Para isso, entre outros fatores, é necessário que o pré-natal inclua a monitoração glicêmica e o acompanhamento do crescimento fetal.

  1. Peso saudável

Manter o peso ideal é importante para a prevenção da diabetes gestacional, visto que o excesso de peso é um dos fatores de risco principais para a diabetes durante a gravidez.

  1. Atividade física

A atividade física na gestação também pode ajudar a prevenir a diabetes nessa fase. Isso acontece porque o sedentarismo é um dos fatores de risco para a diabetes na gestação.

Os exercícios físicos devem ser moderados e adequados em cada caso sempre com orientação profissional. Porém, a atividade física na gestação só é recomendada quando não há nenhuma contraindicação.

  1. Alimentação

A alimentação é o principal fator para ajudar a prevenir a diabetes gestacional, através dela é possível manter os níveis glicêmicos e o peso adequados. O essencial é que a alimentação seja totalmente saudável.

Entretanto, para evitar a alteração glicêmica, deve-se seguir uma alimentação pobre em carboidratos refinados, açúcares e alimentos de alto índice glicêmico.

Então, os principais alimentos que devem ser evitados são:

  • Açúcares: açúcar refinado (branco), açúcar mascavo, açúcar demerara, açúcar orgânico, etc.
  • Adoçantes
  • Doces em geral
  • Refrigerante
  • Sucos naturais e industrializados
  • Arroz branco
  • Alimentos feitos com farinha de trigo refinada: pães, bolos, biscoitos, massas, etc.
  • Farinha de mandioca
  • Tapioca

O ideal, de fato, é consumir alimentos fontes de carboidratos complexos e de baixo índice glicêmico. Estes alimentos são geralmente ricos em fibras, e ajudam a controlar a absorção dos carboidratos pelo intestino mantendo os índices glicêmicos mais normais e mais estabilizados.

Entre esses carboidratos complexos estão:

  • Sementes como linhaça e chia
  • Oleaginosas como castanhas, nozes e amêndoas
  • Cereais integrais como arroz, quinoa e aveia
  • Farelos e farinhas integrais
  • Verduras, frutas e legumes com casca, bagaço, talos, folhas e sementes
  • Raízes como a batata doce

Mesmo sendo carboidratos complexos, devem ser consumidos de forma moderada, pois também podem causar alterações glicêmicas se forem consumidos exageradamente já que são fontes de carboidratos.

Alimentos fontes de proteínas como carne vermelha, peixes, aves e ovos são bastante indicados, assim como a ingestão de gorduras boas como abacate, azeite de oliva e óleo de coco extravirgens.

Veja outras dicas de alimentação no vídeo a baixo:

Uma alimentação muito baixa em calorias não é recomendada na gestação, pois é necessário haver uma nutrição adequada para que haja e o ganho de peso recomendado na gravidez. Após o parto é necessário adequar a alimentação para retornar ao peso.

Siga todas essas instruções para minimizar o máximo que puder os riscos da diabetes gestacional e principalmente, sempre faça acompanhamento médico e nutricional para garantir sua saúde e a saúde do seu bebê.

Fonte: Dica de Lingerie

Quer mais informações sobre universo materno?

Mandamos conteúdos exclusivos sobre educação infantil, chá de bebê, enxoval, e muito mais!

Comente com o Facebook

comentários